Curiosidades

10 perguntas e respostas sobre a vacinação contra COVID-19 no Brasil

0

Estamos vivendo a pandemia do coronavírus há mais de um ano. Por ser um vírus mortal, as autoridades de todo mundo se mobilizaram com a situação e tentaram conter o surto.

Desde a sua identificação, ele já fez várias vítimas e infectou inúmeras pessoas. E os números não param de crescer. Na urgência de tentar conter o mais rápido possível a pandemia de coronavírus, laboratórios do mundo inteiro se mobilizaram em busca de uma vacina eficaz contra a COVID-19.

A mobilização teve um bom resultado. Tanto que alguns países já começaram a vacinar sua população. No Brasil a vacinação começou no dia 18 de janeiro. Mas ainda existem muitas dúvidas a respeito da vacinação. Mostramos aqui algumas perguntas e respostas.

1 – Quem será vacinado?

Mulher segura frasco rotulado como de vacina para Covid-19 em foto de ilustração
10/04/2020 REUTERS/Dado Ruvic

O Ministério da Saúde determinou grupos prioritários para a vacinação se baseando no maior risco para o agravamento da doença e morte. Isso foi feito porque não tem vacina para todos, por enquanto. Mas conforme mais doses ficarem disponíveis mais grupos serão incluídos na campanha de vacinação.

Nesse primeiro momento as pessoas que serão vacinadas são: pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas; pessoas com deficiência institucionalizadas; povos indígenas vivendo em terras indígenas; trabalhadores de saúde; pessoas de 60 anos ou mais; povos e comunidades tradicionais ribeirinhas; povos e comunidades tradicionais quilombolas; pessoas com comorbidades; pessoas com deficiência permanente grave; pessoas em situação de rua; população privada de liberdade; funcionário do sistema de privação de liberdade; trabalhadores de educação; forças de segurança, salvamento e Forças Armadas; trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros; trabalhadores de transporte metroviário e ferroviário; trabalhadores de transporte aéreo; trabalhadores de transporte de aquaviário; caminhoneiros; trabalhadores portuários e trabalhadores industriais.

2 – Como saber quando eu tomarei a vacina?

Tanto os Estados como os municípios tendem a seguir as orientações do Ministério da Saúde. Então, fica a cargo dele orientar sobre quais são os próximos grupos a serem vacinados.

Contudo, o calendário de vacinação é estabelecido pelo município. Por isso é bom prestar sempre atenção nos comunicados da Prefeitura da sua cidade. Alguns municípios até criaram um aplicativo que avisará quando será sua vez de tomar vacina.

3 – Onde posso ser vacinado?

Isso depende. Mas, geralmente, a vacinação acontece em postos de saúde. Contudo, em Fortaleza (CE), os idosos, com mais de 75 anos, foram vacinados em suas próprias casas. Por conta disso é preciso ver com a Prefeitura da sua cidade.

4 – Tem que se cadastrar para receber vacina?

Isso também depende. Algumas cidades estão pedindo para que quem for se vacinar e não tem o costume de usar o serviço público de saúde que façam um cadastro anteriormente através do aplicativo “ConecteSUS”, do Ministério da Saúde.

Outras cidades pedem um pré cadastro para facilitar a organização e a notificação dos grupos de vacinação.

5 – A vacina é de graça?

Sim! Quem disponibiliza a vacina contra o coronavírus é o SUS e ela não tem custo nenhum para as pessoas.

6 – Quantas doses são necessárias?

As duas vacinas que foram aprovadas no Brasil, a CoronaVac e a AstraZeneca/Fiocruz, precisam de duas doses. No caso da CoronaVac, o intervalo entre as duas doses é de duas a quatro semanas. Já na vacina da AstraZeneca esse intervalo é de 12 semanas.

7 – Perdi o prazo da segunda dose. O que fazer?

Você poderá tomá-la assim que possível. “Caso haja alguma ocorrência que impeça o indivíduo de retornar no prazo determinado, orienta-se tomar a 2ª dose para completar o esquema”, diz o Ministério da Saúde.

8 – Existe risco de pegar COVID-19 ao tomar a vacina?

Não! A vacina não tem o vírus vivo, por isso não contamina quem a tomar.

9 – A vacina tem efeitos colaterais?

Assim como todo medicamento elas também podem causar efeitos colaterais. A maioria deles é leve e de curto prazo. Além disso, não são todas as pessoas que os apresentam.

Entre os efeitos colaterais mais comuns estão: uma sensação dolorosa no braço que recebeu a vacina, cansaço, dor de cabeça e dores gerais ou sintomas leves de gripe

10 – Pode se tomar outras vacinas simultaneamente?

Não! “Considerando a ausência de estudos de coadministração, neste momento não se recomenda a administração simultânea das vacinas COVID-19 com outras vacinas”, diz o Ministério da Saúde.

O Ministério recomenda que o intervalo mínimo para tomar outra vacina seja de 14 dias.

Homens podem ser menos férteis depois da infecção pelo coronavírus

Matéria anterior

12 celebridades que celebraram a amizade com tatuagens

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar