7 coisas sobre o Hulk do cinema que não fazem sentido

POR Gabi Noronha    EM Fatos Nerd      26/04/18 às 15h51

Criado no início da década de sessenta pelas mãos e mentes de Stan Lee e Jack Kirby, o Hulk é um dos personagens mais conhecidos no universo Marvel. A história da HQ original acompanha Bruce Banner, um brilhante cientista que sofre um acidente com radiação gama e tem sua vida virada do avesso com as consequências disso. A origem de Hulk, junto a de heróis como Homem-Aranha e Wolverine, é uma das mais populares do meio, e nem precisa ser repetida - origem essa que, inclusive, teve inspirações em O Médico e o Monstro, clássica obra literária escrita por Robert Louis Stevenson.

O personagem já teve diversas adaptações live action. Na televisão, a versão mais famosa é da década de 1970, protagonizada por Lou Ferrigno. No cinema, com direitos pertencentes a Universal Studios, ele teve mais algumas tentativas. Uma em 2003, com Eric Bana, que não foi tão bem aceita pelo público. Cinco anos mais tarde, o estúdio apostava em Edward Norton e em uma abordagem diferente. A obra agradou mais que a anterior, mas o ator não queria voltar para o papel e, por isso, a continuação nunca aconteceu. Até que um acordo entre os estúdios Universal e Marvel colocou o personagem dentro do universo cinematográfico criado pela Casa das Ideias.

Dessa vez, Hulk passou a ser interpretado pelo ator Mark Ruffalo que, surpreendentemente, se saiu muito bem no papel. Sua estréia foi em Os Vingadores, de 2012. Por mais que o herói não tenha mais filmes solo, o estúdio aderiu a história contada pela Universal no filme anterior. Apesar disso, os mundos parecem não estar em sincronia. A seguir, selecionamos alguns exemplos de como certas coisas não fazem sentido com esse Hulk.

1 - Suas calças intactas

Se nos quadrinhos temos mais informações a respeito dessa importante vestimenta, nos filmes as coisas são menos claras. Nos longas anteriores, Bruce Banner apenas pega uma calça bem maior do que ele e veste. Já em Os Vingadores, quando Bruce se transforma, ele está de calça jeans. Como assim? De fato, Tony Stark pode ter desenvolvido alguma calça especial para ele, contudo os filmes não explicam nada sobre essa possibilidade.

2 - Bruce controla Hulk, até ele não controlar mais

Em Thor: Ragnarok, quando Bruce volta ao seu corpo normal, o Deus do Trovão explica que ele passou dois anos como Hulk. O mais intrigante, contudo, é entender como exatamente isso aconteceu. Isso porque em Os Vingadores fica claro que Bruce possui total controle sobre sua transformação. O segredo, como ele mesmo diz, se deve ao fato de ele "sempre estar com raiva". Então, como e por que o Gigante Esmeralda tomou conta de seu corpo?

3 - Incrível Hulk como um reboot e uma sequência

Com Eric Bana no papel de Bruce Banner, foi contada a origem do personagem no filme de 2003. Dessa forma, a história mostra Banner como cientista e seu acidente com radiação gama no laboratório. O filme, portanto, é mais voltado para o conflito interno que ele vivia do que em brigas físicas. Por outro lado, Incrível Hulk, longa de 2008, apresenta Banner já como o Gigante Esmeralda. Sua origem foi apagada e ele começa a nova história fora do radar do governo, escondido na América do Sul. Mesmo sendo diferentes, podemos dizer que ele é uma continuação de seu antecessor - e, ao mesmo tempo, um reboot. Confuso, não?

4 - Betty quem?!

Nos filmes solos do Hulk, a única pessoa que conseguia acalmá-lo era Betty Ross. A personagem exerceu forte influência na vida do herói, seja como o gigante, seja como Bruce Banner. Em todas as duas versões, Betty permaneceu como um ponto de apoio para ele. Havia, claro, todo o sentimentalismo dele não querer machucá-la e por isso não puderam ficar juntos. Contudo, o personagem tinha uma razão para seguir em frente e lutar. Desde que ele entrou para os Vingadores, entretanto, Betty foi totalmente apagada - embora seu pai tenha continuado na trama em Guerra Civil.

5 - Cada filme, um visual diferente

A troca de uniforme de um super-herói de um filme para outro é natural. Há melhorias tecnológicas e diversas outras razões que poderiam justificar tais mudanças. Porém, neste caso, Hulk nunca teve um traje específico. Veja bem, isso em relação aos filmes. Por isso, em tese, o personagem não deveria mudar. O problema é que três atores já o interpretaram, de modo que as alterações na fisionomia ocorreram para que o gigante se parecesse mais com Bruce. Entretanto, a versão de Edward Norton não se parece nada com ele e a de Mark Ruffalo já teve mais de uma alteração na aparência.

6 - A inconsistência de poder

Esse é um problema que não se limita apenas a ele. Nos filmes da Marvel já vimos a armadura do Homem de Ferro resistir a uma rajada de raio do Mjolnir, apenas para vê-la destruída depois por um caminhão. Assim como também já testemunhamos Capitão América ir para a briga de igual para igual contra Ultron logo depois do vilão ter surrado Thor com facilidade. Com Hulk não foi diferente. Ao mesmo tempo em que ele é um monstro gigante e forte, ele consegue levar uma surra de máquinas.

7 - O "romance" com Viúva Negra

Um palpite grotesco seria que os produtores quiseram colocar Natasha Romanoff como uma espécie de substituta para Betty Ross. Um romance sem nexo, sem química e sem emoção. É uma das partes mais forçadas de todo o universo unificado Marvel. E nem há muito o que dizer sobre isso.

Concorda com a lista? O que você acredita não fazer sentido na vida de Hulk dentro dos filmes? Comente com a gente!

Via   SR  
Gabi Noronha
Resumindo, é basicamente isso! Mais aventuras em Instagram: @gabinoronhaf

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+