Curiosidades

7 fatos sobre o Plague Inc.

0

Recentemente, as buscas no Google pelo jogo Plague Inc., dispararam por todo o mundo, inclusive no Brasil. Contudo, o aumento no interesse está diretamente relacionado com o atual surto do coronavírus, em diversos países. Tudo porque o jogo possui uma premissa um tanto quanto curiosa, simular uma pandemia de uma doença mortal.

Por conta da explosão de interessados no jogo, o site da desenvolvedora Ndemic Creations acabou saindo do ar, por conta do pico de acessos. Mesmo que o jogo possa ter sido relacionado com o atual surto, a empresa alerta que não há nada baseado na realidade. “Contudo, por favor se lembrem que Plague Inc. é um jogo, não um modelo científico. E o atual surto do coronavírus é uma situação real, que está impactando um grande número de pessoas. Nós sempre recomendamos que os jogadores busquem as informações diretamente com as autoristas locais e globais de saúde”.

Para os interessados, o título está disponível para celulares Android e IOS, PlayStation 4, Xbox One, Nintendo Switch e PC. Além disso, você também pode conferir 7 fatos sobre o Plague Inc. que nós separamos para vocês.

1 – Lançado em 2012

Para quem não sabe, esse jogo não é dos mais recentes. Dessa forma, ele foi lançado para Android e IOS, em 2012. Entretanto, em 2015, ele recebeu um port para Windows, Linux e macOS, além de um novo título, Plague Inc: Evolved. Essa segunda versão também está disponível para PlayStation 4, Xbox One e Nintendo Switch.

2 – Inspirado em Pandemic 2

De acordo com a Ndemic Creations, desenvolvedora do jogo, o jogo é inspirado em Pandemic 2, que usa o Adobe Flash Player e pode ser jogado no próprio navegador. Semelhante ao Plague Inc., o Pandemic 2 possui a mesma premissa do jogo, espalhar o vírus pelo mundo, até que todas as pessoas sejam infectadas. Pandemic 2 foi criado pela Dark Realm Studios, em 2008.

3 – Um dos melhores jogos de estratégia de 2012

Em 2012, o Plague Inc. levou o prêmio de um dos melhores jogos de estratégia do ano, com um total de 85 milhões de downloads e inúmeras críticas positivas. Assim, ele o prêmio de vice-campeão e apenas ficou atrás do XCOM: Enemy Unknown.

4 –  Também há uma versão de tabuleiro

Para quem não é muito chegado em videogames, também é possível jogar a versão de tabuleiro. Dessa forma, no jogo Plague Inc: The Board Game, cada jogador se torna uma doença mortal. Em seguida, ganha quem for o primeiro a acabar com a humanidade.

5 – Usado em sala de aula

De acordo com o criador do jogo, James Vaughan, o jogo tem ajuda as pessoas a pensar doenças infecciosas por um novo ângulo. Dessa forma, o jogo pode ajuda-las a perceber as ameaças às quais podemos estar submetidos diariamente. “Uma coisa interessante é que ele se tornou também uma ferramenta pedagógica. Portanto, professores frequentemente me procuram para dizer que usaram o Plague Inc. para ilustrar conceitos de biologia e economia para seus alunou”, contou.

6 – É proibido jogar Plague Inc. na China

Na China, o jogo foi removido da loja de aplicativos e classificado como “conteúdo ilegal no país”, pelo órgão de Administração do Ciberespaço Chinês. E mesmo sem maiores justificativas da proibição, só podemos afirmar que a medida foi tomada em meio ao crescente surto de coronavírus. Em nota, a desenvolvedora afirmou que está tentando “achar um jeito de devolver o jogo para os jogadores chineses, nós não queremos desistir de você”.

7 – Mais pandemias e mais jogadores

Devido à existência de muitas pessoas curiosas em saber como um vírus cresce e se espalha em uma pandemia, é comum que muitas pessoas baixem o Plague Inc., para procurar essas respostas. Dessa forma, até mesmo o desenvolvedor, James Vaughan, encontrou algo interessante nessas informações. Dentro do jogo, diversas pessoas criavam problemas sociais, da cultura pop, conceitos científicos e até palavrões como uma forma de vírus. Desde de seu lançamento, o jogo explodiu sua popularidade nos momentos do surto de ebola e coronavírus.

Reunião especial de Friends é adiada devido ao novo coronavírus

Matéria anterior

Reverendo norte americano afirma estar curando o coronavírus pela TV

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos