• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


O Mapinguari, a lenda que assusta a Amazônia

POR Bruno Dias    EM Curiosidades      02/03/19 às 11h32

As lendas fazem parte da identidade de um povo. Através delas, são passados ensinamentos de geração a geração. E uma dessas lendas que já passou por várias gerações, é a respeito de uma fera gigante e perigosa que fica escondida dentro do mato da floresta tropical Amazônica da América do Sul.

A aparência desse animal é como de um macaco ou talvez uma preguiça gigante. Ele se move devagar e depois de examinado mais de perto, ele não poderia ser uma preguiça. Esse animal pode atingir pelo menos mais de dois metros de altura quando está em suas patas traseiras, seu pelo é avermelhado e suas garras são longas e curvadas para dentro.

Ele normalmente fica no chão, mas quando ele se levanta mostra sua boca aberta, que fica em seu estômago, que tem um tamanho suficiente para engolir qualquer criatura que cruze seu caminho.
Com o passar do tempo, ele foi chamado de mapinguari, que significa animal que ruge ou besta fétida. O animal habita as florestas da América do Sul e derruba arbustos e árvores com suas garras e deixa um rastro de destruição por onde ele passa a procura de comida.

A existência do mapinguari é vista como folclore ou como uma lenda urbana, mas existem evidências que essa lenda pode ser baseada em fatos reais. A descrição se parece vagamente com uma preguiça gigante do solo, que é uma espécie de preguiça do tamanho de um elefante e é chamada de megatério e habitou a América do Sul até o final da era do Pleistoceno.

Fósseis datados de mais de 11 mil anos atrás foram descobertos por cientistas e pertencem à preguiça gigante Megatherium. Isso prova que ele realmente existiu uma vez em nosso planeta. Mesmo estando extinto, algumas pessoas relatam ter visto o animal, o que muitas pessoas tomam como evidência da existência dele, ainda nos dias de hoje, e vive nas profundezas da floresta amazônica.
Um fato é que a história pode ter sido baseada em fatos reais e foi melhorada com o tempo na passagem de geração para geração e se criou uma lenda urbana do mapinguari que é conhecida hoje em dia.

Os megatérios eram vegetarianos, mas o mapinguari era considerado como carnívoro e atacava o gado e outros animais grandes com suas garras e dentes afiados. E não há registros que ele atacou pessoas, mas aqueles que dizem já ter encontrado com o animal dizem que tem uma coisa muito característica dele que é seu cheiro.

O cheiro do mapinguari é pútrido, e isso é o suficiente para alertar qualquer um e ver que o melhor a se fazer é sair da região. Esses animais também não gostam muito de água e por isso costumam permanecer nas florestas e na terra seca.

Avistamentos

Os rumores de avistamentos começaram a ser tão real que cientistas foram atraídos para a floresta para investigar. O doutor David Oren, ex-diretor de pesquisa do Instituto Goeldi, liderou uma expedição para a América do Sul para buscar pistas de que os avistamentos podiam se basear em fatos reais, mas até o momento nada foi encontrado.

Para Oren, a falta de provas o fez continuar entendendo que a existência desse animal é somente uma lenda. "Está bem claro para mim que a lenda do mapinguari é baseada no contato humano com a última das preguiças terrestres. Sabemos que espécies extintas podem sobreviver como lendas por centenas de anos. Mas se tal animal ainda existe ou não é outra questão, uma que não podemos responder", disse.

Mas mesmo assim, várias pessoas ainda continuam relatando ter visto o animal. Um membro da tribo Karitiana, Lucas Karitiana, insiste em dizer que seu filho encontrou o animal na floresta e conseguiu escapar vivo. Ele conta que a área que o animal passou parecia como se uma pedra tivesse rolado e derrubado todas as árvores.

Próxima Matéria
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+