Entretenimento

Band anuncia fim de canal por falta de audiência a patrocinadores

0

Por mais que a melhora da tecnologia da comunicação deixe alguns meios menos populares, isso não quer dizer que eles deixarão de existir completamente. Por exemplo, mesmo que a geração mais nova não veja tanto televisão, ela ainda existe e tem seu público. No entanto, essa não é a realidade de alguns canais, como o caso do canal Smithsonian Brasil, da Band.

O canal do Grupo Bandeirantes estava perto de fazer quatro anos de atividade no Brasil, mas logo no fim de dezembro ele foi descontinuado. Isso aconteceu porque o canal não tinha audiência e nem anunciantes. Por conta disso, como o resultado não foi o mesmo sucesso visto em outros países, a Band resolveu acabar com ele bem na véspera de Ano Novo.

“A Astartê, companhia ligada à Newco Programadora e Distribuidora, informa que o canal Smithsonian Brasil deixa de fazer parte de seu portfólio neste dia 31 de dezembro, portanto encerrando sua exibição por operadores de televisão por assinatura. O canal, parceria entre a Astartê, a Showtime –agora Paramount– foi lançado no Brasil há três anos e conquistou importância significativa no audiovisual”, disse a empresa através de uma nota.

Canal

Canaltech

O canal estreou no Brasil em abril de 2019, e desde essa época ele já levantava dúvidas por ser um canal muito nichado e ter um conteúdo para um público muito premium. Para se ter uma ideia, o canal transmitia documentários sobre museus, artes plásticas, cultura e um pouco de tecnologia.

Logo no início, as operadoras de televisão a cabo Claro TV e Sky distribuíam o Smithsonian Brasil, mas em junho de 2022 a Sky retirou o canal do seu catálogo. E enquanto ele ainda existia no país, foi distribuído pelos streamings Pluto TV e Paramount+.

Estranhos

Portal de planos

Mesmo com os streamnigs, os canais de TV ainda têm uma grande variedade. Tanto é que planos de televisão a cabo com 200 canais ou mais ainda são uma realidade. O fato é que com tantas opções as pessoas acabam ficando perdidas com relação ao que assistir, ou então nem sabem sobre a existência de determinado canal. Além do mais, novos canais estão sempre surgindo, sejam eles bons ou nem tanto, como por exemplo, o Puppy Channel.

Esse canal surgiu em 1997, quando a programação da televisão se resumia a novelas ruins e ao julgamento de OJ Simpson. O intuito do canal era fazer as pessoas relaxarem. E sua programação? Vinte quatro horas com filmagens de filhotes. O canal permaneceu por alguns anos até o boom da internet.

Outro exemplo é o RTV Politika. Ele ficou no ar por pouco mais de 10 anos, e era conhecido como o canal de filmes gratuitos que ainda nem saíram no cinema. Ele recebia filmes piratas e tinha o objetivo de desviar a atenção do fato de que seu governo estava desmoronando.

Além desses, na década de 1960, o WLBT Jackson, originário do Mississippi, decidiu ir contra os direitos civis e banir de sua programação os noticiários e qualquer programa que tivesse pessoas negras ou mencionasse os direitos civis. Na sede do canal até tinha uma livraria de supremacia branca.

Em ritmo contrário a esse canal da década de 1960, esse criado em 1952 foi o primeiro canal educacional de TV. Chamado Televisão Nacional da Educação, eles que trouxeram a Vila Sésamo para o mundo e depois fizeram de tudo para se distanciar disso. Em 1963, eles começaram a exibir documentários que abordavam temas como pobreza e racismo. Isso irritou várias pessoas porque esses documentários eram exibidos para as crianças. Depois de um documentário sobre os conselheiros do governo Nixon ir ao ar, uma investigação do FBI viu que as crianças estavam aprendendo demais e o canal foi fechado.

Fonte: IG

Imagens: Canaltech, Portal de planos

Uber e motoboy podem levar o dobro de pontos na CNH com nova multa

Previous article

Celulares mostraram localização para o ataque que matou dezenas de soldados russos

Next article

Comments

Comments are closed.