Atuar não é tão simples quanto parece: o método requer várias técnicas e, muitas vezes, o papel exige bastante do ator. São nesses casos que o artista faz uma conexão emocional tão forte com o personagem que ele temporariamente se perde nele. Como resultado temos, normalmente, atuações fantásticas e mesmo que todo esse esforço gere graves consequência de saúde para alguns deles, todos repetiram o sacrifício em prol da arte.

Separamos sete casos em que os atores foram tão escravos de seus personagens que quase perderam o caminho de volta à sanidade, infelizmente com exceção de um caso fatal.

7 – Adrien Brody (O Pianista)

Para o papel de um sobrevivente judeu na época do holocausto, Adrien Brody literalmente desistiu de tudo. Para interpretar Wladyslaw Szpilman no filme de Roman Polanski, o ator desistiu de seu apartamento, vendeu seu carro, se isolou de outras pessoas e se mudou para a Europa, levando apenas dois sacos de roupa e seu teclado. Lá, ele passou fome e tocava piano quatro horas por dia.

O ator revela que queria experimentar algo diferente, queria sentir a jornada e que, no final das contas, sentiu mesmo. Contudo, ele acrescenta: “havia momentos em que eu estava preocupado que poderia não ser capaz de sair de lá são, porque eu não sabia o quão longe isso tinha me levado”.

6 – Shia LaBeouf (Fúria)

Publicidade
continue a leitura

Em Fúria, filme de David Ayer com cenário na Segunda Guerra Mundial, Shia LaBeouf incorporou mesmo o soldado de guerra. O ator se recusava a tomar banho nos períodos de filmagem, algo que durou quatro meses. Segundo ele, dessa forma ele poderia experimentar o estilo de vida de um membro da equipe que dirigia tanques na década de quarenta. Além disso, ele também cortou seu rosto na frente do elenco, fez um dentista arrancar um de seus dentes e passou um mês na base do exército.

5 – Jared Leto (Esquadrão Suicida)

Segundo relatos, as filmagens de Esquadrão Suicida foram tão malucas que o elenco tinha a sua disposição um terapeuta, justamente para evitar qualquer surto psicológico. Mas isso não resolveu com uma dessas pessoas. Jared Leto se desviou do caminho são para entrar no espírito do personagem. Ele distribui presentes bizarros aos companheiros de elenco: para Will Smith um bocado de balas; uma caixa cheia de ratos vivos para Margot Robbie, e para o restante ele enviou um vídeo dele com um porco morto.

4 – Johnny Depp (Medo e Delírio)

O filme é baseado em um romance de Hunter S. Thompson (no qual relata suas reais experiências de vida) e tem Johnny Depp como um dos personagens principais. A história de Raoul Duke (Depp) e seu advogado rumo à Las Vegas para conquistar o famoso sonho americano por meio da venda de drogas ilícitas. Na preparação para as filmagens, o ator se mudou para o porão de Thompson, onde passava seus dias fumando, bebendo, e revirando manuscritos, tudo isso ao redor de barris de pólvora. Ele passava horas interrogando o autor e até pediu para ele raspar sua cabeça, pois estava insatisfeito com o trabalho da equipe de maquiagem. Segundo Depp, essa atitude foi para fortalecer o personagem.

Publicidade
continue a leitura

“Eu era abençoado o suficiente, ou amaldiçoado o suficiente, para passar uns bons três ou quatro meses com Hunter Thompson antes de gravar. Então ele foi uma riqueza de informações. Ele foi uma incrível fonte de conhecimento. Ele foi generoso com seu tempo e sua vida privada. Ele até me deixou entrar no porão. Tornar-se um cupim”.

3 – Daniel Day Lewis (Qualquer filme)

Um homem conhecido por ser um “louco varrido”, Daniel Day Lewis é um dos melhores atores de sua geração. Em 1989, com Meu Pé Esquerdo, ele não saia da cadeira de rodas no set, seus colegas de elenco precisavam alimentá-lo e ajudá-lo a se locomover pelo ambiente. Ele passou tanto tampo encurvado na cadeira que fraturou duas costelas.

Em O Último dos Moicanos, Lewis passou seis meses em um acampamento na floresta, aprendendo a viver fora da sociedade moderna. Ele aprendeu a pescar, caçar e retirar a pele de um animal. No filme Gangues de Nova York, o ator pegou pneumonia porque se recusou a vestir um casaco mais grosso no frio, pois ele queria passar a imagem de uma pessoa fria e enrijecida.

“Eu nunca estou longe de uma sensação de um potencial absurdo do que estou fazendo e, talvez, quando mais velho fico, mais difícil é de me livrar disso. Talvez por isso possa parecer que levo muito a sério”.

Publicidade
continue a leitura

2 – Christian Bale (O Operário)

Bale já é conhecido por sua metamorfose. Com ele não tem essa, se precisar, ele perde e ganhar peso para o papel. Contudo, em um de seus filmes talvez ele tenha ido muito longe. Em O Operário, o ator perdeu cerca de 30kg para interpretar o personagem, chegando a pesar por volta de 50kg. Basicamente ele se alimentava todos os dias com um café preto básico, um lata de atum e uma maçã, além de começar a fumar para suprir seu apetite. O filme é um conto obscuro sobre o um homem que lentamente começa a perder a cabeça em consequência da insônia. Bale foi quase literal na sua preparação.

1 – Heath Ledger (Batman: Cavaleiro das Trevas)

Ao se trancar em um quarto de hotel por um longo período, Heath Ledger criou uma bolha de isolamento a fim de se preparar para interpretar o Coringa no segundo filme da trilogia Batman de Christopher Nolan. No confinamento, o ator mantinha um registro de todo seu ritual e para entrar na psicopatia do personagem, Ledger ingeria pílulas prescritas, ironicamente foi o que o levou a óbito. Heath Ledger é um exemplo forte de ator que se conectou de forma tão intensa e absoluta com o personagem que no caminho para a perfeição ele abriu mão de sua sanidade e sua vida.

“Eu me sentei em um quarto de hotel em Londres por cerca de um mês, me tranquei, elaborei um pequeno diário e testei vozes – era importante tentar encontrar tanto uma voz quanto uma risada icônica. Acabei me direcionando para o reino da psicopatia, me transformando em uma pessoa com muito pouca ou nenhuma consciência de seus atos. Ele é apenas um sociopata absoluto, um palhaço serial killer, e Chris [Nolan] me deu liberdade. O que é divertido porque não há limites reais para o que o Coringa diria ou faria. Nada o intimida e tudo é uma grande piada."

Concordam com a lista? Quais outros exemplos poderiam ser adicionados a ela? Lembrando que nossa intenção não é de impor verdades, desrespeitar e nem ofender ninguém. Nosso intuito é apenas de informar, instigar e entreter mentes curiosas.

Publicado em: 02/03/17 15h52