Curiosidades

Onde as sementes enviadas ao espaço foram plantadas na Terra?

0

O ser humano é fascinado com o espaço desde os primórdios. E a lua, nosso satélite natural, é um dos corpos celestes mais explorados. Várias missões já foram enviadas para lá. Na Apollo 14, em específico, os astronautas trouxeram de volta para a Terra aproximadamente 500 sementes que os acompanharam na viagem.

Há mais de 50 anos, os tripulantes da Apollo 14, Alan B. Shepard, Stuart A. Roosa e Edgar D. Mitchell, voltaram para o nosso planeta depois de terem ficado alguns dias na lua. Nessa volta, eles trouxeram as sementes que foram plantadas e deram origem às chamadas “árvores da lua”. Essas sementes foram plantadas em vários países diferentes, inclusive no Brasil.

A missão Apollo 14 foi a oitava missão tripulada ao nosso satélite natural, e a terceira a levar humanos até a superfície lunar. Ela foi lançada no dia 31 de janeiro de 1971.

No dia cinco de fevereiro, os astronautas da missão pousaram a cerca de 50 km da cratera Fra Mauro, o local programado para o pouso da Apollo 13, que acabou não acontecendo. Na missão, o comandante Alan Shepard e Edgar Mitchell exploraram a região e coletaram cerca de 42 quilos de amostras.

Enquanto os companheiros exploravam, Stuart A. Roosa, o piloto do módulo de comando, ficou em órbita a bordo do módulo Kitty Hawk, e fez fotos em alta resolução da região lunar de Descartes.

Sementes

Galileu

Além das fotos feitas, ele levou consigo uma lata com 500 sementes das mais variadas árvores. Quando eles voltaram para a Terra essas sementes foram plantadas e deram origem às “árvores da lua”.

A ideia de levar as sementes para a lua vem do começo da carreira de Roosa. Isso porque antes de ele se tornar piloto, trabalhou no Serviço Florestal dos Estados Unidos como saltador de fumaça.

Então, quando ele começou o seu treinamento, o Serviço Florestal entrou em contato e perguntou se ele levaria algumas sementes em sua viagem à lua. Roosa concordou e um geneticista da instituição selecionou cinco espécies de árvores diferentes.

Essa viagem era a primeira vez que sementes iriam ser enviadas para algum lugar fora da Terra. Assim, as sementes foram levadas como um experimento. Até porque, depois de concluída, ela determinaria os efeitos do espaço profundo nas sementes.

Onde estão

National Geographic

Depois que a missão Apollo 14 voltou para a Terra, a lata com as sementes passaram por alguns procedimentos. Isso porque, em sua descontaminação, a estrutura dela acabou rompida e as sementes foram misturadas. Como resultado, existiu uma preocupação a respeito do estado delas e se elas ainda poderiam geminar.

Entretanto, as sementes foram enviadas ao Serviço Florestal do Mississipi e da Califórnia. Lá, os pesquisadores analisaram se elas ainda poderiam ser plantadas e darem mudas.

Ao todo, 450 mudas foram feitas e distribuídas entre escolas, universidades, parques e instituições governamentais dos Estados Unidos. Os locais onde essas sementes foram plantadas foram escolhidos, em parte, para garantir condições climáticas ideais para cada espécie.

Essas árvores prosperaram aqui no nosso planeta e já deram vida a uma segunda geração com suas sementes. Essas são chamadas de “árvores meia-lua” e, assim como suas originárias, seguem crescendo em várias partes da Terra.

Embora esse experimento tenha um caráter científico e tenha sido feito por duas grandes organizações governamentais dos EUA, nenhuma delas fez os registros de onde exatamente as sementes foram plantadas.

“Quando vejo as Árvores da Lua originais, muitas delas estão plantadas em capitais, jardins botânicos e parques, mas até onde tenho ciência, não há documentação disso”, disse Rosemary Roosa, filha do astronauta.

Nesse ínterim, a última árvore da lua que ela conhece foi plantada por ela mesma, junto de seu pai, em Austin, no Texas, na casa onde eles moravam.

Sabe-se que as sementes também foram enviadas para outros países. Contudo, não se sabe exatamente para onde. Segundo acredita Steve Miller, vice-presidente da Sociedade Astronômica Internacional, algumas foram para o Reino Unido.

Brasil

Canaltech

Entretanto, a NASA conseguiu rastrear a localização de aproximadamente 60 delas. Com isso, constatou-se que a maioria está nos EUA. No entanto, existem algumas no Japão, Suíça e até no Brasil. Segundo os registros da NASA, existem três árvores da lua no Brasil.

Uma é um liquidâmbar que foi plantada em Brasília no dia 14 de janeiro de 1980. Ela está em uma área que pertence ao atual Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).

As outras duas árvores da lua estão no Rio Grande do Sul, sendo uma delas uma sequoia-costeira, que está na Praça Central São José, na cidade de Cambará do Sul. A outra também é uma sequoia-costeira e pode ser encontrada no Parque da Fenasoja, na cidade gaúcha de Santa Rosa.

Fonte: Canaltech

Imagens: Canaltech, Galileu, National Geographic

O que esperar da nova série brasileira da Netflix, ”De volta aos 15”

Matéria anterior

Das nuvens de metal desse planeta chovem rubis e safiras líquidas

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos