Curiosidades

7 maneiras com que os escravos trabalham ainda hoje

0

Supostamente, a escravidão chegou ao fim em 1865. Em contrapartida, hoje, parte do encontra-se diante da necessidade de realizar um trabalho forçado, sem reconhecimento e sem direitos. A escravidão moderna está em ascensão e seu escopo é muito maior do que no passado. Parece complexo imaginar a existência de escravos na atualidade, mas isso é realidade.

Estima-se que 40.000.000 de pessoas estão ligadas a um tipo de trabalho forçado. Além disso, não são apenas homens e mulheres. Crianças também ilustram tal cenário. A escravidão moderna existe, é dinâmica e afeta inúmeros indivíduos.

Confira agora, quais são os setores que fortalecem tal fato.

1 – Frutos do mar

Todos nós apreciamos frutos do mar, não é verdade? A demanda do setor pesqueiro aumenta cada vez mais, desde a década de 1990. Frequentemente, pessoas desesperadas por empregos respondem a anúncios, que sugerem ótimos salários e benefícios. Entretanto, ao entrarem em tal mercado, percebem que acabam caindo em uma armadilha. Além das condições de trabalho serem péssimas, os trabalhadores estão expostos a todos os tipos de perigo.

2 – Cannabis

Apesar da crescente popularidade e de estar tornando-se legal em diversos países, existem entre 10.000 e 13.000 pessoas que tornaram-se vítimas da escravidão no setor. A maioria são crianças. Além disso, muitas são naturais da China e Vietnã. De acordo com relatos, a maioria das crianças que começa a trabalhar em plantações, o faz porque suas famílias são ameaçadas. Mesmo trabalhando, muitos direitos são negados, como por exemplo, a educação.

3 – Moda

A indústria do vestuário é uma das que mais estimula a escravidão moderna. Em grande parte da Ásia e na África, pessoas trabalham em fábricas por longas horas, sem descanso. Além disso, o salário chega a ser vergonhoso. Muitos também não recebem pelas horas extras. O maior problema, aqui, é a questão da superprodução, que tenta, diariamente, alimentar o consumo excessivo da sociedade.

4 – Combate a incêndios

De acordo com a 13ª Emenda da Constituição dos EUA, o país não permite nenhum tipo de escravidão, exceto como punição por crimes. Ou seja, detentos, nesse caso, são as principais vítimas. Como forma de reduzir a pena, os detentos trabalham horas a fio e, por cada hora trabalhada, recebem apenas centavos. Além disso, anualmente, os reclusos são obrigados a trabalhar combatendo incêndios florestas. Nessas situações, os detentos recebem 1 dólar a cada hora de trabalho.

5 – Baterias

O problema, em relação às baterias, está ligado à demanda por lítio e cobalto. Tais elementos são obtidos por meio da mineração. Acredita-se que, até 2024, o número de mineradores deve aumentar drasticamente. Para buscar lítio e cobalto, utiliza-se o trabalho infantil. Além disso, a mineração também prejudica o meio ambiente local, assim como ocasiona doenças e desnutrição generalizada entre populações indígenas.

6 – Diamantes

Os diamantes são provenientes de locais que frequentemente estão envolvidos em guerra civil. Em alguns desses locais, as pedras até foram intituladas como diamantes de sangue. O termo, que se tornou popular no século XXI, refere-se especificamente aos diamantes extraídos em Angola, Costa do Marfim, Serra Leoa, Libéria, Guiné e Guiné-Bissau. Aqui, a escravidão é promovida por crianças e indígenas.

7 – Café

Devido à enorme demanda por café, a produção do produto levou muitos indivíduos na América do Sul a aceitarem trabalhar como escravos. Em setembro de 2018, por exemplo, autoridades descobriram 15 pessoas vivendo em condições análogas, em uma plantação de café brasileira certificada pela Starbucks.

Sequência de Coringa já está em produção pela Warner

Previous article

Isso é o que 15 minutos de meditação por dia podem fazer com o cérebro humano

Next article

Comments

Comments are closed.