icone menu logo logo-fatos-desconhecidos.png


Esse gás pode eliminar 99,9% do coronavírus

POR Erik Ely EM Ciência e Tecnologia 09/04/20 às 13h39

capa do post Esse gás pode eliminar 99,9% do coronavírus

Recentemente, a Wier, empresa desenvolvedora de soluções tecnológicas com o gerador de ozônio (O₃), descobriu uma nova maneira de auxiliar no combate ao coronavírus, um gás que pode eliminar 99,9% do coronavírus em ambientes fechados. Assim, ele é capaz de sanitizar locais onde uma limpeza convencional não alcançaria.

Emitido e já testado no laboratório da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), o produto se mostrou eficaz para eliminar o vírus. Dessa forma, o produto tem sido cada vez mais usado por hotéis, motéis e lavações automotivas. Além de ainda, possuir uma tecnologia de uso sustentável.

O gás chega onde uma limpeza convencional não alcançaria

Podemos definir o O₃ como um gás natural formado a partir do oxigênio do ar (Oâ,,) que está presente na estratosfera. Dessa forma, ele protege a vida na Terra contra a radiação UV do Sol. "O ozônio pode eliminar micro-organismos em ambientes onde ele possa estar, como veículos, salas de espera, quartos de hotéis, leitos de hospitais, residências, entre outros locais similares. Nesse cenário, a solução ajuda a diminuir a propagação do vírus e na prevenção de novos casos da doença", explicou Bruno Mena Cadorin, CEO da WIER.

Segundo estudos da USP, o ozônio se mostrou cerca de 200 vezes mais eficiente na descontaminação de compostos orgânicos e na eliminação de odores. Assim, no teste, o ozônio conseguiu conter vírus envelopados (HSV-1) e não envelopados (HAdV-2) em 99,9% das amostras. Assim, o novo coronavírus, causador da Covid-19, é da classe dos envelopados. Ou seja, possui um envoltório lipídio de proteção que o torna mais resistente.

Testes para comprovar a eficácia do produto

Sendo principalmente utilizado em automóveis, o produto não era tido como eficaz para o momento em que vivemos. Isso porque, "o contágio é entre duas pessoas, mediante contato com secreção respiratória ou mãos. No contexto da pandemia, a fração atribuível a esse tipo de contaminação é provavelmente muito pequena. Isso para não dizer que não devia ser considerada", pontua o Ricardo Kuchenbecker, especialista em epidemiologia. Dessa forma, a estratégias dessa natureza em relação a infecções de transmissão respiratório poderiam não ser tão eficazes. Contudo, essas são afirmações que vieram antes do estudo. Assim, especialistas se mostravam cautelosos para confirmar se o produto seria eficaz ou não contra o coronavírus. Contudo, esse último estudo pode provar o contrário.

Dessa forma, para analisar a eficácia da solução, testes virucidas foram feitos a 5, 30 e 60 centímetros do equipamento que emite o gás, em câmara fechada, entre 23 e 20 ºC, durante 60 minutos. Por ser gasoso, o ozônio é capaz de se espalhar por todo o ambiente onde é aplicado. Assim, pode chegar a lugares onde a limpeza convencional não alcançaria, sanitizando qualquer local. "A aplicação é simples e ocorre por meio de um equipamento chamado Gerador de Ozônio com tecnologia de plasma frio, o qual é compacto, de uso simples e intuitivo. Outro lado positivo é que a tecnologia é sustentável e ambientalmente correta", completou Cadorin. Isso porque, o ozônio é originado a partir do próprio oxigênio. Portanto, tem sua origem natural e não afeta o meio ambiente como outros produtos.


Próxima Matéria
Via   Olhar Digital     UOL  
Imagens Olhar Digital G1
avatar Erik Ely
Erik Ely
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest