Porque Sense8 foi a estréia mais surpreendente do ano

POR Lucas Franco    EM Entretenimento      14/09/15 às 18h56

Com a Summer Season quase no fim, estamos agora num momento de calmaria antes da tempestade. Sim, meus amigos, a Fall Season já está para chegar e, com ela, uma enxurrada de novas séries que vai lotar a grade de muita gente. Com todos os olhares nos novos lançamentos, é hora de voltar um pouco e pensar no que já foi lançado até agora.

A Netflix, depois do sucesso de MARVEL's Daredevil, sorrateiramente colocou uma série chamada Sense8 no ar. E o mundo da televisão americana nunca mais foi o mesmo. Apesar de ter sido duramente criticada por algumas pessoas nas primeiras semanas de lançamento, a série mostrou que veio para ficar - e não apenas pelas inovações que trouxe. Se você não assistiu ainda, corre lá que a segunda temporada ainda vai demorar um tempinho para ser lançada.

E não deixe de conferir também porque Sense8 fez todo o barulho que fez.

Os criadores

Irmãos

Quase todo mundo já viu Matrix. Mesmo quem não viu, já ouviu falar e conhece as referências que, constantemente, a cultura pop faz sobre o filme. A verdade é que Matrix foi um divisor de águas. Ainda hoje, cerca de 16 anos depois, o longa continua sendo discutido como uma revolução no cinema (de forma semelhante à revolução iniciada por Neo contra as máquinas na trama).

Ainda que os Wachowski tenham errado um pouco a mão nos lançamentos posteriores (pelo menos segundo a crítica), o estilo marcante dos irmãos sempre esteve presente, e é justamente este estilo que trouxe um tom diferenciado para Sense8 - o que, com certeza, rebateu no seu sucesso estrondoso.

O elenco

Elenco

A primeira coisa que vem a mente das pessoas quando assistem a uma série como Sense8 é o medo de ela se tornar uma segunda versão de Heroes ou Lost - isto é, um roteiro abrangente, que reúne muitos personagens, enredos e lugares, mas que se perde no decorrer de sua história. E isto é ainda mais perigoso quando o elenco é quase todo composto por atores desconhecidos do grande público.

Mas não é que, mais uma vez, o telespectador foi surpreendido pelas atuações impecáveis de um elenco muito bem escolhido e variado? E isto aconteceu porque, ainda que não sejam conhecidos mundialmente, cada ator é relativamente famoso em seu país de origem, de forma que a série consegue falar diretamente com diferentes públicos. É o mesmo sentimento que nós, brasileiros, temos ao assistir um filme gringo com um ator nascido por aqui no elenco.

A variedade das histórias

Genero

Outra característica marcante da série é o fato de cada uma das oito linhas principais funcionar como uma série própria. Elas existem ao mesmo tempo tanto independentemente quanto como parte de um enredo central. Seja um romance de Bollywood, um drama policial americano, ou uma busca pela aceitação sexual, cada linha da história oferece algo completamente diferente e único para a trama principal. Dito isso, o nível de fluidez que existe entre os personagens e as narrativas é tal que cada um pode seguir os passos dos outros (quase literalmente) e não se sentir excluído dos demais.

As locações

Locações

Enquanto a maioria das novas produções de Hollywood optam pelo famoso fundo verde (e/ou CGI) para levar os atores a outras locações, Sense8 decidiu levar isto a um outro nível: todas as cenas foram realmente gravadas nas nove cidades de destaque da série. Sério mesmo. Apenas imagine o desafio logístico e de continuidade para que todas as cenas pudessem funcionar perfeitamente. Isto significa que um mesmo diálogo foi gravado com meses de diferença. As roupas deveriam ser exatamente as mesmas nas duas cenas. Já pensou?

A diversidade

Diversidade

Ainda que certamente não tenha sido o primeiro show a tratar a diversidade de seus personagens, Sense8 provavelmente foi mais longe neste quesito. A série também não foi a primeira a inserir uma personagem principal transexual, mas a personagem vivida pela atriz Jamie Clayton raramente foi tratada desta forma. Ela não é identificada por sua transição, mas pela mulher que se tornou. Ao invés de ser julgada pelo o que ela era antes, Nomi é julgada por sua contribuição para a trama.

Sense8 não é apenas sobre o encontro das diversidades, é sobre contar suas histórias, independente de quem eles são. E essa diversidade não se limita apenas à aparência externa, já que aborda também uma diversidade de pensamento, crença e realidade de uma forma que realmente funciona.

A filosofia

Filosofia

Muitas pessoas tem se referido a Jonas (interpretado por Naveen Andrews) como um Morpheus pérsico, mas a verdade é que a série não se limita a isto. A filosofia central de Sense8 (que é bastante abrangente) é o da unidade - com si mesmo, com os outros e com o ambiente. Através do conceito de oito peças individuais que se juntam para criar um todo, vemos toda a experiência através de uma realidade, de certa forma, sobrenatural. Ainda que isto possa parecer impossível de acontecer, Sense8, de uma forma geral, é muito fundamentada na realidade e, mais importante, na humanidade de seus personagens.

O impacto

Impacto

Quando se trata do impacto que Sense8 causou, é inegável que a série, durante um bom tempo, esteve bastante presente nas redes sociais (e mesmo fora delas). Seja com os atores abrindo espaços para conversar com os fãs, ou com os espectadores comentando os desdobramentos da trama em diferentes blogs, tumblrs, e páginas pessoais, Sense8 evoluiu para algo que vai além de um simples programa de TV.

A série inflou os telespectadores com o mesmo sentimento de inter-conectividade que os personagens experimentaram. Esses espectadores, por sua vez, tomaram as ideias e filosofias da série e as implementaram em suas próprias vidas, de forma a gerar uma vontade coletiva de se relacionar com os outros com mais compaixão e compreensão e menos julgamento.

Lucas Franco
O cara que gosta do Batman! @heymac14

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+