Curiosidades

Como acontece um divórcio na Família Real Britânica?

0

A monarquia é a mais antiga forma de governo. E ainda é a forma de governo em vigor em alguns países. Nessa modalidade, o rei/rainha se mantém no cargo até à morte ou até abdicar à condição, porque o regime é hereditário.

Dentre as monarquias, várias pessoas já sonharam em fazer parte da Família Real Britânica. Os membros da realeza esbanjam poder, elegância e um estilo de vida invejável por todos. No entanto, ainda vivem as tradições antigas. Por isso, a família real inglesa deve seguir costumes e algumas regras que jamais imaginaríamos. Acredite ou não, eles não podem desfrutar de todos os privilégios do mundo ou sair fazendo o que bem entendem.

E quando o assunto é casamento real, logo se imagina o príncipe e a princesa vivendo “felizes para sempre” como nos contos de fadas. Contudo, a realidade nem sempre é essa. A prova disso é que nem todos os casamentos reais terminaram bem. Alguns deles acabam em divórcio.

O divórcio mais famoso da realeza foi o do Príncipe Charles e Lady Di. No entanto, ele não foi o primeiro da realeza. O primeiro término de casamento aconteceu quase 20 anos antes. Mas isso não quer dizer que o processo de separação entre os membros da realeza seja algo simples, muito pelo contrário.

A família real britânica tem suas várias regras. E claro que com relação ao divórcio elas também existem. Por mais que não sejam compartilhados de forma clara, os membros da realeza precisam seguir protocolos diferentes da sociedade comum quando o assunto é separação.

Divórcio

O primeiro casal real que se divorciou foi a Princesa Margaret e Antony Armstrong-Jones, em 1978. A princesa é a imã mais nova da rainha Elizabeth II, e ela ficou casada durante 18 anos.

Depois dessa ruptura, vários outros casais da realeza se separaram. Como por exemplo, a Princesa Anne e Mark Phillips, Príncipe Charles e Diana, Príncipe Andrew e Sarah Ferguson. Todos eles filhos da rainha. Em conclusão, três dos quatro filhos de Elizabeth II são divorciados.

A separação mais recente foi a do sobrinho da rainha, o conde de Snowdon, David Armstrong-Jones, e sua esposa, Serena. Os dois estavam casados há 26 anos. O divórcio aconteceu em fevereiro de 2020.

Regras

Em suma, o divórcio entre membros reais é possível, mas é preciso seguir várias regras. Na sociedade civil, o processo geralmente envolve uma série de burocracias e, às vezes, disputas judiciais por conta de bens.

E na família real isso não é diferente. Contudo, os membros da realeza ainda precisam seguir várias regras e protocolos que não existem e não precisam ser cumpridos em um processo de divórcio comum. Mostramos aqui alguns.

1 – Permissão da rainha

Embora não seja uma regra declarada, o protocolo real sugere que a rainha autorize o processo de divórcio. Por exemplo, na separação de Charles e Diana, a princesa do povo fez uma carta solicitando o processo.

Depois da solicitação feita à rainha, o trâmite segue de forma tradicional. Ou seja, a petição de divórcio é preparada e emitida pelo tribunal.

2 – Feito depois de dois anos da separação

Segundo a Stowe Family Law, que é uma empresa de advogados de família especializada no Reino Unido, alguns relatórios de divórcios reais sugerem que é preciso um tempo de separação de dois anos antes do processo de divórcio ser aberto.

Esse tempo seria necessário para que o processo corresse da maneira mais amigável possível e sem causar grandes polêmicas para a família real.

3 – Mantêm os títulos

Normalmente, quando as pessoas “comuns” se casam, podem adicionar  o sobrenome do cônjuge para si. E se caso houver um divórcio, existe a opção de voltar ao nome de solteira.

No entanto, na família real, quando alguém se casa com um membro real a pessoa ganha um título. Curiosamente, esse título se mantém mesmo depois do divórcio no papel.

4 – Discrição e sigilo

Uma das maiores regras a respeito do divórcio real é que se mantenha a discrição e sigilo mesmo depois da separação acontecer. O que quer dizer que se espera que a pessoa que se divorciar de um membro real continue mantendo a discrição em relação à sua vida pessoal.

No entanto, quando Lady Di se separou de Charles, teve dois relacionamentos. E por ser muito perseguida pela mídia, os romances viraram notícia no mundo todo. Essa “falta de discrição” não agradou a família real.

5 – Acordos financeiros

Se em um divórcio de plebeus já é difícil resolver as questões financeiras, imagine em um término de membros da realeza.

Por mais que nunca tenha sido divulgado, as separações que causaram mais polêmica para a família real foram as do príncipe Andrew e Sarah Ferguson e do Príncipe Charles e Diana. Os dois casos tiveram acordos financeiros consideráveis.

Ao que tudo indica, nos divórcios reais, as propostas que envolvem dinheiro são bem generosas para tentar evitar uma disputa financeira no tribunal.

Jeff Bezos completou sua viagem ao espaço com sucesso

Matéria anterior

Considerada extinta desde 2000, filhotes de arara-azul nasceram no Brasil

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos

Mais em Curiosidades

Você também pode gostar