• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

7 mistérios militares que nunca foram solucionados

POR Mateus Graff    EM História      22/02/18 às 16h48

E quantas coisas já aconteceram na guerra e nós nem ficamos sabendo? Quantas pessoas já morreram, desapareceram e as causas foram ocultadas? O poder de manipulação de um governo é algo incrível, muitas coisas são feitas as escuras, o que nos deixa amedrontados de saber o que pode vir a acontecer conosco. Pois bem, a história fala por si só, e por isso resolvemos fazer essa matéria.

Fizemos uma seleção de casos de mistérios militares que, por algum motivo, até hoje não foram solucionados. São desaparecimentos inexplicáveis, assassinatos que nunca foram solucionados e coisas do tipo. Então, caros leitores, confiram agora a nossa matéria com os 7 mistérios militares que nuca foram solucionados:

1 - Sumiço de Paul Whipkey

Em 1950, o tenente Paul Whipkey estava em um patamar alto na Força Aérea dos Estados Unidos em Fort Ord, Califórnia. O cara testemunhou os testes de bomba atômica e em 1957 começaram a acontecer coisas estranhas. Ele perdeu todos os dentes, tinha febre constante, perdeu peso e desenvolveu verrugas pretas em todo corpo. Enquanto ele estava no posto de tenente, ele foi visto muitas vezes conversando com dois homens de terno, mas nunca foram identificados. Os colegas notaram que muitas vezes ele estava tenso e ficava estranho depois de ver esses dois homens.

No dia 10 de julho, ele disse as pessoas próximas que estava indo visitar a cidade de Montere, mas nunca mais voltou. Ele fez registro em um hotel a 560 quilômetros da sua cidade do dia em que partiu. Um dia depois, um homem vestido com roupas militares foi visto conduzindo o carro de Whipkey e no mesmo dia o exército fez um limpa do seu apartamento. Sem nenhum sinal do tenente, ele foi classificado como desertor.

Depois de 8 meses os militares começaram a procurá-lo. Seu carro foi encontrado no Vale da Morte e cercado de bitucas de cigarro, algo estranho pois Whipkey não fumava. O curioso é que o exército todos os arquivos de Whipkey em 1977. Anos depois, do nada, mudaram o status do cara de desertor para 'morto em ação'.

Existem muita teorias sobre o que aconteceu com ele. A família e amigos de Paul Whipkey disseram que ele era um ótimo militar e jamais seria desertor. Alguns dizem que ele foi recrutado pela CIA e morreu em uma missão secreta, mas o que mais se fala é que houve um encobrimento militar depois que ele começou a ter consequências sérias por causa da radiação.

2 - Chad Langford

Chad Langfor era um policial militar do Alabama. No dia 2 de março de 1922, com 20 anos de idade, Langford ligou para o seu pai, dizendo que iria fazer um trabalho secreto envolvendo armas e drogas e que ele precisaria ter muito cuidado. Ele também afirmou para seu pai que ficaria sumida por 14 dias. Seus amigos disseram que nessas semanas ele ficou um pouco estranho. Ele colocou brinco na orelha, usava roupas de 'gângster' e andava com pessoas de aparência estranha. Três soldados alegaram que ele estava fazendo planos para roubar um posto do exército.

No dia 12 de março de 1922, Langford estava de plantão. Trinta minutos antes do seu expediente terminar, ele enviou uma mensagem de rádio informando os colegas que ele estava parado ajudando um motorista. Minutos depois ele pediu ajuda. Quando seus colegas chegaram, sua plaqueta de identificação, braçadeira e rádio estavam no chão. Langford estava deitado na estrada com uma bala na cabeça. Ele ainda estava respirando, mas não conseguia falar. Ele morreu e sua morte foi considerada suicídio.

Mas a família de Langford sabia que não era suicídio. Algumas coisas chamavam bastante atenção. Os seus pertences que foram jogados na estrada estavam cobertos de impressões digitais não identificadas. Quando ele foi encontrado, haviam marcas de que sua boca tinha sido tapada, sua mão esquerda algemada e ainda tinha escrito as seguintes palavras: "March 3 Robert". Nunca foi confirmado se ele foi assassinado.

3 - Morte de LaVena Johnson

LaVena Johnson era do estado do Missouri. Lá ela participava de diversos projetos militares e sua maior ambição era abrir uma empresa de música de cinema com seus irmãos. Johnson foi convocada para ir ao Iraque semanas antes de completar 20 anos de idade. Oito dias antes de fazer aniversário, ela foi encontrada morta. Ela foi a primeira soldada a morrer no Iraque, mas sua morte não foi em combate.

No dia da sua morte, ela saiu com um amigo, comprou alguns lanches e foi para sua barraca. Lá, ela queimou algumas cartas de um ex-namorado antes de dar um tiro na boca com um M-16. O legista disse que Johnson havia cometido suicídio e sua família ficou, além de arrasada, confusa. Johnson não tinha histórico de depressão e na noite anterior a sua morte tinha prometido a família que ia estar em casa para o Natal.

Quando os pais de Johnson viram seu corpo, o pai da garota notou algo errado. Seu nariz estava quebrado. O rosto dela também estava machucado, havia arranhões no pescoço e nos lábios, além de alguns dentes quebrados. A família realizou sua própria investigação, e descobriram que os investigadores não encontraram uma bala, ou seja, ela não tinha se matado.

Suas luvas tinham sido coladas eu suas mãos e, quando retiradas, viram que suas mãos tinha graves queimaduras de terceiro grau. Fotografias do local do crime revelaram que ela tinha sido arrastada até a tenda, pois havia um rastro de sangue. Na sua área vaginal havia uma substância ácida que possivelmente foi usada para ocultar evidências de estupro. A família de Johnson está convencida de que ela foi estuprada e assassinada, e atualmente estão pressionando o governo dos EUA a reabrir o caso.

4 - O curioso caso de Richard Hess

Rudolf Walter Richard Hess, foi um político de destaque da Alemanha Nazista. Nomeado Delegado do Führer por Adolf Hitler em 1933, prestou serviço neste cargo até 1941, quando viajou de avião, sozinho, para a Escócia, numa tentativa de negociar a paz com o Reino Unido durante a Segunda Guerra Mundial.

O avião de Rudolf Hess foi derrubado e o nazista de alto escalão foi feito prisioneiro pelos ingleses em maio de 1941. Embora ele afirmasse que levava um acordo de paz entre Inglaterra e Alemanha, ele foi condenado por crimes contra a paz e por conspiração. A pena? Prisão perpétua. Ele passou a maior parte daquele tempo na prisão de Spandau em Berlim e nos últimos 20 anos de sua vida, ele era o único prisioneiro do lugar.

Mas existe teorias estranhas sobre esse caso. Os russos sempre suspeitavam que Hess estava tentando unir secretamente a Alemanha e a Grã-Bretanha para que eles pudessem se unir à Rússia. Dizem que o estado mental de Hess estava debilitado quando ele chegou a Escócia. Mas no momento do julgamento de Nuremberga, ele sofria de amnésia severa e era periodicamente incapaz de lembrar de seus anos como nazista. Bom, muitas pessoas afirmam que o verdadeiro Hess estava escondido e que o homem em Nuremberg que ficou preso até a morte era apenas um impostor. A verdade continua sendo um mistério.

5 - O desaparecimento misterioso do vôo 19

Um incidente misterioso que aconteceu pouco tempo depois da guerra ter terminado e envolveu o exército dos EUA e aeronaves usadas durante a Segunda Guerra Mundial. A história é a seguinte: o tenente Charles Taylor liderou um voo de cinco aviões Avenger TBM em um exercício de treinamento de uma estação aérea naval em Fort Lauderdale, Flórida. Pelo rádio ele reclamou que suas bússolas não estavam funcionando e que ele não sabia onde estava. Depois de voar perdido por horas, os aviões ficaram sem combustível. Nenhum dos soldados foram mais vistos e, portanto, foram dados como mortos.

O inquérito sobre o acidente dizia que a culpa foi de Taylor por ter deixado todos os membros júnior perdidos. Mas será que foi isso que aconteceu mesmo? Grande parte do mistério sobre o acidente giram em torno dos esforços da Marinha para apaziguar a mãe de Taylor. Ela reclamou que o inquérito culpava o seu filho sem ter evidências. Depois disso, eles mudaram para "razão desconhecida". Escritores posteriores envolveriam elementos sobrenaturais em torno da história, criando a lenda do Triângulo das Bermudas.

6 - Yosef Alon

Yosef Alon nasceu em 1929 na Tchecoslováquia. Depois da guerra, ele se tornou piloto da Força Aérea de Israel em 1947. Ele ficou por lá cerca de 20 anos. Na década de 1970 ele já era muito respeitado, tanto que foi nomeado a uma posição de alto perfil em Washington para a Embaixada de Israel. A experiência de Alon como piloto de caça que tinha servido cerca de 75 missões durante a Guerra da Independência foi altamente considerada em Washington.

Em 1973, depois de um jantar na Embaixada de Israel, ele voltou para casa do sua esposa Devora, em Maryland. Devora escurou cinco tiros depois que entrou em casa, e quando olhou na rua, seu marido estava caído no chão. Devora chamou a polícia enquanto suas filhas socorriam o pai. Alon morreu no hospital pouco tempo depois.

Apesar da cobertura da mídia nacional sobre interesse pessoal de Henry Kissinger, que era o secretário de Estado da época, nenhum suspeito foi identificado pelo assassinato de Alon. O caso provou ser um terreno fértil para as teorias de conspiração, incluindo a possibilidade de que Alon fosse parte da Agência de Inteligência israelense ou que ele tenha sido morto porque descobriu que o ministro da Defesa israelense estava espionando os EUA. Alguns até especularam que o assassinato foi motivado por motivos românticos. A verdade até hoje não foi revelada.

7 - Batalha imaginária de Los Angeles

Poucos meses depois de Pearl Harbor, os americanos estavam com medo de que os japoneses atacassem novamente. Em fevereiro de 1942, por exemplo, um submarino japonês bombardeou o campo petrolífero de Ellwood, que ficava próximo à Santa Barbara. Bom, no mesmo mês houve um ataque de histeria coletivo, que começou com o desaparecimento de um balão meteorológico. Depois disso, fogos foram lançados no ar para detectar possíveis ameaças e avisar sobre perigo.

Como as pessoas estavam um tanto traumatizadas, os sinais no céu foram interpretados como um ataque. Nisso, uma série de medidas antiaéreas foram tomadas e o alerta permaneceu por incríveis três noites, sem que nada acontecesse. Bom, três pessoas morreram de ataque cardíaco nesse tempo e mais três por fogo-amigo. Nenhum avião japonês foi visto e ninguém declarou intenção de atacar Los Angeles. Muita gente diz que os clarões eram Ovnis. Até hoje existem dúvidas sobre o que realmente aconteceu nesse dia.

E aí, já conheciam todos esses mistérios? Comentem!




Matérias selecionadas especialmente para você

Mateus Graff
https://www.instagram.com/mateusgraff/ https://www.facebook.com/mateus.adjutomartinsgraff
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+