A árvore genealógica que conecta 13 milhões de pessoas no mundo
Tempo de leitura:2 Minutos, 5 Segundos

A árvore genealógica que conecta 13 milhões de pessoas no mundo

Você sabe o que é uma árvore genealógica? Caso a resposta seja não, a gente explica para vocês. “Uma árvore genealógica é um histórico de certa parte dos antepassados de um indivíduo ou família. Mais especificamente, trata-se de uma representação gráfica genealógica para mostrar as conexões familiares entre indivíduos, trazendo seus nomes e, algumas vezes, datas e lugares de nascimento, casamento, fotos e falecimento.”

Ou seja, é uma maneira de vermos quem foram os nossos antepassados e as nossas conexões com outras pessoas que fazem parte da nossa família e as vezes nem damos notícia. E se te contarmos que recentemente foi descoberto uma árvore genealógica com 13 milhões de pessoas conectadas, você acreditaria?

Graças a informações de um site chamado Geni.com, alguns pesquisadores conseguiram fazer essa grande descoberta que talvez até você esteja envolvido. A gente explica melhor essa história.

Árvore genealógica com 13 milhões de pessoas

A descoberta foi publicada na revista Science e mostra o estudo realizado por norte-americanos e israelenses. A intenção do estudo era entender de que maneira informação culturais e genéticas se espalharam pela América do Norte e Europa no último milênio.

Essa árvore permite também visualizar até alguns fenômenos sócio-econômicos causados por acontecimentos com o passar do tempo. O grande número de mortes na I e II Guerra Mundial e na Guerra Civil dos EUA são alguns exemplos de acontecimentos que influenciaram.

Foi possível calcular também que até meados do século 18 as pessoas se casavam com parceiros que moraram perto delas, geralmente a até 10 quilômetros de onde elas nasciam. Já no século 19, as pessoas se casavam com pessoas que moravam em média 19 quilômetros de distância.

Joanna Kaplanis, estudante de doutorado e coautora do artigo, diz que o aumento da distância e as mudanças culturais são consequências da diminuição de casamentos entre pessoas da mesma família. Ela firma que “antes de 1850, a média de parentesco genético de um casal estava na ordem de primos de quarto grau”.

O tempo de vida das pessoas também foi algo estudado pelos pesquisadores. Com o passar dos anos, as pessoas começaram a viver mais tempo. Segundo o estudo, a genética é responsável por apenas 16% dessa evolução e a nutrição e estilo de vida são as chaves para ter uma vida mais longa. Vocês podem encontrar mais informações sobre a pesquisa no site FamiLinx.org.

Gostaram do estudo? Acharam legal a influência das relações das pessoas e no estilo de vida? Não esqueça de comentar aqui embaixo.