• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


6 rituais mais "bizarros" do mundo

POR Diogo Quiareli    EM Curiosidades      30/12/16 às 13h47

[ATENÇÃO: A matéria não tem a intenção de criticar, nem mesmo ditar o que é certo ou errado entre as práticas. Muito menos envolver um posicionamento religioso a respeito]

O mundo é composto por diversos tipos de costumes, diversos povos que seguem suas religiões e suas culturas que, na maioria das vezes são os opostos das demais, e assim temos uma imensa diversidade. É muito comum as pessoas apontarem o dedo para o próximo e julgar seus comportamentos, ditar verdade absoluta ao afirmar que a sua é a correta e isso causa discussões intermináveis  e até conflitos mais sérios. Algumas religiões mantém seus rituais bem vivos, sejam eles para provar sua fé, sua maturidade ou apenas sua inteligência, e entre esses, podemos destacar uns que são no mínimo bizarros. Alguns envolvem algum tipo de má condição social até práticas extremamente dolorosas.

E foi pensando em vocês que amam tanto uma novidade e que são, assim como a gente, Ultra Curiosos, que resolvemos listar 7 dos rituais mais bizarros do mundo todo. Confiram com a gente essa matéria e se surpreenda com algumas dessas práticas.

1- As cicatrizes feitas em Sepik

1

Algumas tribos que vivem próximas ao rio Sepik costumam cortar os jovens nas costas, barrigas e nádegas deixando similar a pele de um crocodilo como provas de sua maturidade, para mostrar que viraram adultos. E durante esse tempo, os homens passam uma semana sendo tratados como mulher e recebendo humilhações dos outros.

2- Salto pela colheita em Pentecostes

Na Ilha de Pentecostes, as pessoas constroem uma estrutura de 20 metros ou mais e saltam apenas com dois cipós presos em seus pés. O motivo disse é a crença de que quanto mais alto saltarem, maior será a colheita de Inhame naquele ano, e eles afirmam que a maior parte das pessoas que saltaram saíram sem nem um arranhão.

3- Dentes de tubarão

Na tribo Mentawai tem um ritual um tanto diferente, lá as meninas quando atingem a idade para se tornar mulher passam por um processo de escarificação dos dentes, que é feito pelo xamã da tribo. Elas realizam todo esse processo sem anestesia, na intenção de ficar com os dentes similares aos de tubarões, seguindo então os costumes de estética do lugar.

4- Luta de chicotes

Para que os meninos Fulani passem a ser considerados homens eles tem que confeccionar um chicote de forma que pareça ser bem doloroso, em seguida lutar utilizando ele com outros meninos que estão passando pelo menos ritual na frente de toda a aldeia. O objetivo é bater com a maior força que conseguir e gemer o mínimo que puder.

5- O rito do sangue

Na tribo de Papua Nova Guiné, os menino tem que passar por um ritual bem doloroso para poderem ser vistos como guerreiros e "não sofrer" os castigos dos deuses pelo resto da vida. Mesmo sabendo o quão ruim é, eles esperam ansiosos pelo dia que terão que retirar qualquer influência feminina de seus corpos, forçados a vomitar e retirar toda sua secreção nasal e em seguida ter sua língua perfurada várias vezes, se conseguirem passar por esse ritual eles passarão a ser considerados guerreiros corajosos.

6- Luva de formigas

A tribo Satere-Mawe, localizada na Amazônia, Brasil, tem um dos mais dolorosos rituais de passagem do mundo. Eles utilizam a formiga 24 (nome dado ao tempo de dor horrível que a pessoa sente com uma picada), além da dor as pessoas sofrem de vômitos, náuseas e arritmia cardíaca. Durante o ritual, as pessoas colocam cerca de 30 formigas na mão, formando uma luva e tem que suportar a dor para de tornar um guerreiro, enquanto isso as pessoas da tribo cantam para distrair o jovem.

E aí, o que vocês acharam? Conta pra gente.

Próxima Matéria
Diogo Quiareli
Geminiano, 24 anos, goiano.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+