Curiosidades

Estudo revela risco de extinção em massa por conta do Aquecimento Global

0

Uma recente reportagem publicada pela CBS News revelou que os Leopardos-das-neves do Himalaia, os lêmures de Madagascar e os elefantes da África Central, bem como outros animais, podem, em breve, entrar em extinção por conta das emissões de gases do efeito estufa. A informação divulgada pela CBS News é fruto de um novo estudo, publicado pela revista Biological Conservation.

A situação só será revertida se as taxas de dióxido de carbono e metano na atmosfera diminuirem. De acordo com os pesquisadores que realizaram o estudo, caso o cenário permaneça o mesmo, a biodiversidade do planeta sofrerá consequências devastadoras.

O estudo

O mais recente estudo sobre a situação envolvendo a biodiversidade e as consequências das emissões de gases na atmosfera foi publicado, nesta sexta-feira, 09/04. No artigo, que, como dissemos, foi exposto na revista Biological Conservation, “os cientistas alertam que algumas das espécies de plantas e animais serão devastadas pelo aquecimento global caso os países não realizem um esforço real para atingir os objetivos estipulados no tratado climático de Paris, firmado em 2015”.

De acordo com os pesquisadores, “há um alto perigo de extinção em quase 300 pontos onde a biodiversidade é considerada rica se as temperaturas subirem três graus Celsius por conta das altas atividades industriais”.

As nações que se uniram para estabelecer o Acordo de Paris se comprometeram a combater o aquecimento global por meio de diretrizes únicas. No entanto, pouco tem sido feito e mesmo que os compromissos estipulados sejam honrados, ainda se espera que as temperaturas ultrapassem os três graus Celsius antes do final do século.

Diante disso, os cientistas acreditam que espécies endêmicas – plantas e animais encontrados exclusivamente em locais específicos, como, por exemplo, um país ou uma ilha não conseguiram sobreviver. Conforme expôs a reportagem publicada pela CBS News, “as espécies terrestres endêmicas têm quase três vezes mais probabilidade de sofrer perdas devido à mudança climática do que as espécies mais disseminadas e dez vezes mais ​​do que as espécies invasoras”.

“A mudança climática ameaça áreas que abrigam espécies que não podem ser encontradas em nenhum outro lugar do mundo”, disse Stella Manes, autora do estudo, em um comunicado emitido à imprensa. “O risco de essas espécies se perderem para sempre aumenta mais de 10 vezes se não cumprirmos os objetivos do Acordo de Paris”.

Espécies em extinção

Ainda de acordo com a reportagem publicada pela CBS News, nem todas as espécies enfrentam a mesma ameaça. Nas regiões montanhosas, 84% das espécies endêmicas enfrentam risco iminente de extinção se a temperatura aqui na Terra aquecer mais dois graus. A probabilidade atinge 100% em outras regiões, como, por exemplo, ilhas.

Em linhas gerais, mais de 90% das espécies endêmicas terrestres e 95% das espécies endêmicas marinhas serão afetadas de forma direta. Segundo as informações que foram disponibilizadas pela CBS News, as espécies marinhas mediterrâneas também serão atingidas pelo aumento. “Essas espécies não podem se mover facilmente para ambientes mais favoráveis”, explica o coautor do estudo Mark Costello.

Segundo o estudo, duas em cada três espécies que habitam os trópicos podem morrer por conta das mudanças climáticas. E refúgios que os conservacionistas trabalham há anos para proteger essas espécies podem ser inúteis em face da mudança climática. “Infelizmente, nosso estudo mostra que esses pontos, ricos em biodiversidade, não serão capazes de atuar como refúgios de espécies”, disse a co-autora Mariana Vale.

Para os cientistas, é extremamente importante que a situação mude, só assim será possível evitar consequências devastadoras, como um evento de extinção em massa. Mas, infelizmente, os níveis de dióxido de carbono e metano na atmosfera continuam a aumentar. O nível de CO2, em 2020, atingiu seu ponto mais alto em 3,6 milhões de anos.

“O aumento de 2020 é o maior já visto”, revelou a Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos Estados Unidos.

Renomado arqueólogo egípcio revela detalhes de uma cidade recém descoberta

Matéria anterior

Como detectar sinais de coágulos sanguíneos e o que fazer a respeito

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.