7 coisas que podem desparecer nos próximos 5 anos

POR A redação    EM Curiosidades      08/07/15 às 18h18

A alteração no meio ambiente ou em algum de seus componentes por determinada ação ou atividade humana pode gerar consequências drásticas. Os impactos ambientais são gerados por consequência destas ações que alteram a qualidade do ambiente em que vivemos.

Toda atividade humana gera impacto ambiental, em maior ou menor escala. Existem também as alterações dentro da sociedade que podem gerar impactos gigantes na evolução e extinção de diversos elementos. O meio ambiente envolve todas as coisas vivas e não-vivas que existem na Terra, ou em alguma região dela, que afetam os ecossistemas e a vida dos seres humanos.

O Ultra Curioso separou a seguir 7 coisas que podem desparecer nos próximos 5 anos. Confira a lista:

Hélio

30

O hélio é um gás sem cor e sem cheiro. É o segundo elemento químico em abundância no universo, atrás do hidrogênio, mas na atmosfera terrestre encontram-se apenas traços, provenientes da desintegração de alguns elementos.

Em alguns depósitos naturais de gás é encontrado em quantidade suficiente para a sua exploração; usado para o enchimento de balões e dirigíveis, como líquido refrigerante de materiais supercondutores criogênicos e como gás engarrafado utilizado em mergulhos de grande profundidade.

Geleiras dos Andes

31

O gelo das geleiras é o maior reservatório de água doce sobre a Terra, e perde em volume total de água apenas para os oceanos. As geleiras dos Andes cobrem uma vasta área mas ficam restritas às montanhas mais altas dos Andes. O derretimento das geleiras é um assunto de extrema importância dentro da comunidade científica. Pesquisas indicam que devido o aquecimento global muitas geleiras localizadas nos Andes vão desaparecer.

Uísque

32

É uma bebida alcoólica destilada de grãos, muitas vezes incluindo malte, que foi envelhecida em barris. Sua graduação alcoólica tem teor de 38 a 54% de álcool etílico. A demanda pela bebida, principalmente a de qualidade, envelhecida por décadas em barris, está crescendo de forma desproporcional. As reservas mundiais desse tipo de uísque estão se esgotando e muitos produtores especulam que até 2020 a bebida se torne inacessível para a maioria da população.

Rinoceronte-branco

33

É o maior dos rinocerontes. A caça e depredação do seu habitat levarão a extinção do animal até 2020. Apesar do nome, sua pele é escura e lisa. A explicação para o nome de rinoceronte-branco, "white rhino" em inglês, é originária da África do Sul quando a língua afrikaans se desenvolveu a partir do holandês.

A palavra do afrikaans "wyd" (derivada do holandês "wijd"), significa largo ou "wide" em inglês, referindo-se a boca larga do rinoceronte. Os primeiros colonizadores britânicos na região interpretaram a palavra "wyd" por "white". A partir de então, o rinoceronte da boca "larga" foi chamado de rinoceronte-branco, enquanto que o rinoceronte da boca "estreita" ou "narrow pointed", foi chamado de rinoceronte-negro. A boca "larga" é adaptada para comer grama rasteira, a boca "estreita" é adaptada para comer as folhas dos arbustos. Essa seria a explicação do nome do rinoceronte-branco.

Chocolate

Em 1993 a produção mundial de cacau in natura era de 2,5 milhões de toneladas, procedentes em 75% de cinco países: Costa do Marfim (840 000 toneladas), Brasil (300 000), Indonésia (280 000), Gana (240 000) e Malásia (195 000). Na safra internacional de 2000/2001 em função da existência de pragas nas cultura, especialmente a vassoura-de-bruxa o Brasil passou a ocupar o 5º lugar, com uma produção de 150 000 toneladas.

De lá pra cá, o consumo de chocolate está ultrapassando a produção de cacau o que pode desabastecer muitos mercados até 2020. A seca extrema na Costa do Marfim e Gane também está prejudicando imensamente a produção de cacau. O chocolate é, em geral, uma mistura de pasta de cacau em pó, manteiga de cacau e açúcar.

Cartas

35

A carta é o elemento postal mais importante, é um meio de comunicação visual, constituída por algumas folhas de papel fechadas em um envelope, que é selado e enviado ao destinatário da mensagem através do serviço dos Correios.

Os serviços de correios e empresas de centenas de países estão modernizando suas operações e tornando o tráfego postal eletrônico. Até 2020, o custo para se enviar uma carta será maior que o de enviar uma correspondência eletrônica, o que levará a extinção das cartas em muitos locais no mundo.

Mariposas

36

O que mais difere as mariposas das tão conhecidas borboletas, são que as borboletas possuem antenas finas e com uma pequena esfera na ponta, já as mariposas possuem antenas diferenciadas de acordo com sua espécie, as mariposas assim que pousam deixam suas asas abertas e as borboletas colocam suas asas de maneira vertical. Mais de 200 espécies de mariposas estão com sério risco de extinção. Estima-se que a maior parte delas deixará de existir até 2020.

A redação
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+