• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

10 códigos misteriosos feitos exclusivamente para você não descobrir

POR Júlia Marreto    EM Entretenimento      18/04/16 às 14h52

Quem nunca quis ser um Sherlock Holmes pelo menos uma vez, mesmo que de brincadeira? Os mistérios envoltos na vida são altamente instigantes e deliciosos de se tentar decifrar. E o Sr. Holmes o sabia fazer com a mais alta classe e maestria. Claro que não somos como o querido detetive londrino, mas também temos nossos momentos. E nem por isso devemos deixar de nos deliciarmos com essas belezas criadas pela mente humana, para nos fazer raciocinar e ir atrás de respostas.

Não apenas nos livros, mas em vários seriados, como ScorpionsWhite Collar, entre tantos outros, utilizam linguagens criptográficas e demonstram, através de personagens com Q.I. elevados ou apenas com uma esperteza além do comum, como decifrá-los.

E nesse ar instigante, de uma bela segunda-feira, a nossa redação selecionou uma lista com 10 dos códigos mais misteriosos do mundo. Confira abaixo e brinque um pouco tentando decifrá-los.

1. Manuscrito Voynich

1.

É um livro manuscrito, ilustrado à mão que contém uma série de informações sobre plantas e ervas. O carbono é originário do século XV, acredita-se que no norte da Itália. Até,nem decifradores profissionais, nem de agências governamentais foram capazes de decifrar o que está no livro, por uma simples razão, as palavras estão em uma "língua" que, aparentemente, não coincide com nenhuma outra já conhecida. O conteúdo do manuscrito parece estar destinado a permanecer em mistério, à menos que alguém consiga vencer esse desafio.

2. Chinese Gold Bar Ciphers

2.

São um grupo de criptogramas impressas em várias barras de ouro que, acredita-se, terem sido emitidas para um general chinês em 1933. Os atuais donos das barras alegam que essas foram dadas ao general para que ele pudesse realizar um resgate de 300 milhões de dólares, nos Estados Unidos. Especialistas vem tentando usar os mais variados modelos de técnicas para decifrar os criptogramas, sem sucesso, ao longos desses últimos 83 anos. Deixando os donos das barras sem a possibilidade de resgatar o dinheiro.

3. LCS35

3.

É uma cápsula do tempo em quebra-cabeças, criado por Ron Rivest, em 1999 e está localizada no MIT. Como incentivo para quebrar o código, o prêmio por decifrá-lo está escondido dentro de uma caixa forrada de chumbo. O único problema é que ele é susceptível a 35 anos para que possa ser desvendado, graças ao fato de utilizar um complicado problema matemático para ocultar a solução, requerendo computadores de ponta para realizar os cálculos e não um tradicional método de decifração. É claro que, hoje, com os avanços tecnológicos podem ser utilizadas as mais sofisticadas máquinas para realizar os cálculos necessários mais rápido.

4. O Zodiac Killer

4.

Tornou-se bastante conhecido não pelos assassinatos brutais que realizou, mas pela série de pistas que deixou para trás na forma de criptogramas. Das quatro cifras que ele mandou para a polícia e os jornais, em longas cartas, apenas uma foi decifrada, enquanto as outras ainda não tiveram seus segredos desvendados, as quais poderiam incluir o nome do assassino. Acredita-se que as mensagens enigmáticas foram usadas para insultar a polícia, embora alguns acreditem que os códigos podem não ser decifrados por conter erros.

5. Cifras Beale

5.

Ganharam destaque porque revelariam, aparentemente, a localização de uma quantidade significativa de um tesouro que teria sido escondido, uma vez resolvido. O que levou um grande número de pessoas a tentarem decodificar os três textos que compõem o documento, incluindo informações sobre o tesouro, onde ele está localizado e quem deveria herdá-lo quando descoberto. Até agora, apenas uma parte foi totalmente decifrada, enquanto as outras duas mantém seu segredos escondidos. Ainda há aqueles que acreditem ser nada mais que uma farsa.

6. A Cifra de D'Agapeyeff

6.

Em 1939, Alexander D'Agapeyeff escreveu um livro chamado Códigos e Cifras, que incluía uma cifra como desafio na parte de trás do livro, para que os leitores tentassem resolver utilizando as técnicas aprendidas ao longo da leitura. Conhecida como A Cifra de D'Agapeyeff, tem confundido criptógrafos e criptoanalistas desde então. O que o autor escreveu como um código simples e modesto, para testar o conhecimento dos leitores adquirido nos livros, revelou-se impossível de quebrar, até então, até mesmo por profissionais. E para piorar a situação, o próprio autor se esqueceu qual criptografia usou para criar o código, impedindo-o de revelar exatamente o método.

7. A Cifra de Dorabella

7.

Um código escrito à mão, criado pelo famoso compositor Edward Elgar. Essa cifra permanece sem solução desde 1897, até mesmo a mulher par quem foi enviada não tinha a menor ideia do que significava ou de como decifrá-la. Muitas teorias surgiram, incluindo uma de que os símbolos são parte de um código de substituição ou mesmo melodia, com as diferentes partes que representam notas particulares. Nunca ficou claro para Dora Penny, quem recebeu a cifra, porque Elgar havia enviado a nota, mesmo afirmando que ele nunca havia enviado qualquer carta semelhante para ela.

8. Kryptos

8.

É uma escultura que está do lado de fora da sede da Agência Central de Inteligência, em Virgínia (EUA). Foi criada por Jim Sanborn e contém quatro mensagens criptografadas separadas. Três das quais já foram resolvidos desde a sua indicação em 1990. No entanto, o quarto e último código ainda não foi rompido, apesar de sua notoriedade e as pistas dadas por Sanborn. Considerando-se que a CIA e a NSA tem trabalhado por mais de 25 anos para tentar decifrar o quebra-cabeças, acredita-se que mais pistas serão necessárias para compreender plenamente o código.

9. O disco de Phaistos

9.

Um achado arqueológico descoberto originalmente em Creta, em 1903. Desde então, tem deixado cientistas e especialistas perplexos. Alguns arqueólogos concordam em dizer que o disco de ouro tem data provável entre cerca de 1700 à 1600 a.C., embora não serem capazes de assimilar qualquer que seja o sentido do que está gravado na superfície. Os 45 símbolos diferentes que compõem o texto são amplamente considerados como algum tipo de código, embora ninguém,ainda, tenha sido conseguido decifrá-los desde sua descoberta. Muitos acreditam que este não é, sequer, possível devido à quantidade limitada de dados para trabalhar.

10. O Homem de Somerton

10.

Também conhecido como o Caso de Shud Taman, foi um incidente que, eventualmente, revelou um código secreto que ninguém, ainda, foi capaz de quebrar. Um homem não identificado foi encontrado em uma praia no sul da Austrália em 1948, juntamente a um pedaço de papel que pertencera a um livro. Quando o livro foi encontrado mais tarde, continha números telefônicos e uma cifra que, até hoje, não fora resolvida, envolvendo toda a trama em um mistério.

E aí pessoal, gostarem de conhecer esses enigmas não solucionados? Já conheciam e conhecem outras? E que tal tentar decifrá-los? Lembrem-se de comentar com a gente!

 




Matérias selecionadas especialmente para você

Júlia Marreto
É a dona de um coração esculpido pela literatura e preenchido pelos bons vinhos de Baco. Guiada nas artes da vida por Ares, possui a discreta delicadeza de um elefante pulando carnaval numa loja de cristais! Movida diariamente pelo combustível da vida: o café, essa garota possui raízes profundas na poesia da vida. É muito séria, mas sabe brincar na hora certa. Ama os animais e detesta filme de terror. Apesar de cantar mal, canta com sentimento. E adora musicais! Sua principal tentativa desportiva é o baralho. Ela gosta mesmo é de coisas antigas, apaixonada pela vida e sonha com o universo. Instagram: , @juliamarreto
As categorias Terror, Sobrenatural, CreppyPasta e entretenimento têm como único objetivo de entreter. Não devem ser utilizadas como fontes de artigos científicos ou trabalhos escolares.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+