Curiosidades

Cientistas investigam suposta “múmia de sereia” de 300 anos que teria sido capturada em 1700

0

Desde sempre, os humanos buscam entender os seres mitológicos, e uma múmia de sereia certamente aumentaria o interesse por essa figura fantástica.

Existem milhares de relatos marítimos, desde os tempos antigos, até contos de fadas, que falam sobre as mulheres peixe. Atualmente, é uma figura que permanece na consciência coletiva e inspira centenas de contos.

No Japão, existe uma narrativa famosa há séculos, sendo uma das primeiras histórias sobre o tema. Foi ela que começou a inspirar outras investigações e até mesmo confábulas sobre o que seria a verdade.

Entre 1736 e 1741, ao largo da atual Prefeitura de Kochi, pescadores fizeram uma captura extraordinária em suas redes. Era uma espécie de múmia de sereia. Longe da imagem encantadora das lendas, essa criatura era uma fusão peculiar entre peixe e macaco.

No entanto, além da estranheza dessa tal múmia, a história ganha uma reviravolta ainda maior quando descobrimos que a tal criatura mora no templo Enjuin em Asakuchi.

Via Revista Planeta

Não se trata apenas de uma exibição curiosa; os habitantes locais a veneram genuinamente.

Recentemente, durante a pandemia de coronavírus, o chefe sacerdote expressou que muitos buscavam na múmia uma fonte de alívio.

Suas palavras, que saíram no noticiário japonês Asahi, refletiram uma crença sincera e reverência: “Nós a veneramos, esperando que pudesse ajudar a aliviar a pandemia de coronavírus, mesmo que apenas um pouco”.

Mistério inexplicável

Contudo, como é comum em fenômenos que parecem envoltos em mistério ou sobrenaturalidade, sempre existe uma parcela da sociedade que se aproxima com ceticismo.

Afinal, é difícil acreditar que existam sereias no oceano, ainda mais que uma múmia tenha se formado. A figura de macaco, a cauda de peixe e a visão estranha não convencem muitas pessoas.

Além disso, muitos afirmam que a “sereia” não passa de um arranjo engenhoso, um macaco costurado a um peixe.

De modo geral, a pergunta que fica é: seria uma estátua genuína ou uma farsa muito bem contada?

Se você tem essa dúvida, saiba que estamos próximos de ter uma análise definitiva, pois a múmia de sereia seguiu para análise. Pela primeira vez, uma equipe de especialistas entenderá do que se trata essa estátua pecular.

Os estudos serão de uma equipe da Universidade de Ciência e Artes de Kurashiki, que lidera essa exploração, transferindo temporariamente a sereia de seu santuário no templo para realizar tomografias.

Além disso, a investigação não se limitará apenas a imagens; eles coletarão amostras de DNA para identificar quais animais estão presentes nessa combinação. Dessa forma, conseguirão saber se foi um ser humano que produziu tal criatura.

Estudo da múmia de sereia é antigo

As questões que envolvem a múmia de sereia não são recentes. Essa narrativa já passou por outros exames científicos antes, mas nunca de maneira tão intensa e dedicada.

No passado, uma “sereia” parecida acabou sendo apenas um peixe preso a fios e madeira, enrolado com cabelo humano. Uma criação estranha, mas falsa.

Além disso, existem diversas farsas que ganharam a mídia nos últimos anos, como a história da “Sereia Fiji”. Essa criatura ganhou notoriedade devido às estratégias promocionais de P. T. Barnum.

Ele cativou o público com representações deslumbrantes de sereias – a clássica imagem de uma mulher encantadora fundida a um peixe.

No entanto, a exibição real estava longe dessa descrição. Imagine a surpresa do público ao encarar um macaco costurado a um peixe!

A alegação é que um pescador japonês teria criado a Sereia Fiji, e, conforme a narrativa, ele não se contentou com o animal e adiciou um toque de fantasia na história.

Dessa forma, os moradores da ilha desse pescador passaram a acreditar na fantasiosa teoria de uma criatura que vivia nos mares e atraía os navegantes.

No entanto, até hoje não existem fotos, registros ou comprovantes dessa história, e P.T. Barnum enriqueceu com sua habilidade de vender o incrível em seu circo.

Via Mistérios do Mundo

Múmia da sereia

Enquanto isso, a nossa múmia de sereia japonesa adorada no templo não parece se relacionar com outras histórias.

Contudo, os resultados ainda sairão para comprovar a verdade. Enquanto isso, Hiroshi Kinoshita, da Sociedade Folclórica de Okayama, responsável por essa pesquisa, se mantém cético, pois teria encontrado outra sereia assim e ela também era uma costura de peixe.

Então, para todos os efeitos, a existência de sereias permanece um mistério, mas sabemos que a interação entre folclore e ciência ainda enfrentará muitos obstáculos.

 

Fonte: Mistérios do Mundo

Imagens: Mistérios do Mundo, Revista Planeta

Conheça o lado detetive de Batman que os fãs sonham em ver no cinema

Previous article

Por que o Brasil não tem armas nucleares?

Next article

Comments

Comments are closed.