Ciência e Tecnologia

Superlua de morango, solstício e planetas, veja os eventos astronômicos de junho

0

O céu de junho será bem interessante para quem gosta de ver espetáculos astronômicos. Outra notícia boa é que serão visíveis a olho nu, com destaque para a primeira de duas “superluas” do ano.

Além disso, junho marca a chegada do inverno. Logo, com seus dias frios, secos e poucas nuvens, tende a ser a melhor época para se observar estrelas e planetas no céu. Isso vale para uma rara oportunidade de ver Mercúrio a olho nu, assim como um alinhamento quíntuplo.

O céu de junho

Para se manter atento em relação aos eventos astronômicos de junho, use um site ou aplicativo de astronomia, como Skywalk, Starchart, Sky Saari ou Stellarium. Por meio deles, é possível encontrar a posição dos objetos e os horários de visibilidade de acordo com sua região. Veja alguns dos principais acontecimentos.

Lua cheia – Superlua de Morango

Reprodução

O nome popular “Superlua” diz respeito a quando a fase cheia da Lua sincroniza ou fica próxima ao seu perigeu, que é o momento em que a Lua está mais próxima da Terra durante o mês, visto que sua órbita é elíptica. Portanto, isso faz com que o nosso satélite, que serve de inspiração para os poetas, apareça até 15% maior e 30% mais luminoso.

Já o “de morango” se refere a como os povos nativos norte-americanos chamavam a Lua cheia de junho. Isso porque é o marco do mês em que os frutos selvagens amadurecem no hemisfério Norte, no final da primavera (outono no hemisfério Sul).

Sendo assim, no dia 17 de junho, a Lua irá nascer por volta das 17h40, logo após o pôr do Sol, na direção leste, que é o lado oposto ao que o Sol se puser. A Lua estará visível durante toda a noite. Porém, o melhor horário para apreciar a vista é durante a primeira hora após o nascimento, visto que ela pode mostrar uma variedade interessante de tonalidades, podendo estar amarelada, alaranjada ou até mesmo avermelhada, de acordo com a interação com a atmosfera.

Caso não seja possível ver a Lua no dia 17, o dia seguinte também apresenta uma oportunidade de observação. A segunda e última superlua de 2022 acontece no mês seguinte, no dia 13 de julho. Esta é conhecida como “dos Cervos”, seguindo a tradição do hemisfério do Norte, por ser a época em que a galhada destes animais se regenera.

Mercúrio na elongação máxima a Oeste

Foto: Horoscopo Site

Temos cinco planetas visíveis a olho nu, sendo eles Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno. O primeiro, no entanto, é o mais difícil de se observar, porque é o mais próximo do Sol, que acaba ofuscando o planeta com seu brilho. Já em junho, Mercúrio alcança sua elongação máxima a Oeste, o que significa que ele estará mais afastado de nossa estrela.

Porém, é preciso acordar cedo, visto que ele estará visível logo antes do Sol nascer, durante aproximadamente uma semana. Assim, a partir da madrugada no dia 16 de junho, observe o Leste (direção que o Sol nasce), entre 5h20 e 6h30 da manhã, quando o céu ainda está escuro. Então, preste atenção e procure por uma pequena estrela com um brilho fixo, um pouco acima do horizonte. Use um aplicativo para saber a posição exata para não perder o evento astronômico.

Solstício de inverno

Solstício

Wikimedia Commons

O dia 21 de junho marca o início do inverno no Hemisfério Sul e do verão no Hemisfério Norte. Sendo assim, às 6h14, estaremos oficialmente em uma nova estação, que será o momento exato em que os raios solares incidem a Terra perpendicularmente sobre o Trópico de Câncer. Isso devido ao ângulo de inclinação da Terra. Logo, tudo abaixo da linha do Equador fica menos exposto ao Sol, iniciando o inverno.

Porém, isso não é algo que se pode observar no céu. Apesar disso, o solstício representa grandes impactos tanto climáticos quanto astronômicos. Por exemplo, para os moradores do hemisfério Sul, é o dia mais curto e a noite mais longa do ano. O contrário acontece em dezembro, no solstício de verão.

Alinhamento de cinco planetas

Museum Victoria/Stellarium/Reprodução

Por fim, na última semana de junho, os cinco planetas do Sistema Solar visíveis a olho nu na Terra estarão alinhados no nosso céu. A ordem exata é:
Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno. Além disso, entre Vênus e Marte, será possível ver o “sorriso” da Lua crescente.

Para ver o alinhamento, é preciso se atentar logo antes do amanhecer, por volta de 5h. Os planetas irão render vistas bonitas até o fim do mês.

Fonte: UOL

Mulher dá à luz em estação de metrô de São Paulo

Matéria anterior

Conheça o fenômeno das roupas digitais

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos