Teríamos que viver em uma bolha para não vivermos a angústia que de boa parte da sociedade. Afinal, esse sentimento, muitas vezes extremo, vem se fomentando há mais de uma década. E, ao que parece, o ápice da inquietação social parece estar alcançando seu ápice. Como sabemos disso? Protestos. Essa palavra, basicamente, resume tudo.

As distintas opiniões sobre governos, as mudanças climáticas, a globalização e até o direito à liberdade de expressão estão fazendo com que a ansiedade social suba a níveis máximos, capazes até mesmo de provocar histeria. E é por isso, que resolvemos fazer uma lista com os principais protestos que vem ocorrendo ao redor do mundo.

Nossa ideia não é promover nenhum tipo de movimento. Porém, queremos destacar os protestos mais bizarros que encontramos. Confira sete deles.

1 - Manteiga de amendoim em carros

Christina Ferguson decidiu expor sua revolta de uma forma inovadora. Ferguson, para protestar contra o atual presidente norte americano Donald Trump, resolveu espalhar manteiga de amendoim nos carros daqueles, que apoiam o presidente. E como ela sabia quem apoiava Trump? Basicamente, houve um encontro na cidade natal da jovem. Todos aqueles, que apoiam a candidatura de Trump, se reuniram em bar local. Ao todo, Ferguson batizou cerca de 30 carros que estavam no estacionamento. Porém, sabe o que é pior? A moça cometeu um equívoco. Ela passou manteiga de amendoim nos carros de ativistas ambientais. O encontro dos fãs de Trump estava ocorrendo em outro local. Total, acabou sendo detida.

Publicidade
continue a leitura

2 - Pessoas azuis

O muro existente na fronteira entre a Palestina e Israel ocasionou um protesto bastante estranho. Os palestinos, na ocasião, resolveram se fantasiar de Na'vi, personagens do famoso filme Avatar. O Muro de Israel, ou Muro da Cisjordânia, iniciou-se no ano de 2002. O muro, basicamente, é uma barreira entre o território árabe da região da Cisjordânia e o território judeu, representado pelo Estado de Israel, responsável pela sua construção. Alvo de muitas críticas, esse muro sustenta uma grande polêmica tanto no Oriente Médio, quanto fora dele. O protesto em questão foi apenas um dos exemplos, que ocorreu ao longo dos anos.

3 - Laticínios

Publicidade
continue a leitura

Para protestar contra a queda dos preços dos laticínios e o aumento de cotas estabelecidas pela União Europeia, agricultores europeus invadiram Bruxelas com equipamentos agrícolas. O protesto aconteceu em 2009. Na ocasião, além de bombardear a polícia com ovos e outros produtos agrícolas, os agricultores queimaram feno e pneus. Porém, o elemento mais bizarro de todos foram os canhões de leite.

4 - #TrumpCup

Um grupo de apoiadores do presidente Trump decidiu protestar a favor do presidente norte-americano usando dois ícones da cultura pop: Twitter e Starbucks. Tudo começou quando um membro da equipe da Starbucks se recusou a servir um partidário de Trump. Aqueles que participaram do protesto, chegavam ao local e pediam um café. Usualmente, a empresa pergunta o nome do cliente. Esses, então, diziam, Trump. Nesse ínterim, muitos funcionários se recusaram a escrever o nome do presidente dos Estados Unidos nos pedidos. Os clientes, após recolherem o café, pegavam rapidamente uma caneta e escrevia a hashtag Trump. Em seguida, fotografavam e subiam a foto no Twitter.

5 - Protesto de Sangue na Tailândia

Publicidade
continue a leitura

Pode se dizer que esse é um dos protestos mais pesados que iremos retratar aqui. Na Tailândia, apoiadores do primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, deposto em 2010, decidiram realizar um protesto bastante estranho. Os manifestantes despejaram 1.000 litros de sangue humano diante da casa do governo. O sangue foi coletado por enfermeiras. Quando tudo terminou, profissionais da saúde foram convocados para limpar e desinfetar o local.

6 - Extinction Rebellion

Extinction Rebellion ou (XR na sigla adotada é um movimento de ativismo ambiental, que nasceu em outubro do ano passado no Reino Unido. "Extinction" significa extinção e, "rebellion", rebelião. Membros do grupo, que se identificam como "rebels" (rebeldes) dizem querer promover uma rebelião contra a extinção das espécies, inclusive a humana, algo que, afirmam, vai acontecer se nada for feito agora por nossos representantes políticos para impedir a mudança climática. Nos protestos, os grupos se vestem sempre de vermelho. É de dar medo, não é?

Publicado em: 13/02/20 19h18