7 práticas abomináveis que nos levaram a descobrir coisas extremamente úteis
Tempo de leitura:4 Minutos, 8 Segundos

7 práticas abomináveis que nos levaram a descobrir coisas extremamente úteis

Nem sempre a ciência foi tão moderna e evoluída tal como a conhecemos atualmente. Para chegar até aqui a humanidade teve de percorrer um longo caminho. Foram muitos experimentos e tentativas frustadas para conseguir encontrar os métodos mais adequados.

Algumas vezes, as práticas eram realmente abomináveis, mas como não haviam muitas alternativas, elas continuavam a ser utilizadas. No entanto, foram algumas dessas mesmas práticas que levaram a descobertas verdadeiramente úteis e benéficas para a humanidade.

Confira agora alguns dos métodos abomináveis já utilizados que levaram a !grandes descobertas

1 – Sanguessugas tem um lado positivo

A sangria foi por muito tempo uma das principais formas de tratamento para doenças. Quais? Praticamente todas. Era realmente um método muito utilizado durante séculos passados. No entanto, foi apenas no final do século XX que descobriram uma outra função para os sanguessugas. Encontraram no animal substâncias de propriedades terapêuticas, como é o exemplo do hirudin, que tem função anticoagulante e atualmente é usado no tratamento de trombose.

2 – Vidro laminado

O cientista francês Edward Benedictus estava limpando seu laboratório, quando acidentalmente deixou um béquer cair. Ao contrário do que esperava, o vidro não se estilhaçou em minúsculos pedaços. Foi então que Edward descobriu que seu assistente esteve limpando os vidros do laboratório e que o béquer que caiu estava revestido com plástico. Uma forma que o assistente encontrou de evitar acidentes e facilitar a limpeza. No entanto, foi também o pontapé para a criação dos vidros laminados que são utilizados em carros e em tantos outros objetos de nosso dia a dia, e que são de extrema importância na hora de evitar acidentes e cortes ainda mais sérios.

3 – Xixi+sol= fósforo

Hennig Brand era alquimista. Ele leu um livro sobre a prática que dizia que a mistura de urina concentrada com outros ingredientes poderia transformar um metal comum em ouro. Ele então deu início aos seus experimentos. Brand coletou litros de urina e então as deixou no sol por semanas. Feito isso, ele extraiu a urina e misturou com uma série de outros elementos, que deram origem a um líquido brilhante. Quando exposto ao oxigênio a mistura explodiu em chamas! E foi assim que o alquimista descobriu o fósforo, que passou a ser utilizado em armas e fogos de artifício.

4 – Nascimento da quimioterapia

Durante a Primeira Guerra Mundial, inúmeras armas foram utilizadas, inclusive as químicas. Um exemplo era o gás mostarda, que tinha esse nome por conta da cor e odor, não por causa do tempero. O gás causava bolhas terríveis, internamente e externamente, em quem entrava em contato com ele. No entanto, também perceberam que as pessoas expostas ao químico apresentavam um baixo número de glóbulos brancos. Anos mais tarde, cientistas decidiram testar se havia como o elemento ser utilizado para salvar vidas e não eliminá-las. Foi assim que testaram os agentes de mostarda no tratamento de tumores de rato e também em um paciente que sofria de linfoma não-Hodgkin. Chegaram então a quimioterapia, que hoje é um dos principais tratamentos de câncer.

5 – Energia solar

No final de 1800, a exploração de petróleo estava a todo vapor, assim como a Revolução Industrial. No entanto, um grupo de cientistas estava preocupado de o combustível fóssil acabar e deixar toda a indústria na mão. Foi então que pensaram em criar algo renovável. Foi assim que descobriram a energia solar. No entanto, ao invés de utilizar o invento em algo que não prejudicasse tanto o planeta Terra ou para criar maquinários menos perigosos para os trabalhadores das fábricas, eles apenas substituíram a forma de movimentar tudo isso, com os motores solares. Atualmente, no entanto, essa tecnologia é usada de forma mais adequada e benéfica ao mundo.

6 – Lavar as mãos nem sempre foi um hábito

Em 1846, o médico Ignaz Semmelweis ficou assustado com o grande número de mortes na maternidade em que trabalhava. O número era muito maior que em uma outra maternidade do mesmo hospital, só que essa era composta apenas por parteiras. Foi então que ele percebeu que os médicos estavam realizando autópsias pela manhã e partos pela tarde. Ele supôs então que os médicos estavam transmitindo germes mortais aos bebês e sugeriu que lavassem as mãos antes de realizar os procedimentos. Foi assim que os níveis de mortalidade caíram e eles perceberam a importância de manter as mãos limpas.

7 – Metrazol

Antigamente as pessoas não tinham muito cuidado com a forma como suas pesquisas eram desenvolvidas. Era como um “vale tudo pelo bem da ciência” e isso se agravava caso a pessoa que fosse vítima dessas pesquisas fosse considerada louca. Direitos humanos paraque? Enfim, foi dessa forma que Ladislaus von Meduna desenvolveu uma pesquisa que induzia convulsões em seus pacientes e outras coisas terríveis, como a sensação de terror. No entanto, mais tarde descobriram que o tratamento não era apenas macabro e que de fato poderia trazer algum efeito em tratamentos terapêuticos. A técnica foi refinada e atualmente é usada no tratamento de alguns distúrbios psicológicos.