Ciência e Tecnologia

Meteoro explode no céu de cidade do Rio Grande do Sul

0

Um observatório espacial do Rio Grande do Sul registrou a explosão de um meteoro em pleno céu da cidade de Capão da Canoa. O evento ocorreu na terça-feira (31), em meio ao ápice da chuva de meteoros Tau Herculíades.

De acordo com o dono do Observatório Espacial Heller & Jung, Carlos Fernando Jung, o fenômeno consistiu em um bólido. Neste caso, o meteoro surge no céu com um brilho extraordinário.

Fonte: OBSERVATÓRIO ESPACIAL HELLER & JUNG

Raio de saudade, meteoro de Capão

Sem dúvidas, a equipe de pesquisa do mirante gaúcho deve ter explodido de sentimentos ao ver aquele espetáculo no céu de Capão da Canoa. De início, o meteoro adentrou na atmosfera terrestre a uma altura de 100,9 km. Em seguida, quando estava a 62,1 km de altitude, o corpo espacial explodiu.

De acordo com os observadores, todo esse processo durou apenas 1,46 segundos, tendo uma magnitude de -9. Considera-se esse valor um patamar elevado, o que significa que o brilho do meteoro estava em um nível acima de média quando se refere a esse tipo de ocorrência.

Logo, o que se notou foi um enorme clarão no céu, capaz de ser visto a olho nu por espectadores atentos. Afinal, era de se esperar por uma explosão do tipo, já que nos dias 30 e 31 de maio, acontecia o ápice da chuva de meteoros Tau Herculíadeas.

Essa temporada de queda de fragmentos se deve a um cometa que os cientistas detectaram em 1930, e que orbita o Sol a cada 5 anos: o SW3. Ele estará em nosso céu noturno entre julho e agosto. Mas calma, diferente do Halley, este objeto não é muito brilhante e dificilmente pode ser notado a olho nu.

Fonte: Neale LaSalle

No entanto, mesmo longe daqui, ele costuma deixar muitos fragmentos em nosso céu noturno. Logo, a Tau Herculids traz bastante material para criar um verdadeiro espetáculo astronômico, como este que se registrou no litoral gaúcho.

A propósito, a explosão do meteoro ocorreu sobre o mar, o que dificulta muito a logística para se recolher os fragmentos desse corpo espacial oriundo do cometa SW3.

10 segundos de show

A propósito, também na terça-feira (31), um outro evento de destaque marcou a Tau Herculíades, com especial intensidade no estado gaúcho. Em Porto Alegre e Taquara, o Observatório Espacial Heller & Jung também flagrou a passagem de um meteoro que percorreu o céu por 10 segundos.

Dessa forma, esse fragmento, flagrado às 05:52, foi o que teve o maior tempo de viagem no céu em 2022. Segundo Carlos Fernando Jung, o meteoro entrou na atmosfera a uma altitude de 88,3 km, fazendo uma viagem de 9,96 segundos pelos ares da capital do Rio Grande do Sul.

Em seguida, a rocha caiu no oceano, do mesmo modo que ocorreu com o fragmento que explodiu no céu de Capão da Canoa. Conforme informa Carlos Fernando Jung, no céu gaúcho, caíram 100 meteoros por hora durante o ápice da chuva nos dias 31 e 30 de maio.

Com isso, o mês de maio se despediu como um período de grandes eventos astronômicos para os brasileiros que puderam apreciar. Quem pode confirmar esse rótulo é o esbelto eclipse total da Lua, que ocorreu na madrugada do dia 15 de maio para o dia 16.

Nesta ocasião, podemos dizer que a Lua deu uma “sumidinha”. Isso porque ocorreu o alinhamento entre Sol, Terra e o nosso satélite natural. Logo, a sombra do nosso planeta nos impediu de vermos a beleza lunar por alguns instantes.

Além disso, quando a omissão da Lua chegou na sua fase total, o satélite ficou avermelhado. Esse fenômeno se deu por conta da filtragem que a atmosfera da Terra fez na luz que vem do Sol. Portanto, o espectro se dividiu e sobrou apenas um feixe vermelho incidindo sobre a Lua.

Fonte: R7.

O Chaves morava mesmo no barril?

Matéria anterior

França proíbe uso de palavras em inglês como “esports” e “streamer”

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos