Os piores pais do reino animal

POR Thamyris Fernandes    EM Curiosidades      18/06/14 às 23h12

Se você acha que teve pais duros demais, leia essa matéria e mude seu conceito na hora! Isso porque hoje vamos tratar dos piores progenitores da face da Terra. São ursos, hamster e outros bichos que não têm um pingo de cuidado com seus filhote e, muitas vezes, nem hesitam em devorá-los.

Prepare-se emocionalmente e confira na lista abaixo, os 5 mais desalmados pais e mães do reino animal:

Urso-cinzento

1

Ao contrário das fêmeas do urso-cinzento, exímias na proteção de seus filhotes, os machos dessa espécie vivem para percorrem seu território, que pode chegar a 3,1 mil quilômetros quadrados. Eles andam em busca das mães que estão com bebês para matá-los. Nessa caçada, eles não fazem distinção entre os seus filhos ou os filhos dos outros.

Para os especialistas do reino animal, essa é uma forma de controle populacional da área. Há outra explicação que analisa o ato como uma tentativa de eliminar descendentes de outros ursos para fecundar mais fêmeas e perpetuar sua genética. E há, ainda, a hipótese de que, na falta de outras fontes de alimento, os pequenos são uma opção para eles.

Cuco

2

As fêmeas de cuco não se preocupam em construir ninhos. Em vez de cuidar de suas crias sozinhas, elas tratam de colocar seus ovos em ninhos de outros pássaros e os abandonam, de forma que outras espécies alimentam e cuidam dos filhotes como se fossem seus.

Foca Harpa

3

Nada convence uma mãe dessa espécie a tomar conta de seu filhote por mais do que 12 dias após o nascimento. Nesse período, ela alimenta sua cria, mas por não comer durante o prazo, volta para o mar.

O filhote abandonado ainda não está preparado para procurar comida e, por isso, vive com suas reservas de gordura por cerca de um mês e meio. Os que conseguem sobreviver após esse tempo vão sozinhos para o mar em busca de comida.

Besouro coveiro

4

É mórbido, mas como o nome sugere, esses besouros deixam seus filhotes chegarem ao mundo dentro de carcaças de animais, como ratos (que eles mesmos cuidam de enterrar). Nesse "casulo", eles alimentam as larvas para que cresçam mais rápido.

Mas, quando percebem que o número de larvas é grande com relação ao espaço que possuem, eles param de alimentar algumas delas e deixam que definhem até morrer. As maiores crias continuam sendo alimentadas para que tenham um tamanho equilibrado com o espaço onde estão sendo criadas.

Hamster

5

As fêmeas dessa espécie não são as melhores mães do mundo e, não raro, agridem os machos da espécie e podem até matá-los. Essa agressividade também pode se estender aos filhotes. Se deixadas por muito mais do que três ou quatro semanas com elas, as mamães acabam comendo a ninhada.

Thamyris Fernandes
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+