Notícias

Pelé é internado novamente para tratar câncer de cólon

0

O craque do futebol, Pelé, foi internado novamente para o câncer de cólon. De acordo com o boletim médico enviado pelo hospital, o ex-jogador está com um quadro estável.

Pelé, 81, foi internado pela segunda vez em dois meses. No mês de fevereiro, o eterno Rei do futebol precisou estender a permanência no hospital para tratar uma infecção urinária. Agora, o ex-jogador está tratando o tumor que foi descoberto em setembro de 2021.

O ex-atleta está internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, e deve ter alta nos próximos dias.

“Edson Arantes do Nascimento foi internado no Hospital Israelita Albert Einstein ontem (18) para dar sequência ao tratamento do tumor de cólon, identificado em setembro de 2021. Suas condições clínicas são boas e estáveis, e a alta hospitalar deve acontecer nos próximos dias”, informou o boletim médico de Pelé.

O histórico de internação de Pelé

Foto: Reprodução Instagram

Nos últimos anos, o ex-jogador Pelé passou por algumas internações. Em dezembro de 2021, o ex-atleta celebrou o fato de ter saído do hospital para comemorar as festas de fim de ano com os familiares.

Dias antes de ser internado, em 10 de fevereiro, começaram os boatos de que o estado de saúde dele tinha piorado, devido ao câncer de cólon. Com isso, o ex-namorado de Xuxa utilizou as redes sociais para informar que ele estava bem.

“Meus amigos, sei que tem gente buscando notícias sobre mim. Então, envio por aqui. Hoje eu tirei o dia para cuidar do meu visual! Desde o início da pandemia, a minha esposa tem sido minha cabeleireira favorita. Estão dizendo por aí que eu não estou bem. Vocês não acham que eu estou bonitão?”, escreveu em uma publicação no Instagram.

Os sintomas do câncer de cólon

Foto: Reprodução Instagram

O câncer de cólon está localizado no intestino grosso e faz parte do grupo de tumores de intestino, que também incluem o reto (final do intestino) e o ânus.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), os sintomas mais comuns são a presença de sangue nas fezes, alteração do hábito intestinal (diarreia e prisão de ventre alternados), dor ou desconforto abdominal, fraqueza e anemia, perda de peso sem causa aparente, alteração na forma das fezes e massa abdominal.

Como esses sintomas também estão presentes em outras condições de saúde, menos graves, é importante procurar um médico para fazer a avaliação correta.

Origem do câncer de cólon

Foto: Reprodução

A maioria dos tumores de cólon são originados na mucosa que reveste o intestino e pode levar anos para se formar. A detecção precoce, assim como a prevenção com a retirada de pólipos, pode ser realizada através da colonoscopia.

A orientação é começar a realização de exames de rotina a partir dos 45 anos de idade. O diagnóstico dos tumores de intestino, incluindo o de cólon, é feito por biópsia.

De acordo com o Inca, a estimativa para 2020 foi de 40.990 novos casos, dos quais, 20.520 em homens e 20.470 em mulheres. Esse é o segundo tipo de tumor que mais acomete os homens (depois de próstata) e as mulheres (depois de mama) no Brasil.

O câncer de cólon é mais comum em pessoas com mais de 50 anos de idade. No entanto, estudos recentes mostram que a doença está se tornando mais frequente em adultos jovens. 

Pessoas que nasceram na década de 1990 têm o dobro do risco de desenvolver câncer de cólon e quatro vezes o risco de ter câncer retal, em comparação aos nascidos quatro décadas antes.

Apesar de não saber a razão disso, estimava-se que pode estar relacionado à alimentação moderna, com o consumo de alimentos processados, carne vermelha e até mesmo bebidas adoçadas com açúcar.

Os fatores de risco incluem idade, histórico familiar, excesso de peso, alimentação não saudável, tabagismo, consumo de bebidas alcoólicas e doenças inflamatórias do intestino.

Fonte: Purepeople, IG MAIL

Tesla: funcionários vão ter que dormir no chão da fábrica em Xangai

Matéria anterior

Elon Musk compra Twitter por 44 bilhões de dólares

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos