O corpo humano é constituído por diferentes partes. Entre elas, podemos citar a pele, os músculos, os nervos, os órgãos, os ossos etc. Cada uma é formada por inúmeras células, que apresentam formas e funções definidas. Além disso, existem também, dentro dessa composição, os tecidos, órgãos e sistemas. Todos que funcionam de modo integrado.

Algumas dessas partes, como por exemplo o coração e os pulmões, podem exigir mais energia que as outras durante o próprio funcionamento. No entanto, cada uma possui a sua devida importância, e isso já não podemos negar. Por esse motivo, podemos comparar nosso corpo, sem medo algum, com uma máquina complexa e perfeita, cujas partes funcionam em perfeita sincronia.

Algumas possuem habilidades incríveis e tudo se complementa. Conheça aqui, 7 fatos incríveis sobre as partes mais impressionantes do nosso corpo.

1 - Fígado

O fígado é o único órgão que pode se regenerar completamente. De acordo com estudos científicos, em caso de algum dano, o fígado é capaz de se reprogramar para imitar os seus primeiros estágios e se regenerar, como se nada tivesse acontecido. Um outro fato curioso sobre o funcionamento do fígado é que, diferentemente de outros órgãos, ele pode aumentar ou diminuir de tamanho ao longo do dia. O fígado cresce em 50% no momento que estamos acordados, em atividade. Isso tudo porque sua atividade é bem maior durante o dia do que à noite.

2 - Pele

Publicidade
continue a leitura

Experimentos recentes apontam que a nossa pele também pode detectar odores. De acordo com pesquisadores, isso ocorre independentemente do nosso receptor de olfato tradicional, o nariz. Além disso, a pele corresponde a 16% do nosso peso corporal e exerce diversas funções, como regulação térmica, defesa orgânica, controle do fluxo sanguíneo, proteção contra diversos agentes do meio ambiente e funções sensoriais (calor, frio, pressão, dor e tato).

3 - Ossos

Os ossos são impressionantes por conta própria. São mais fortes do que concreto e aço. Mas então, como conseguimos quebrá-los ou rompê-los? Isso se dá porque eles são incrivelmente flexíveis. De acordo com pesquisas recentes, tudo se deve à maneira como são estruturados.

4 - Olhos

Publicidade
continue a leitura

O olho humano tem cerca de 107 milhões de células, além de sete milhões de cones, que nos ajudam a ver as cores com nitidez. Um fato interessante sobre o olho humano é que ele pisca, aproximadamente, 11.000 vezes por dia, cerca de 4 milhões de vezes por ano. Agora, algo que impressiona mesmo é que, de acordo com recentes estudos, os olhos humanos também são relativamente bons em identificar sabores. Além disso, tais pesquisas mostraram que nossa visão pode até mesmo superar nossas papilas gustativas.

5 - Nariz

Aparentemente, o corpo humano possui mecanismos naturais para detectar DSTs. Um desses mecanismos é o nosso olfato. Um estudo descobriu que as mulheres são capazes de identificar a gonorreia por meio do olfato. Isso foi possível de se constatar a partir de amostras de saliva ou pelo odor liberado pelas axilas dos homens. De acordo com estudos feitos em camundongos, há evidências de que nosso olfato pode ser capaz de detectar muito mais do que DSTs, incluindo outros tipos vírus e parasitas.

6 - Cérebro

Publicidade
continue a leitura

O tempo é uma questão relativa. É agora que temos as ferramentas necessárias para provar isso, sabemos que Einstein estava certo. Nossa percepção do tempo está intimamente relacionada à nossa posição no espaço e é influenciada por muitos outros fatores, aparentemente. De acordo com a ciência, o nosso cérebro desempenha um papel enorme em relação a como percebemos o tempo, podendo até ajustá-lo, se necessário. Tudo isso porque nosso relógio interno, controlado por diferentes partes do cérebro, funciona diferente do tempo real.

7 - Sistema imunológico

O corpo está constantemente lutando contra tumores cancerígenos. Nosso sistema imunológico não para e, diariamente, trava batalhas contra células cancerígenas. Apesar do nosso sistema imunológico ganhar tantas batalhas, o câncer ainda é um problema e um grande enigma para a ciência.

Publicado em: 09/07/19 16h17