• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

7 reis e rainhas mais cruéis de toda a história

POR Mateus Graff    EM História      31/07/18 às 17h06

A tirania, segundo o dicionário, "era uma forma de governo usada em situações excepcionais na Grécia em alternativa à democracia. Nela, o chefe governava com poder ilimitado, embora sem perder de vista que deveria representar a vontade do povo." Mas não só não Grécia existiram tiranos, na verdade, no decorrer na história existiram vários reis e rainhas que cometeram verdadeiras atrocidades.

É como os ditadores do mundo moderno, só que muito piores. Pois bem, nós separamos para vocês alguns governantes que mataram, torturaram, estupraram e fizeram outras coisas terríveis simplesmente porque gostavam. Então, caros leitores, confiram agora a nossa matéria com os 7 reis e rainhas mais cruéis de toda a história:

1 - Rainha Ranavalona

Ranavalona I nasceu em 1788 em Madagascar, onde era uma simples filha de plebeus. Mas como seu pai descobriu uma conspiração que envolvia o assassinato do futuro rei do país, ele foi recompensado pelo monarca. Ele se propôs a adotar Ramavo (nome original da rainha Ranavalona I) e casá-la com seu filho, Radama. Anos depois Radama se tornou rei e Ranavalona a primeira de suas 12 esposas. Caso os dois tivessem filhos, seriam os primeiros da linhagem de sucessão. Mas eles nunca conseguiram ter filhos e na época o herdeiro seria Rakotobe, sobrinho de Radama.

Mas de acordo com suas tradições, os filhos que Renavalona tivesse seriam considerados filhos de Radama. Isso ameaçava a posição de Rakotobe, que logo pensou em matá-la. Mas a futura rainha era esperta e já tinha muitos que lutariam ao seu lado, como militares e pessoas que eram inimigas de Rakotobe.

Bom, no dia 12 de junho de 1829, a filha de plebeu se tornou rainha e um dos seus primeiros atos foi mandar matar Rakobe, sua mãe e alguns parentes. Além de cruel, a rainha parecia ser louca. Ela expulsou missionários, jogou fora acordos comerciais feitos com a França e Inglaterra e até teve batalhas contra a marinha francesa.

Quer mais exemplos de crueldades? Bom, quando um de seus amantes foi pego com outra mulher, Renavalona mandou degolar o homem. Depois da batalha contra ingleses e franceses, cerca de 21 cabeças de soldados foram espetadas em pedaços de madeira como um aviso do que poderia acontecer com quem a desafiasse.

2 - Imperador Murad IV

Murad IV era filho do sultão Ahmed I, do Império Otomano. Murad subiu ao poder logo quando tinha entre 11 e 14 anos. Muitos historiadores falam sobre o sucesso do governo de Murad em comparação aos seus antecessores, mas eles esquecem também da tirania de Murad.

Ele nasceu em uma época que todo o seu reino estava sofrendo ataques e isso acabou fazendo com que ele adotasse a violência que viu durante toda a vida para usar como quiser.

Ele matou seus irmãos, proibiu fumar e tomar café em todo o seu império. Os que desobedecem suas regras eram enforcados ou empalados em público. Assim como a maioria dos tiranos fazia nessa época, as vítimas eram exibidas em público para que servissem de exemplo para a população.

Historiadores também contam sobre uma vez que ele afogou um grupo de mulheres porque elas dançavam e matou todos os seus músicos porque eles tinham cantado uma música persa.

3 - Heliogábalo

Roma deu ao mundo grandes artistas, pensadores, inventores e grandes mentes que são conhecidas até hoje. Mas Roma também deu ao mundo alguns governantes notórios e excêntricos, como Nero e Calígula. Ah, mas também podemos citar Heliogábalo, por exemplo.

Heliogábalo, também conhecido como Elagábalo, foi um imperador romano da dinastia severa durante os anos de 218 a 222. Sua mãe Júlia Soémia era de origem síria e seu pai chamava-se Sexto Vário Marcelo. Durante sua juventude, serviu como sacerdote do deus El-Gabal na cidade natal da família de sua mãe, Emesa, na província da Síria.

No ano de 217, o imperador Caracala foi morto e substituído pelo seu prefeito do pretório, Marco Opélio Macrino. A tia materna de Caracala, Júlia Mesa, instigou com sucesso uma revolta entre a Terceira Legião para ter o seu neto mais velho, Heliogábalo, declarado imperador.

Macrino foi derrotado em 218, na Batalha de Antioquia, depois da qual Heliogábalo, com apenas 14 anos de idade, ganhou o poder e começou um reinado marcado por escândalos sexuais e controvérsias religiosas.

As atrocidades eram terríveis. Ele fez sacrifícios humanos, construiu uma torre para quem gostaria de cometer suicídio e via pessoas morrendo enquanto se satisfazia com fartos banquetes.

4 - Al Hakim

Al Hakim era filho do califa Al Aziz e foi proclamado seu herdeiro em 993 quando seu irmão mais velho, Muhammad, veio a falecer. Em 996, com apenas 11 anos, ele sucedeu o seu pai no trono. Ele adotou o nome de Al Hakim Bi Amr Allah, que significa "aquele que governa pela ordem de Deus".

Quando chegou ao poder, a tradição de tolerância dos seus antecessores foi quebrada. Começou então uma perseguição a cristãos e judeus, destruindo templos e matando os peregrinos. A justificativa dada era, principalmente, para as cruzadas.

O tirano proibiu as mulheres de saírem às ruas e para garantir até confiscou os sapatos. Ele mandou matar todos os cães de Cairo. Bom, sendo um fanático islâmico, ele cometeu uma das maiores heresias possíveis: aceitou ser chamado de Deus na Terra. Ele morreu no dia 13 de Fevereiro de 1021 por circunstâncias desconhecidas numa colina próximo da cidade do Cairo.

5 - Valéria Messalina

Já ouviu falar nessa mulher? Valéria Messalina? Esta mulher também conhecida somente como Messalina, era a terceira esposa do imperador Cláudio. Ela era também prima pelo lado do pai de Nero, prima de segundo grau de Calígula e sobrinha-bisneta de Augusto.

Com um temperamento menos violento, ela ficou famosa por "apunhalar" seu marido centenas de vezes, traindo-o com outros homens. O casamento durou dez anos, tempo que ela se fez passar por prostituta numerosas vezes. Ela até chegou a fazer uma competição com uma delas, para ver quem fazia sexo com mais homens em 24 horas.

Messalina venceu, com 25 parceiros. Em 48 D.C, armou um complô com um de seus amantes para matar Cláudio. O plano foi descoberto antes de ser posto em prática, e ela foi executada.

6 - Átila, o Huno

Átila, o Huno, também conhecido como Praga de Deus ou Flagelo de Deus, foi o rei dos hunos, que governou o maior império europeu de seu tempo desde o ano 434 até sua morte em 453. O seu império estendia-se desde o Rio Ural (Rússia) até à Alemanha e do Mar Báltico até ao Rio Danúbio.

Ele era um bárbaro, sedento de sangue que adorava a batalha. O seu objetivo era destruir o império romano e todos os que atravessassem o seu caminho. A sua crueldade ficou tão conhecida que as pessoas acreditavam que ele era uma destruição enviada pelos deuses.

Matava e torturava todos os que se intrometessem entre ele e seus objetivos, quer fossem inimigos, o próprio povo ou até a família (ele matou dois filhos e um irmão).

7 - Calígula

E finalmente chegamos ao cara mais insano dessa lista. Estamos falando do terceiro imperador de Roma. O cara era terrível, sendo selvagem, sádico, extravagante e que adorava aventuras sexuais. Nos primeiros 3 meses de seu reinado, mais de 160.000 animais foram sacrificados. Ele acreditava ser um deus e a lei tornou-se um instrumento de tortura. Ele acreditava que os prisioneiros deviam sentir uma morte dolorosa. Quer saber um pouco das atrocidades cometidas por Calígula? A gente conta as mais cruéis.

Ele começou a assassinar brutalmente por diversão. Ele matava seus oponentes de forma lenta e dolorosamente durante horas ou dias. Ele decapitou e estrangulou crianças. Pessoas foram agredidas com correntes pesadas. Ele forçou as famílias a assistir a execução de seus filhos. Muitas pessoas tiveram suas línguas cortadas. Ele alimentou leões, panteras e ursos com presos ou gladiadores mortos.

Sua crueldade levou as pessoas a cometerem suicídio. Ele exigiu sexo com um monte de mulheres, incluindo suas três irmãs. Ele forçaria os maridos a desistirem de suas esposas. Ele levou muita gente a morrer de fome. Ele gostava de mastigar os testículos das vítimas. Em 41 dC, Calígula foi assassinado por Casius Chaerea, um homem a quem Calígula havia zombado na corte por sua afeminação.

E aí, já conhecia todas essas pessoas e seus atos cruéis? Comente!

Próxima Matéria


Matérias selecionadas especialmente para você

Mateus Graff
https://www.instagram.com/mateusgraff/ https://www.facebook.com/mateus.adjutomartinsgraff
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+