Curiosidades

Americano recebe indenização milionária por festa de aniversário surpresa

0

Normalmente, quando pensamos em uma festa de aniversário, nos lembramos de coisas boas. Os amigos e família reunidos, comidas gostosas, presentes e um ambiente agradável, mudando o cenário conforme vamos crescendo. Pode ser em casa, na escola, ou até mesmo no trabalho. Mas nem todas as comemorações são recebidas pelas pessoas da mesma forma.

Podemos ter a certeza disso por conta desse caso. O homem de Kentucky, nos Estados Unidos, processou a empresa onde ele trabalha por eles terem lhe feito uma festa de aniversário surpresa. Ele não só processou, como ganhou a ação no valor de 450 mil dólares, o equivalente a 2,1 milhões de reais.

O fato foi que Kevin Berling tinha avisado seu chefe previamente que uma festa surpresa lhe provocaria estresse e ansiedade. Mas parece que o chefe não deu muita atenção a isso. Segundo Kevin, a festa feita em 2019 na Gravity Diagnostics lhe causou uma série de ataques de pânico.

Festa

Convenia

De acordo com a ação movida por Berling, que já sofre com transtornos de ansiedade, ele pediu ao seu gerente que não comemorasse seu aniversário no trabalho como normalmente era feito para os outros funcionários. Até porque, a festa poderia gerar nele um ataque de pânico e seria um gatilho para memórias desconfortáveis da sua infância.

Mesmo com o pedido feito por Berling, a empresa, especializada em testes de covid-19, fez uma festa surpresa para ele em agosto de 2019. Como resultado, a comemoração provocou ataque de pânico no homem. Dessa forma, Berling saiu rapidamente da festa e terminou seu almoço no carro.

Segundo o processo, o homem foi “confrontado e criticado” por conta da sua atitude em uma reunião no dia seguinte à festa, além de ter sido acusado de “acabar com a alegria dos colegas de trabalho” e “de ser um maricas”.

Processo

Peticiona mais

Por conta dessa reunião, Berling diz no processo que isso o gerou um segundo ataque de pânico. Como resultado, o homem ficou em casa nos dias seguintes. No dia 11 de agosto, a Gravity Diagnostics o demitiu, alegando preocupações com a segurança no local de trabalho.

Foi então que o homem entrou com processo contra a empresa dizendo que eles o discriminaram por conta de sua deficiência, e que ele foi alvo de uma retaliação injusta por ter apenas feito o pedido de não querer um festa na empresa.

O julgamento do processo foi feito em dois dias. No fim de março, o júri decidiu conceder a Berling a indenização de 450 mil dólares, dos quais 300 mil foram por sofrimento emocional e 150 mil por conta dos seus salários perdidos.

De acordo com Julie Brazil, chefe do escritório de operações da empresa, a Gravity Diagnostics mantém sua decisão de demitir Berling. Ela disse que o homem violou uma “política sobre violência no local de trabalho”. “Meus funcionários foram as vítimas neste caso, não o demandante”, disse ela.

Cuidados

Saúde interior

No entanto, Tony Bucher, o advogado de Berling, disse que “não havia absolutamente nenhuma evidência” de que o homem representasse uma ameaça para qualquer pessoa na Gravity para justificar sua demissão.

“Ele teve um ataque de pânico. Isso é tudo. E, como os representantes da Gravity Diagnostics não entenderam sua resposta de pânico e ficaram nervosos com sua resposta, eles assumiram que ele era uma ameaça. Assumir que pessoas com problemas de saúde mental são perigosas sem qualquer evidência de comportamento violento é discriminatório”, disse o advogado.

Segundo os dados do grupo “National Alliance on Mental Illness”, mais de 40 milhões de americanos sofrem de transtornos de ansiedade. Esse número representa quase 20% de toda a população do país.

Fonte: BBC

Imagens: Convenia, Peticiona mais, Saúde interior

Final de semana deveria ter 3 dias para maior produtividade, diz ciência

Matéria anterior

Anitta é acusada de manipular algorítimo do Spotify com Envolver

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos