Fim da alegria: Plástico bolha não poderá mais ser estourado

POR A redação    EM Ciência e Tecnologia      02/07/15 às 17h29

O plástico-bolha que nós adoramos estourar é um tipo de plástico que serve para proteger os produtos ou objetos em transporte.

Foi criado por dois engenheiros, Alfred Fielding e Marc Chavannes, em 1957. Como muitas outras inovações, foi acidental: Eles tentavam criar uma plano de fundo de plástico texturizado com o verso em papel que pudesse ser limpo facilmente.

O termo é uma marca registrada da Sealed Air Corporation (EUA) que foi fundada em 1960 por estes inventores e teoricamente só pode ser usado pelos produtos desta companhia.

Produzido em filme de polietileno de baixa densidade, com bolhas de ar prensadas, o plástico-bolha é um produto que proporciona excelente proteção aos materiais nele embalados. Outra aplicação largamente utilizada do plástico-bolha é no revestimento de pisos antes da aplicação de carpetes de madeira, proporcionando uma ótima isolação acústica. Este material pode ser também laminado com papel e transformado posteriormente em envelopes, para transporte de produtos frágeis e outros que requeiram cuidados especiais.

Algumas pessoas usam o plástico bolha para diminuir o estresse ao estourar as bolhas. Muitas pessoas apertam as bolhas uma a uma, ouvindo o calmante som "plec", torcem o plástico para estourar o maior número possível de uma vez ou até mesmo pisam em cima.

Fim dos estouros

3

A Sealed Air Corp trouxe uma notícia triste para os fãs do plástico bolha: na sua nova versão, chamada de iBubble, não será possível estourar as bolhas de ar. E isso é só a ponta do iceberg.  As bolhas serão vendidas sem ar, ficará a cargo dos varejistas inflarem ou não o plástico. A justificativa é que o plástico bolha tradicional ocupa muito mais espaço que o novo modelo.

O pior: mesmo quando estão infladas, a bolha não estoura. O ar passa para a bolha do lado. A empresa lucra mais de 30 bilhões de dólares por ano e o plástico bolha tem até uma data comemorativa: 26 de janeiro.

Plástico bolha infinito

2

A boa notícia é que o Japão inventou o chamado "plástico bolha infinito". Conhecido como ploc-ploc, ele vem no formato de chaveiro que recria o prazer de estourar pequenas bolhas plásticas e se repõem imediatamente, tornando a brincadeira interminável.

Com o propósito de satisfazer esse "vício", que pode ser um momento de distração para uns, até um antídoto anti-estresse para outros, o produto ainda emite a cada cem estouros um som surpresa, que vai desde o barulho de uma campainha até ao grito de uma mulher.

A redação
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+