7 fatos curiosos que você não sabia sobre esperma

POR Thamyris Fernandes    EM Sem categoria      15/12/14 às 19h06

Desde criança, a gente começa a aprender no colégio - mesmo que de forma superficial - sobre o processo reprodutor humano. É assim, aliás, que descobrimos como óvulos e espermatozoides reagem para a formação da vida humana, tudo isso dentro do útero feminino. Mas, embora essa seja uma informação de conhecimento comum, há muito mais coisas sobre as células reprodutoras dos homens que a maioria das pessoas sabem.

Embora estudos sobre os espermatozoides e sobre o esperma humano estejam sempre em andamento e haja sempre coisas novas a serem descobertas, hoje você vai conhecer algumas curiosidades sobre eles que, até então, os livros de Ciência não te contaram.

Confira a lista abaixo e fique sabendo de alguns dos fatos mais curiosos descobertos até agora sobre esse assunto:

1. A descoberta

4

A primeira vez que os espermatozoides foram vistos e mencionados em relatos científicos foi em 1677. Nessa época, o holandês Antony van Leeuwenhoek, um desenvolvedor de microscópios, se interessou por estudar os mistérios do esperma humano - a partir de uma amostra que ele colheu de si mesmo - e acabou se deparando com o que descreveu como "animais minúsculos que se movimentam como enguias".

2. Alimentação

1

Sabia que o que os homens comem costuma interferir, para bem ou mal, na produção do esperma? Pesquisas realizadas entre 2011 e 2012 descobriram que homens que consome grandes quantidades de vitamina C, por exemplo, especialmente acima dos 44 anos, têm até 20% menos danos no DNA de seus espermatozoides. Os mesmo efeitos, aliás, foram constatados naqueles que ingeriam altas quantidades de vitamina E, zinco e ácido fólico. Além disso, o DHA, um ácido encontrado especialmente na carne de peixes foi considerado, conforme tais estudos, um dos fatores de maior responsabilidade na formação de espermatozoides saudáveis.

3. Formato

2

Embora seja comum nos livros de Ciência encontrarmos espermatozoides de um formato padrão, com caudas alongadas e cabecinhas redondas; a verdade é que isso não existe. Conforme estudos feitos ao longo da história, a maioria dos espermatozoides produzidos pelos homens não tem essa aparência e, normalmente, são mais desengonçados. Isso porque é normal encontrar "exemplares" por aí com duas cabeças, caudas curtas e defeitos de toda forma no chamado "pescoço". Mas, embora isso seja real, os cientistas ainda não sabem dizer o que causa essas alterações das células.

4. Reino animal

3

Outro tipo de esperma que, geralmente, é digno de estudo, é o do mundo animal. Normalmente as células encontradas nas amostras de esperma dos bichos são ainda mais bizarras, como no caso dos besouros, por exemplo. Segundo estudos, os espermatozoides desse seres nadam em pares ou em grupos (muitas vezes superiores a 100 células).

Já no caso das toupeiras, a maioria dos espermatozoides nem é capaz de nadar. Por isso, somente 0,1% das células reprodutoras dessas espécie é capaz de fazer a fecundação, porque o resto, simplesmente, fica inerte!

5. Fertilização

5

Embora a existência dos espermatozoides tenha sido descoberta no século 17, foi só no século 19, no ano de 1890, que a forma como a fertilização acontece foi, finalmente, desvendada. Nessa época, alguns cientistas acreditavam que humanoides, minúsculos e pré-formados, ficavam presos na cabeça dos espermatozoides. Estes, por sua vez, se desenvolveriam no útero feminino, que só funcionava como uma espécie de forno.

6. O ímã

6

Tá que os espermatozoides são grandes nadadores, mas nesse disputa, literalmente, pela vida, vence aquele que recebe a maior "ajuda" do organismo feminino. Isso porque a progesterona, o hormônio da mulher, estimula os espermatozoides a nadarem com maior velocidade até o óvulo, como se fosse um ímã. Aliás, essa espécie de comunicação entre a célula e o hormônio feminino é possível devido a uma proteína, conhecida como catsper, presente nos próprios espermatozoides.

7. Voz masculina

7

Embora as mulheres costumem se derreter por homem com voz mais grave e forte, a verdade é que a maior concentração de espermatozoides está presente em "exemplares" masculinos com voz mais agudas. Isso porque, segundo estudos recentes, a maior quantidade de testosterona no organismo - hormônio masculino, responsável também pelo tom grave da voz - é prejudicial para a produção do esperma.

Fala sério, aposto que você não tinha nem noção da maioria dessas curiosidades, não é mesmo?

Ficou chocado com esses fatos curiosos e desconhecidos? Então, com certeza, você também vai ficar impressionado ao conhecer algumas receitas a base de sêmen humano.

Thamyris Fernandes
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+