Compartilhando coisa boa

Herói de São Conrado: bodyboarder resgata salva-vidas de afogamento

0

No Rio de Janeiro, Renan Souza, conhecido como Biruleibe da Rocinha, ganhou um novo apelido: herói da praia de São Conrado. Afinal, foi o bodyboarder quem resgatou o salva-vidas Bigodinho, que se debatia entre pedras com a força das ondas.

As cenas do salvamento viralizaram nas redes sociais. Elas foram gravadas no Rio de Janeiro, durante o Circuito Brasileiro de Bodyboard, esporte que se assemelha ao surf. A diferença é que os bodyboarders desafiam as ondas ficando de bruços nas pranchas, ao contrário dos surfistas, que se firmam em pé.

Apesar da repercussão, Biruleibe da Rocinha recusa o título de herói, pois segundo ele, são os salva-vidas que dão suas vidas em prol do salvamento de outras. Ainda de acordo com ele, Bigodinho faria a mesma coisas caso o bodyboarder estivesse naquela situação de risco.

Fonte: Reprodução

Desespero na Praia de São Conrado

A princípio, tudo começou quando ondas de 2,5 metros geraram uma forte correnteza em cima de um dos competidores do circuito. Como consequência, contra a sua vontade, ele se dirigiu em direção a uma zona cheia de pedras. Portanto, duas situações de risco se iniciaram: o bodyboarder poderia se afogar naquela correnteza ou viria a bater alguma parte vital de seu corpo contra as rochas, e consequentemente, perder a consciência.

As duas possibilidades poderiam ser fatais. Por isso, Bigodinho se deslocou até o competidor em apuros e o ajudou a se libertar daquela situação. No entanto, após realizar o seu trabalho, o salva-vidas passou a correr perigo, afinal, ele também estava se debatendo contra as pedras da Praia de São Conrado.

Enquanto essa desesperadora cena transcorria, Biruleibe estava na praia assistindo às provas, já que não iria entrar na água naquele dia. Então, ele estava no local exato para perceber a situação de risco, e em seguida, intervir.

Assim o fez. De início, é possível ver nas imagens que o bodyboarder tenta se colocar à disposição para puxar Bigodinho. Porém, o salva-vidas precisaria alcançar um certo ponto da praia, para que Biruleibe pudesse lhe auxiliar no resto do caminho.

Conforme a onda ia reiniciando o percurso de Bigodinho, o caso se agravou, afinal, ele perdeu a consciência em uma de suas debatidas. Sendo assim, o bodyboarder pegou uma prancha e se jogou ao mar para salvar a vítima.

Em seguida, Biruleibe colocou o salva-vidas em cima de sua prancha e monitorou a situação por 30 minutos, até a chegada de um helicóptero-águia. De acordo com o Corpo de Bombeiros, Bigodinho não teve ferimentos graves.

Repercussão

A repercussão do caso já começou ainda na praia. Nas filmagens da chegada do helicóptero, é possível ouvir o público gritando o nome de Biruleibe. Porém, foram as filmagens das redes sociais que lhe trouxeram o apelido de herói da praia de São Conrado.

De acordo com o bodyboarder, o resgate foi ajudado pelo amplo conhecimento que ele tem do relevo daquelas pedras. No entanto, ele aponta que o fator fundamental do êxito foi outro: “O gás para dar [na prova], que eu precisava só um pouquinho, Deus me fez gastar para salvar uma vida”, disse ele em entrevista à TV Globo.

A propósito, Biruleibe competiu no dia seguinte ao salvamento mas não se classificou. Todavia, ele ganhou algo muito mais importante do que o circuito. “Eu não ganhei o título, mas ganhei uma vida”, exclama o bodyboarder.

Educadamente, o atleta rejeita o rótulo de herói, pois, para ele, este reconhecimento deve ser dado aos salva-vidas. Por isso, Biruleibe enfatiza: “Eu não fiz isso para me mostrar. Meu coração é grandão mesmo, abençoado por Deus. Eu acho que ele faria a mesma coisa por mim”.

Fonte: G1, UOL

Júpiter, Vênus e Marte estavam visíveis no amanhecer de São Paulo

Matéria anterior

Soldado manda mensagem via Pix com ameaças para ex e é preso

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos