• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

7 descobertas recentes que dão esperança para quem sofre dessas doenças

POR Leticia Rocha    EM Ciência e Tecnologia      11/03/19 às 18h24

Vivemos em pleno século XXI e, felizmente, já alcançamos grandes avanços em vários sentidos. Ciência, tecnologia, relações humanas e na saúde. Doenças que antes dizimavam cidades inteiras, hoje não têm tanto alcance, algumas até já não são notificadas. Epidemias e vírus são controlados e não assombram mais como há séculos atrás. Mas mesmo tendo alcançado tanto desenvolvimento, ainda hoje algumas doenças terríveis ainda assombram a humanidade.

Algumas doenças são conhecidas como crônicas e não têm cura, apenas tratamento. Enquanto que outras, mesmo tratando, não garantem um pleno livramento. Infelizmente não avançamos o suficiente para não contrair nenhuma dessas enfermidades. Mas isso não impede os estudiosos de tentaram encontrar uma solução. Por sorte, os avanços continuam a acontecer e novas descobertas são motivo de esperança para muitas pessoas que sofrem com doenças graves.

Descubra agora algumas dessas descobertas.

1 - Droga contra vários tipos de câncer

Pesquisadores do Instituto de Pequisa do Câncer, em Londres, testaram uma nova droga que age contra vários tipos de câncer. A tizotumab-vedotin penetra no tecido com tumor e o destrói por dentro. A substância foi testada em pacientes que sofriam com câncer recorrente e já não respondiam às demais formas de tratamento. Ao todo, 120 pacientes receberam a droga e boa parte deles apresentou progresso em seu tratamento.

2 - Parkinson

A doença de Parkinson geralmente afeta pessoas mais velhas, e é um distúrbio que atinge o sistema nervoso central e isso afeta o movimento e causa tremores. Recentemente, uma pesquisa realizada com pessoas que já sofriam com a doença há alguns anos, trouxe bons resultados. A droga GDNF foi injetada diretamente no cérebro dos pacientes, e após 9 meses de tratamento, o cérebro deles já havia rejuvenescido cerca de 5 ou 6 anos. Um grande avanço para a doença, já que os próprios pacientes notaram uma melhora significativa no seu quadro.

3 -  Artrite reumatoide

A artrite reumatoide é uma doença que afeta as articulações, provocando a inflamação dessas vias. A doença não tem uma causa específica e o tratamento é sintomático. Mas o ano de 2019 começou com alguns progressos no tratamento da doença. Os cientistas parecem ter descoberto o causador da doença, que é o gene ELMO1. Agora os especialistas buscam uma droga que seja capaz de desabilitar tal gene. Além disso, agora que sabem o causador, podem também buscar uma forma de detectá-lo, antes que apareçam os primeiros sintomas.

4 - Cura da tuberculose

A tuberculose é uma doença bacteriana infecciosa que afeta milhares de pessoas em todo o mundo. A doença pode ser difícil de ser tratada, já que a bactéria se adapta aos antibióticos. No entanto, isso parece estar perto de mudar. Os cientistas descobriram que a toxina MbcT é capaz de matar as bactérias, o que facilitaria o tratamento da doença. A substância até agora só foi testada em camundongos.

5 - Fim dos inaladores pra quem sofre com a asma

As pessoas que sofrem com asma precisam ter sempre à mão seus inaladores. No entanto, uma droga chamada Feviprant pode colocar fim ao uso dos inaladores. A droga já está em teste há algum tempo e é capaz de evitar a constrição das vias aéreas, o que provoca os ataques de asma.

6 - Diabetes

As pessoas que sofrem com a diabetes às vezes precisam aplicar insulina e para isso utilizam as injeções. No entanto, os cientistas da Universidade de Massachusetts desenvolveram uma pílula que vai dispensar o uso das agulhas. Basta ingerir a pílula que ela irá liberar a insulina na parede do estômago, sem que isso cause nenhum desconforto.

7 - Recuperação de danos cerebrais

Quando ocorre um dano cerebral, a região afetada perde a capacidade de produzir neurônios. Acontece que as células que ajudam a criar essas conexões neurais continuam presentes na região, basta apenas ensiná-las a construir os neurônios novamente. E é nisso que os cientistas têm trabalhado. Eles criaram uma combinação de moléculas que ajuda nessa transformação. Os estudiosos pretendem que com uma pílula se possa no futuro ajudar a tratar pessoas que sofreram um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e também aqueles que sofrem com o mal de Alzheimer.

E você, já sabia de alguma dessas descobertas? Nos conte aqui nos comentários e aproveita para compartilhar com os amigos. Talvez isso traga esperança para alguns deles.

Próxima Matéria


Matérias selecionadas especialmente para você

Leticia Rocha
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+