Ciência e TecnologiaCuriosidades

Radiotelescópio chinês detecta sinais de vida extraterrestre

0

Não é só a Nasa que volta e meia capta informações que apontam para a existência de vida extraterrestre. Os estudos espaciais da China também trazem dados que indicam o contato de outras civilizações. Dessa vez, quem detectou sinais estranhos foi o radiotelescópio Sky Eye, o qual registrou a chegada de ondas com padrões estranhos para nós terráqueos.

Apesar de se tratar de mais uma pista da presença alienígena, o relatório do estudo dessa descoberta foi apagado. Nesse sentido, ainda não se sabe ao certo o que levou a essa exclusão do conteúdo. Mesmo assim, foi o suficiente para desconfiar de que uma inteligência diferente da nossa estivesse por trás.

Fonte: DAI CHUANFU

Publicação e apagão

A princípio, os leitores do jornal estatal Science and Technology Daily tiveram uma surpresa com uma notícia sobre ciência. Tratava-se de uma descoberta dos pesquisadores que analisam as captações do Sky Eye, o maior radiotelescópio do mundo, tendo 500 metros de diâmetro.

Logo, a hipótese dos pesquisadores chineses era de que aquelas ondas foram produzidas de forma artificial. Ou seja, poderia haver uma consciência extraterrestre que produziu aquele sinal ondulatório. Então, eles divulgaram a descoberta e a análise das hipóteses quanto ao material de estudo.

Todavia, pouco tempo depois da publicação, o conteúdo saiu do ar de forma tão misteriosa quanto os sinais eletromagnéticos. Basicamente, não se sabe se a informação foi excluída, pois poderia comprometer alguma personalidade chinesa, ou se é por causa da necessidade de mais avaliações.

Nesse sentido, vale lembrar que, em 2020, o Sky Eye detectou outros sinais suspeitos. Portanto, dois anos depois, outra pista de vida extraterrestre chegou às dependências do radiotelescópio, o que torna ainda mais latente a demanda por uma análise profunda do material.

Fonte: Felix Mittermeier

De acordo com o jornal Bloomberg, os cientistas chineses não descartam a possibilidade das ondas serem por conta de interferência nos sinais de rádio. Logo, seria necessário ver mais de perto antes de colocar créditos em uma inteligência extraterrestre.

Civilizações maliciosas

Enquanto isso, na Espanha, um pesquisador da Universidade de Vigo diz que a terra está sujeita a ameaças de outros planetas. De acordo com o doutorando Alberto Caballero, em artigo publicado na revista Journal of Astrobiology, existe a chance de quatro civilizações com más intenções habitarem a Via Láctea conosco.

Ou seja, haveria um quarteto de comunidades planetárias disposto a invadir a Terra assim que chegar o devido momento. Conforme indica a pesquisa, essa suspeita se deu com base em dados militares que o estudioso recolheu entre 1915 e 2022.

Sendo assim, Caballero colheu todos os relatos de invasões externas ao nosso planeta. Inclusive, entrou na conta também o sinal Wow!, que ganhou esse nome em 1977, por conta do comentário que um cientista deixou na folha ao lado da representação de um contato extraterrestre de 72 segundos.

Em seguida a esse levantamento, o pesquisador espanhol compilou todos os exoplanetas que conhecemos até hoje. Ou melhor, reuniu aqueles que possuem chances de serem habitáveis.

Fonte: Miriam Espacio

Dessa forma, Caballero dividiu a quantidade de invasões pelo número de exoplanetas com chances de vida. Em um exercício de mentalização, a pesquisa chegou ao número de civilizações que estariam estudando a Terra com a intenção de invadir e dominar algum dia.

Por isso, o doutorando pediu cautela às instituições de estudos espaciais ao enviarem dados sobre a Terra ao espaço na esperança de um retorno. Afinal, existe a chance de sermos conhecidos por comunidades planetárias hostis e capazes de nos atacar. Ainda assim, ele ressalta que essa possibilidade é bem remota.

“A probabilidade de invasão extraterrestre por uma civilização cujo planeta enviamos mensagem é, portanto, cerca de duas ordens de magnitude menor do que a probabilidade de uma colisão de asteroides prejudiciais ao planeta”, diz ele.

Fonte: R7.

No futuro, os pneus sem ar podem ser uma mão na roda!

Matéria anterior

Conheça os gênios da pré-história que mudaram os rumos do mundo

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos