• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


O que acontece se você engolir o seu próprio cabelo?

POR Júlia Marreto    EM Ciência e Tecnologia      04/05/16 às 16h43

A maioria das pessoas conhecem a história da Rapunzel, correto? Uma das versões conta a história de uma mocinha que foi trancada em uma torre bem alta, por uma bruxa má, e ficou anos ali, à espera de seu príncipe encantado. Que só foi capaz de resgatá-la porque usou seus longos, muito longos, cabelos para subir na torre.

Agora, você sabia que existe uma condição, na verdade uma doença, chamada tricofagia? Também conhecida como Síndrome de Rapunzel, é um transtorno comportamental, no qual a pessoa começa a comer os próprios cabelos, e muitas vezes os dos outros.

A questão é que os cabelos ingeridos, ao longo do temo, começam a interferir e causar sérios danos no aparelho digestivo da pessoa. Pode acontecer também, de os cabelos se prolongarem até o intestino delgado da pessoa, conferindo um aspecto curioso, muito parecido com o formato dos cabelos da mocinha da história citada acima.

01.

Em muitos casos a situação fica tão grave, que precisa de intervenção cirúrgica. E foi o que aconteceu com uma garota de dezoito anos do Quirquistão. Por causa de dores agudas no estômago e após meses sem comer ou beber qualquer coisa sem ter como resultado algum tipo de doença, ela foi ao hospital para fazer raios-x.

Aypero Alekseeva, descobriu que sua incapacidade de se alimentar era devido a uma gigante bolada de pelo, com mais de quatro quilos, que estava presente em seu estômago, como consequência de anos comendo as pontas do próprio cabelo e dos tapetes de sua casa.

Os cirurgiões alegaram que sem a cirurgia a garota não teria sobrevivido. O professor sênior do hospital de cirurgia, Bahadir Bebezov, contou ao jornal Metro que: "Nós percebemos logo de imediato que seria preciso cirurgia. Na verdade, era a única alternativa. Nada mais poderia resolver o problema. Seu estômago estava tão inchado por causa do cabelo e dos pedaços de lã do tapete que, literalmente, pularam para fora quando a parede do estômago foi cortada." Bebezov também conta que, apesar de comer seu cabelo e partes do tapete, a jovem é perfeitamente normal e saudável. Mas, claro, Alekesseva sofre de tricofagia.

01.

Essa bola de pelos não foi a maior já retirada de um corpo humano, em 2007, uma jovem, de também 18 anos, natural de Chicago, tinha em seu estômago uma bola de pelos, de cabelos pretos encaracolados, de 5kg. A CNN relatou que seu  histórico era de cinco meses de dores e inchaços no abdômen, seguidos de vômitos após as refeições, perda de 18kg, e muitos anos comendo cabelo; e que, após a cirurgia, ela foi encontrada comendo normalmente, com seu peso recuperado e sem comer cabelo.

Assim como a moça de Chicago, é esperado que Alekseeva tenha uma recuperação completa e volte para casa em breve. Ela promete nunca mais comer seus cabelos, nem dos outros.

Para os corajosos, sem nojo e de coração forte, nesse vídeo vocês podem acompanhar uma cirurgia de remoção de cabelos do estômago. Boa sorte! > Clique aqui

Então pessoal, o que acha dessa loucura? Conhecem alguém com esse problema? Comente com a gente!

Próxima Matéria
Júlia Marreto
É a dona de um coração esculpido pela literatura e preenchido pelos bons vinhos de Baco. Guiada nas artes da vida por Ares, possui a discreta delicadeza de um elefante pulando carnaval numa loja de cristais! Movida diariamente pelo combustível da vida: o café, essa garota possui raízes profundas na poesia da vida. É muito séria, mas sabe brincar na hora certa. Ama os animais e detesta filme de terror. Apesar de cantar mal, canta com sentimento. E adora musicais! Sua principal tentativa desportiva é o baralho. Ela gosta mesmo é de coisas antigas, apaixonada pela vida e sonha com o universo. Instagram: , @juliamarreto
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+