Curiosidades

Casal de quatro pessoas não sabe quem é o pai dos filhos que gerou

0

O poliamor está no ar, e o que para alguns pode parecer uma confusão, para outras pessoas trata-se de uma maneira de viver baseada na harmonia. Nesse sentido, um casal inglês de quatro pessoas não vê diferença em saber quem é o pai biológico dos filhos que a múltipla união gerou.

A afirmação foi feita por uma das mães dos bebês, Taya Hartless, durante entrevista para o jornal The Mirror. Segundo ela, a família sofre muito preconceito mas garante que os filhos recebem muito amor de todos os integrantes do quarteto.

Fonte: Reprodução / Facebook

Uma vida à quatro

A princípio, Taya mantinha um matrimônio com Sean, porém, o casal de duas pessoas costumava se abrir para a entrada momentânea de novos integrantes. Dessa forma, a dupla acabou conhecendo Alysia, a qual tinha um casamento com Tyler. Logo, as duas duplas criaram uma forte química entre todas as quatro partes envolvidas, e assim, o quarteto resolveu morar todo mundo junto.

A propósito, cada casal já possuía um filho, formando assim uma família de quatro adultos e duas crianças. No entanto, no decorrer da convivência múltipla, outras duas gestações se deram, e em pouco tempo, o lar já abrigava quatro crianças.

Nesse sentido, por haver dois homens na casa, os sujeitos próximos da família ficam se interrogando quem é o pai da prole que se gerou com o poliamor. Porém, dentro da casa de Taya e companhia, isso não é uma curiosidade latente. “Não nos importamos. Nós não sabemos e não queremos saber, decidimos que todos seríamos pais de todos eles”, diz ela.

Fonte: IG News

Dessa forma, os filhos do lar consideraram tanto Tyler quanto Sean como seus pais. Além disso, elas criaram formas de diferenciar os dois na hora de chamar somente um deles. Enquanto Tyler é chamado de “pai“, Sean é chamado de “papai”. Da mesma forma, Alysia é a “mãe” e Taya é a “mamãe”.

Apesar das desconfianças externas, Taya diz que ela se considera mãe de todos, independente se o bebê saiu dela ou não. “Eu fiquei em casa com eles desde que eles tinham alguns meses e não há nada que mudaria meu relacionamento com eles se eu estivesse biologicamente conectada a eles. Acho muito fácil amar um filho de qualquer uma das pessoas que amo, isso é o mesmo para todas as crianças”, desabafa ela.

Preconceitos e críticas

De acordo com uma das mães do quarteto, as pessoas tendem a olhar torto quando percebem que não estão vendo dois casais de amigos, e sim uma união poliamorosa. Ainda segundo ela, até mesmo amigos e familiares chegaram a cortar contato por não concordarem com a forma desse núcleo familiar de quatro adultos e quatro crianças.

Além disso, ela diz que nem sempre foi fácil conviver com a ideia de viver uma vida a quatro. Ela teve dificuldades no início de lidar com ciúme que sentia de seu marido Sean. No entanto, isso já é uma concepção natural para todas as pessoas da casa em que Taya mora, inclusive para as crianças do quarteto. Por isso, diferente do que as pessoas ao seu redor pensam, ela não vê o estilo de vida como algo errado.

Fonte: The Mirror / Reprodução

A mãe só vê vantagens no fato dos filhos dela terem quatro referências maternas ou paternas, pois, na visão dela, é enriquecedor mostrar quatro formas diferentes de se ver o mundo. Por isso, ela pede que as pessoas deixem seus preconceitos de lado, visto que ela não entende como alguém pode ficar com raiva por conta da forma com que ela se relaciona.

Fonte: Aventuras na História.

Netflix lança nova política sobre demissão de funcionários

Matéria anterior

Elas contam por que decidiram fazer celibato e estão há 2 anos sem sexo

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos