7 animais que possuem carreiras militares incríveis
Tempo de leitura:4 Minutos, 2 Segundos

7 animais que possuem carreiras militares incríveis

A vida militar, como sabemos, possui ênfase em um comportamento disciplinado e uniforme. Destacar-se no setor, é difícil, mas não impossível, afinal, sempre há quem o consiga. Destes, acredite ou não, alguns foram ou mesmo são animais.

Exatamente! Ao longo da história, inúmeros animais seguiram carreira militar e conseguiram se destacar mais do que qualquer oficial, ganhando até mesmo homenagens e medalhas. Portanto, conheça agora, sete dos animais que foram militares e suas fichas.

1 – O elefante Lin Wang

Lin Wang foi um veterano da Segunda Guerra Mundial. Mesmo sendo um elefante, lutou tanto do lado japonês, quanto do lado chinês, na Segunda Guerra Sino-Japonesa. Sua tarefa, basicamente, era puxar canhões para o exército japonês, no meio das selvas de Burma. Sua unidade foi derrotada pelas tropas chinesas, em 1943. Mesmo assim, Lin Wang continuou então sua carreira militar, sob o comando dos chineses, até a guerra terminar.

O exército chinês o liberou em 1952. Lin Wang, desde então, passou a viver em um zoológico taiwanês, ao lado de uma senhora elefante, que se tornou sua companheira para o resto da vida.

2 – O porco Rei Netuno

O porco Rei Netuno foi o único membro “real” da Marinha americana. Basicamente, o animal ajudou as forças armadas americanas na arrecadação de fundos. O porco tornou-se a principal atração dos eventos, que as forças armadas americanas organizavam. Em pouco tempo, o porco se tornou um sucesso. Nos shows que participava, o animal aparecia usando brincos de prata e uma coroa dourada. Como era um porco da raça Hereford, suas cores naturais eram vermelho e branco.

Acredite ou não, o porco levantou US$ 19 milhões em bônus de guerra. Estima-se que a maior parte do dinheiro foi usado para a construção do navio USS Illinois. Quando morreu, recebeu um funeral, com todas as honras militares.

3 – O cão

Durante as inúmeras guerras que ocorreram ao longo da história, navios levavam gado vivo para servir de alimento às tropas. Por isso, era bastante comum haver cães à bordo. Os cães, basicamente, não só mantinham o gado sob controle, mas também podiam salvar quem caísse na água.

De todas formas, esses cães não eram considerados membros da tripulação. Bom, não todos, havia uma exceção: Nuisance, um enorme Dinamarquês Sul Africano. Nuisance era realmente enorme. Atingia 2 metros quando ficava de pé. A maior parte do seu tempo, na Cidade do Cabo, ele passou ao lado de marinheiros.

Por ter conquistado os militares, Nuisance, literalmente, se alistou na marinha. A cerimônia ocorreu em agosto de 1939. Apesar de nunca ter desbravado o mar, foi um membro querido e respeitado. Mesmo depois de morto, sua estátua está guardada em seu porto natal até hoje.

4 – O cavalo Sefton

A carreira militar de Sefton estendeu-se por 17 anos. Ao longo dela, ganhou inúmeros troféus. Não é por acaso que Sefton foi o primeiro Cavalo Britânico, a ter uma ala no Royal Veterinary College com seu nome. O animal foi honrado dessa maneira, após sobreviver ao ataque de uma bomba. Na ocasião, vários cavalos e cavaleiros foram mortos.

5 – O bode William Windsor

William “Billy” Windsor foi, de fato, amigo da Realeza Britânica, tanto que, conforme a recomendação da Rainha e a tradição histórica, Billy Windsor tornou-se membro do batalhão de infantaria “Royal Welsh” do Exército Britânico. Acredite ou não, o bode até recebia um salário. Uma de suas principais tarefas era liderar os desfiles da unidade. Como privilégio, ele recebia rações diárias de cerveja Guinness, que era para manter o nível do ferro, e dois cigarros. Na época, acreditava-se que comer cigarros era bom para os bodes.

6 – O gato Simon

Simon foi encontrado em um porto de Hong Kong, em 1949, e foi adotado pela tripulação da corveta britânica HMS Amethyst. Rapidamente, o bichano conquistou toda a tripulação. Em um determinado momento da história, o HMS Amethyst acabou na guerra civil chinesa. No processo, Simon saiu bastante ferido e parecia que não iria sobreviver. Felizmente, sobreviveu. Quando o navio retornou, Simon se tornou uma celebridade instantânea e até recebeu a PDSA Dickin Medal, uma condecoração equivalente à Cruz da Vitória. Mesmo tendo sobrevivido e retornado à casa, Simon morreu, pouco tempo depois, devido a um vírus que contraiu.

7 – O cão Sinbad

Sinbad foi marinheiro no USCGS George W. Campbell. Isso mesmo, marinheiro. Sinbad era um membro oficial, afinal, havia se alistado, possuía documentos e tudo mais. Também tinha sua Cruz Vermelha e ID de serviço e até uma beliche. Mas tinha um defeito: era viciado em whisky. Com seus companheiros militares, visitava todos os bares. Por isso, acabou atraindo a atenção da mídia. Tornou-se, então, figura pública.

Mesmo sendo famoso, participou da guerra. Considerado um membro valioso da tripulação, recebeu um total de seis medalhas. Quando se aposentou, viveu uma vida tranquila, de bar em bar.