CuriosidadesNatureza

Odeia moscas? Aprenda a espantar moscas sem usar inseticida

0

Por mais que você goste de animais, dificilmente você gosta de moscas. Além de transmitir algumas doenças, elas são repletas de bactérias provenientes das mais diversas fontes, desde fezes humanas e animais à cadáveres em decomposição. E ter alguma mosca pousando na sua comida, na suas bebidas ou até mesmo em alguma parte do seu corpo é agoniante.

Mas como manter as moscas longe? Borrifar inseticidas não é muito saudável porque, além do cheiro ruim de alguns, eles fazem certas pessoas espirrarem ou terem dores de cabeça. Felizmente há um meio simples e barato de espantar moscas dos ambientes, sem usar nenhuma substância venenosa.

Basta colocar água em sacos plásticos transparentes e pendurá-los no local onde você não quer moscas.

Does-it-make-any-effect-on-temperature

Alguns dizem que as moscas reconhecem o saco com água como uma superfície cheia de água, que elas naturalmente evitam para não se afogarem ou serem pegas por peixes. Outras pessoas dizem que o inseto foge do brilho límpido do saco. A verdade é que a reflexão da água no saco confunde os insetos, especialmente as moscas.

A tática mexe com a percepção visual dos insetos, que conseguem enxergar em muitas direções ao mesmo tempo devido ao layout dos olhos. Os insetos tem um conjunto de olhos grandes e complexos, como se fossem um conjunto de milhares de olhos.

Entretanto, a visão de uma mosca não se concentra em coisas específicas, como os olhos humanos. Elas enxergam tudo em conjunto. E a visão delas é sensível à luz refratada. Quando eles veem os sacos com água refratando a luz, eles voam para longe. Especialmente as moscas.

Apesar disso, não é toda mosca que vai se sentir intimidada pelo saco plástico com água. Muitos fatores vão influenciar nisso, como a luminosidade do ambiente, transparência do saco e a espécie de mosca.

How-the-reflection-works

Como acabar com o chulé de uma vez por todas

Matéria anterior

5 personagens famosos que foram baseados em pessoas reais

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos