• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


7 pessoas reais que morreram procurando lugares místicos

POR Isabela Ferreira    EM História      26/06/18 às 15h36

Os contos de terras míticas, tesouros escondidos e cidades perdidas já fazem parte de nossa história. Há milhares de anos, tudo isso vem despertando a curiosidade de ouvintes por todas as partes do mundo, e muitos, acabaram embarcando em expedições em busca do desconhecido. Embora tenhamos descoberto muito sobre nosso planeta dessa forma, alguns exploradores não tiveram tanta sorte.

À medida que os anos passaram, apenas tivemos um crescente aumento na difusão de histórias como a da cidade perdida de Atlântida, por exemplo. Assim, muitas pessoas alimentaram o desejo de ser o responsável por encontrar uma grande lenda da humanidade. Mas em meio a tantas expedições, muitos acabaram morrendo violentamente... Seja durante a viagem, ou com punições por voltarem para casa sem obter sucesso. Pensando nisso, nós aqui da Fatos Desconhecidos separamos abaixo 7 pessoas reais que morreram procurando lugares místicos. Confere aí!

1 - Diego De Ordaz

Nascido no ano de 1480, Ordaz foi um soldado e explorador espanhol, bastante reconhecido por contribuir em batalhas militares, inclusive, na vitória contra os astecas durante a Batalha de Centla, que ocorreu em 1519. No entanto, sua história teve fim enquanto explorava.

Ao fim da década de 1520, a família bancária alemã Welser, deu início a expedições no interior da Venezuela, pois acreditavam que ali havia uma cidade inexplorada e cheia de ouro. Mais tarde, a tal cidade ganharia o apelido de El DoradoOrdaz então teve autorização para iniciar sua exploração pelas águas do temido rio Orinico, em 1531. Parecia que tudo se encaminhava bem, mas as fortes correntezas o obrigaram a abandonar a missão, uma vez que acabaria se tornando muito perigosa.

Quando voltou para casa, em 1532, acabou entrando em conflito com as autoridades, foi preso e morreu pouco tempo depois. O mais provável é que tenha sido envenenado.

2 - Sir Walter Raleigh

Raleigh é conhecido por ser um dos mais famosos caçadores de tesouro da história. Mas além disso, ele ainda era poeta, soldado e explorador inglês. Após a morte da Rainha Isabel I de Inglaterra, em 1603, ele acabou sendo preso sob acusações de conspirar contra seu sucessor. No entanto, recebeu liberdade no ano de 1616, podendo retornar à Guiana. Deu início a uma jornada de exploração, levando o filho e mais dois amigos, sendo um deles chamado de Keymis.

Ainda no início da exploração, Keymis desobedeceu s ordens de Raleigh e ordenou que seus soldados atacasse um posto espanhol avançado. O ato impensado resultou na morte do filho de Raleigh, que desesperado, acabou retornado à Inglaterra. Ao contar o que havia ocorrido para o embaixador espanhol, não teve perdão e foi condenado à execução por violar o tratado de paz que havia entre os países.

3 - Juan Ponce De Leon

Conquistador e explorador espanhol, é um dos mais conhecidos de nossa história pela busca da fonte da juventude, que sempre motivava suas viagens. No entanto, até sua morte, em 1521, não sabiam exatamente que se tratava disso. Muitos alegavam que na verdade, ele estava em busca de uma fonte mística que curasse sua impotência sexual.

Arne Molander, autor que escreve sobre a vida do explorador, conta que el pode ter ido em busca da videira amoriana das Bahamas, que serve como uma espécie de afrodisíaco. No entanto, ele pode ter interpretado erra do o termo "vid", que para os nativos significa "videira", enquanto para ele, pode ter ganhado o significado de "vida". Em sua última viagem, que ocorreu na Flórida, ele e seus acompanhantes acabaram sendo atacados  por guerreiros de Calusa, e foi morto após ter uma flecha envenenada cravada em sua coxa.

4 - Percy Fawcett

O Coronel Percy Harrison Fawcett acabou servindo de inspiração para diversos exploradores de Hollywood, incluindo Indiana Jones. No ano de 1901, se juntou à Royal Geographical Society na intenção de estudar o ofício da cartografia. Foi no ano de 1914 que acabou formulando algumas ideias... Tudo baseado em seus estudos sobre uma suposta cidade perdida que ele havia chamado de "Z".

Dessa forma, no ano de 1925, embarcou até nosso inexplorado Mato Grosso com um equipe de 3 homens, acreditando que encontraria a tal cidade. No entanto, todos acabaram desaparecendo de forma misteriosa. E o mais incrível ainda, é que outras 100 pessoas ainda desapareceram na região enquanto buscavam pelos exploradores.

5 - Francisco Vazquez de Coronado

Coronado foi um conquistador e explorador espanhol. Fez uma viagem para o México entre os anos de 1540 e 1542. No início da expedição, acabou se deparando com o que acreditou ser a cidade de Cibola. Por outro lado, aquela já era uma cidade formada e chamada de Hawikuh, cuja população resistiu à tentativa de colonização.

Continuando sua jornada, tudo que encontrava não passavam de aldeias indígenas, mas nada de cidades cheias de ouro. Assim que retornou para sua cidade, foi acusado de incompetência e acabou indo à falência. No ano de 1554, morreu após contrair uma doença infecciosa. No entanto, Coronado e seus homens ainda são prestigiados como os primeiros a encontrarem o Grand Canyon e a foz do Rio Colorado.

6 - Philipp Von Hutten

Nascido no ano de 1505, foi uma das mais importantes figuras durante as colonizações das Américas, ocorridas no século 16. No ano de 1540, Hutten foi promovido ao cargo de capitão-geral da Venezuela... Dando continuidade às suas buscas por uma cidade que escondesse grande quantidade de ouro em suas florestas. Partiu da cidade de Coro, cruzando com o Rio Bermejo, ao lado de seus fiéis cavaleiros.

No entanto, acabaram dando de cara com nativos na região, que travaram uma intensa batalha contra eles. Muitos ficaram gravemente feridos, incluindo Hutten. Após dias difíceis, retornaram à cidade de Coro, mas foram capturados e decapitados pelo conquistador espanhol Juan de Carvajal.

7 - Adolph Ruth

Veterinário dos Estados Unidos, também era um bom explorador e tinha como meta de vida encontrar a Mina de ouro perdida de Dutchman. De acordo com alguns mapas de seu filho, o homem acreditava cegamente que poderia chegar até a mina  e simplesmente enriquecer. No ano de 1914, foram em direção a San Diego, na Califórnia, em busca de um grande saque. Entretanto, acabaram indo embora de mãos abanando. Cinco anos mais tarde ainda voltaram para o lugar, mas tiveram apenas desastres, uma vez que Ruth deslizou e caiu de um solo íngreme, fraturando o fêmur e ficando com sequelas para o resto de sua vida.

Anos depois, um novo documento apareceu e novamente, poderia ter a correta localização das minas. Dessa vez, ele decidiu ir em busca sozinho, mas acabou desaparecendo e ninguém sabia ao certo o que havia acontecido com ele. No inverno seguinte seu corpo foi encontrado com duas marcas de tiro na cabeça. Tudo indica que ele foi assassinado por pessoas que queriam tomar seu mapa, já que ele não estava junto ao corpo.

E então pessoal, o que acharam? Compartilhem suas ideias com a gente aí pelos comentários!

Próxima Matéria
Isabela Ferreira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+