A guerra acompanha a humanidade desde o começo dos tempos. Quando elas acontecem, o mínimo que se pode esperar são atrocidades e demonstrações de ódio e violência. Mesmo com o passar do tempo e a aproximação das nações, isso não mudou muito. Apesar de todos acordos morais e éticos que foram feitos, horrores sempre estarão presentes. A questão aqui é que sempre haverá pessoas imorais ou simplesmente cruéis prontas para cometer os mais diversos abusos.

Assassinato de civis, estupros, inocentes torturados e outras várias brutalidades são comuns no cenário sanguinário da guerra. Quando Varsóvia, na Polônia, foi libertada das garras dos nazistas em 1945, o mínimo que se esperava era que as coisas melhorassem. Quando os "heróis"e combatentes vitoriosos chegaram no lugar... Não houve honra ou grandeza, mas sim uma demonstração bestial contra algumas esferas da população. Em um convento, freiras foram estupradas, torturadas e mortas somente pela "diversão" dos soldados soviéticos que estavam no local.

Hoje a Fatos Desconhecidos traz a triste história dessas freiras polonesas que antes de enxergarem novamente a luz da liberdade, tiveram que passar novamente pelo inferno. Lembrando que nem todas elas sobreviveram, na verdade muitas foram executadas a sangue frio, ou simplesmente sucumbiram aos vários estupros sofridos. Conheça a terrível história das freiras que foram engravidadas pelo Exército Vermelho.

Dra. Madaleine Paulic

Publicidade
continue a leitura

Em 1945, a polônia havia finalmente sido libertada da terrível ameaça nazista.  Varsóvia agora estava sendo recebendo assistência e se reerguendo. Dentro desse processo, a Dra. Madaleine Paulic foi enviada para ser diretora médica de um Hospital Francês. Lá ela teve que encarar teve que encarar uma terrível realidade. Mesmo que os Nazistas estivessem sido expulsos do país e a eminência Alemã tivesse sido contida... A "liberdade e a justiça" deixaram duras cicatrizes no povo do país.

Liberdade a curto prazo

Publicidade
continue a leitura

Com certeza a derrocada dos nazis dentro de Varsóvia trouxe uma luz de democracia novamente ao país, porém isso teve um custo. Não há guerra que não traga consequências horríveis para pessoas inocentes e civis. Não existe lados quando se trata de crueldade e abuso de poder. Não é de hoje que nós conhecemos os abusos causados por soldados de má índoles em uma guerra. Paulic foi testemunha viva disso, o que a deixou chocada e horrorizada com o que experienciou.

Uma certa noite uma freira entra em sua sala e pede que a mesma a siga. Todavia, antes de qualquer coisa , a mesma freira avisa que ela precisava ser discreta e manter sigilo absoluto. Paulic concorda e segue a religiosa até o convento onde esta morava. A médica continua seguindo pelos corredores escuros do local, de forma discreta e silenciosa... Quando ela entra em uma sala junto com a freira, ela tem uma terrível surpresa.

Horror Vermelho

Publicidade
continue a leitura

Madaleine estava horrorizada, para não dizer perplexa com o que viu. Na sala haviam várias freiras, inclusive algumas com um estado de saúde lamentável. Todas estavam grávidas. A freira que a chamou então conta o que aconteceu, o que deixa Paulic sem fôlego. Ela diz que quando o exército vermelho, as forças de Stalin, entraram no país, muitos soldados entraram no convento e abusaram repetidamente das freiras do local.

Eram ao todo 25, porém 15 delas foram estupradas e assassinadas pelos Soviéticos.  A mesma freira conta que cada freira foi violentada entre 35 a 50 vezes. A Dra. Paulic ajudou muitas dessas freiras com abortos, suporte psicológico e também cuidados médicos. As freiras com medo da rejeição da sociedade nada falaram, porém a médica francesa passou para frente a história. Afinal de contas, tragédias como essas não devem ser esquecidas para que não se repitam de novo.

Publicado em: 12/02/18 14h08