7 razões pelas quais o Flash de Liga da Justiça é melhor que o da série

POR Gabi Noronha    EM Fatos Nerd      06/12/17 às 15h41

Antes da estreia de Liga da Justiça houve certa preocupação a respeito de como Flash seria retratado. Ele seria apenas o alívio cômico do grupo? Os fãs sabem que a personalidade do personagem é de uma pessoa mais otimista e com grande senso de humor. Contudo, ainda havia a preocupação de exagerarem nas piadas de Barry Allen. Por sorte, e muito graças também graças a Ezra Miller, o longa apresentou um Flash que o público merece. Pelo que foi mostrado em Liga da Justiça, o herói já explorou bastante seus poderes, no entanto, ele é bem inexperiente em relação a combates. Apesar disso, ele acredita em si mesmo.

Atualmente, Miller não é o único Flash em atividade, já que Grant Gustin também interpreta o Velocista Escarlate na televisão. A série está em seu quarto ano e tanto a história como o próprio herói ainda divide opiniões entre o público. Desde o lançamento do filme, as comparações não param de acontecer. Boa parte dos fãs acredita que o herói do cinema leva uma considerável vantagem em cima do da televisão. Pensando nisso, resolvemos discutir um pouco alguns motivos que fazem o Flash do filme ser melhor que o da CW.

1 - Sem dramas

Algumas pessoas chegaram a parar de acompanhar a série porque não aguentavam mais todo o drama na vida de Barry Allen. No início do programa era até compreensível o personagem estar na pior e precisar de certo incentivo para seguir em frente. Afinal, ele havia acabado de despertar de um coma e descobrir que adquiriu superpoderes. Sua vida mudou por completo. Ele decidiu fazer algo de útil com isso e se tornar um herói. Porém, para Barry ser o Flash ele sempre precisava de discursos motivacionais. Eles vinham de todos os lugares e continuaram assim por mais três temporadas. Enquanto isso, o Flash até deseja amigos, mas sabe muito bem do que é capaz de realizar com suas habilidades.

2 - Um lugar no mundo

O Barry Allen do cinema é uma pessoa solitária que tenta provar a inocência do pai enquanto procura descobrir o que mais é possível fazer com os poderes que tem. Por outro lado, o Flash da televisão tem quase uma vida normal: tudo que um herói desejaria. Ele tem um emprego estável, amigos, mentor, namorada e atua como herói sempre que necessário. Ainda assim, ele não consegue encontrar seu lugar no mundo, mesmo depois de conseguir tirar seu pai da prisão. Na CW, o Flash não consegue acreditar em si mesmo e nem decidir que caminho seguir na vida.

3 - Uniforme

Visualmente o traje de Flash no cinema tem uma composição melhor. Isso porque além de ser mais atrativo, ele também representa bem a genialidade do personagem. Barry Allen não é apenas um velocista, ele também é um cientista. No filme, o próprio herói que desenvolveu seu uniforme e isso é notável. O traje parece remendado, no entanto, é eficaz para acompanhá-lo. O Flash da CW nem isso foi capaz de fazer. Se não fosse por Cisco, será que Barry teria um uniforme? Toda a criação e as modificações feitas da roupa são feitas por terceiros. Além disso, o traje foi ganhar vida mesmo apenas quatro anos depois do início da série. Já que atualmente ele está mais representativo.

4 - Barry Allen que vale

Se no começo houve preocupações em relação a como Ezra Miller retrataria Barry Allen, ela foi eliminada na primeira exibição do filme. Podemos dizer que o ator compreendeu muito bem como é o personagem. Brincalhão, inteligente, otimista e um tanto quanto ingênuo. Esses foram os elementos mais trabalhos por Miller para dar vida ao herói. Já Grant Gunstin, não é de todo ruim. Ele concede ao personagem boa carga emocional, mas suas ações e personalidade são bem diferentes do original. O Flash do cinema é uma versão live action dos quadrinhos, já o da televisão parece uma versão inédita.

5 - Dependência

Embora o filme solo de Flash ainda esteja por vim, em Liga da Justiça podemos ter uma ideia de que Barry já atuava sozinho algumas vezes. Nada tão grandioso, mas deter um assalto aqui ou salvar uma vida ali. Na televisão o herói é totalmente dependente de sua equipe. Claro, por ser um formato diferente de conteúdo, colocar Flash atuando com o reforço de um grupo não é tão ruim assim. Contudo, o personagem raras vezes consegue tomar uma decisão sozinho e quando a faz acaba em tragédia.

6 - Representação da velocidade

Aqui o problema não é roteiro e nem atuação, mas orçamento. Pode ser injusto comprar a verba que uma série de televisão recebe a que um filme ganha para suas produções. Por isso, quando Flash precisa correr na série, ele até libera alguns raios, mas nada se compara com a quantidade que sai de Barry no cinema. Antes mesmo de o herói começar a se mexer, o cenário fica repleto de raios. Infelizmente, a diferença orçamentária limita os poderes do heróis relacionados ao raio. Tanto que na televisão, Flash o usa poucas vezes.

7 - Poderes travados

Na televisão Flash já está na quarta temporada e mesmo assim a lista de momentos extraordinários do herói é pequena. O personagem tem habilidades incríveis que permanecem pouco exploradas no universo da CW. Sem contar que ele poucas vezes realmente conseguiu ser o homem mais rápido vivo. O Barry Allen apareceu pouco no cinema e mesmo assim já mostrou potenciais admiráveis. Ele conseguiu dar energia suficiente a Caixa Materna para trazer Superman de volta a vida. Imagina o que não fará em seu filme solo.

Concorda com os itens apontados? E por que não? Compartilhe sua opinião com a gente!

Via   CBR  
Gabi Noronha
Khaleesi do horror, mantedora da zoeira e entusiasta da cultura pop! @gabinoronhaf

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+