Todos nós sabemos sobre a importância de fazer exercícios físicos constantemente. Isso porque a prática de desportos produz melhorias, não somente estéticas, como também condicionamento para o praticante. Especialistas recomendam ao menos uma caminhada por dia, pois isso aumenta a produção de endorfinas, diminui a tensão muscular e abaixa o hormônio do estresse.

Além de tudo isso, as pessoas procuram, é claro, a perda de peso. O levantamento de peso, que também é conhecido como treinamento de resistência é praticado há séculos como uma maneira de aumentar a força muscular.

Segundo mostram pesquisas, esse treinamento de resistência, seja feito com peso corporal, elásticos ou máquinas, halteres ou pesos livres, não ajuda somente a ganhar força. Ele também melhora o tamanho do músculo além de ajudar a neutralizar a perda muscular que está associada à idade.

Recentemente, esse tipo de treinamento ficou popular entre as pessoas que querem perder peso. Por mais que exercícios como corrida e ciclismo sejam eficazes para diminuir a gordura corporal, eles podem também diminuir o tamanho do músculo. Isso leva a músculos mais fracos e uma maior perda de peso percebida. Até porque o músculo é mais denso do que a gordura.

Entretanto ao contrário dos exercícios aeróbicos, as evidências mostram que o treinamento de resistência não somente tem efeitos benéficos na diminuição de gordura corporal, mas também aumenta o tamanho e a força muscular.

Publicidade
continue a leitura

Queima pós-treino

Quando as pessoas fazem exercício os músculos delas precisam de mais energia do que quando estão descansando. A energia vem da capacidade dos músculos quebrarem a gordura e os carboidratos armazenados nos músculos, fígado e tecido adiposo, com a ajuda de oxigênio.

Por conta disso, as pessoas respiram mais rápido e o coração trabalha mais para conseguir bombear mais oxigênio, gordura e carboidratos para os músculos em exercício.

Publicidade
continue a leitura

O menos óbvio é que depois que os exercícios acabam, o consumo de oxigênio ainda continua elevado para restaurar os músculos ao seu estado de repouso. Quebrando gordura armazenada e carboidratos. Isso se chama consumo excessivo de oxigênio pós-exercício (CEOPE). Ele descreve quanto tempo a captação de oxigênio permanece elevada depois do exercício para ajudar os músculos a se recuperarem.

A duração desse efeito de queima pós-treino é determinada pelo tipo, duração e intensidade do exercício. E também pelo nível de aptidão e dieta. E os mais eficazes para elevar essa queima de curto e longo prazo são o treinamento de alta intensidade (HIIT) e o treinamento de resistência de alta intensidade.

Perda de gordura

Publicidade
continue a leitura

O treinamento de resistência também é eficaz para o controle de peso a longo prazo. Isso acontece porque o tamanho do músculo tem um papel importante na determinação da taxa metabólica de repouso (TMR), que é quantas calorias o corpo precisa para funcionar em repouso.

O aumento do tamanho do músculo por conta do treinamento de resistência aumenta a TMR. Consequentemente, isso aumenta ou sustenta a perda de gordura ao longo do tempo.

Uma revisão foi feita em 18 estudos e foi descoberto que o treinamento de resistência foi eficaz no aumento da taxa metabólica de repouso. Já os aeróbicos e exercícios aeróbicos combinados com de resistência não foram tão eficazes.

Entretanto, mesmo com essa eficácia é importante controlar a ingestão de calorias para perder gordura e manter a perda de gordura. O treinamento de resistência ajuda na perda do excesso de gordura. Isso aumenta tanto  queima pós-treino depois do exercício, como o tamanho do músculo. Então número de calorias que são queimadas em repouso aumenta.

Publicado em: 09/10/20 12h44