Hoje, nem tanto, mas no passado, os rituais de iniciação faziam parte essencial de, praticamente, todas as culturas. Não que, nos dias atuais, não ocorra mais esse tipo de rito de passagem, mas acontecem menos do que antigamente. E isso nos prova que o que é tabu para uma cultura, pode ser uma tradição para outra. No mundo moderno, esse tipo de passagem, da adolescência para a vida adulta, acontece de forma mais singela. Mas até hoje, muitas culturas ainda experimentam de rituais de passagem, muitos deles agonizantes e até brutais. Tudo isso, com o intuito de provar sua fé, destreza e maturidade, mesmo com o preço de uma dor extrema.

Pelo visto, essa sensação é válida para eles, já que advêm de um iniciação. No caso das meninas, quando passam por esses rituais, significa que elas se tonaram mulheres, e agora, estão prontas para se casar. Já os meninos, evoluem para se tornarem homens. E esses rituais são o que eles precisam para serem tratados como adultos e se tornarem membros ativos de suas comunidades. Então, eles estão, sim, dispostos a enfrentar toda a dor que vier, para se tornarem adultos. Confira a seguir, 7 rituais de iniciação mais dolorosos do mundo.

1 – Escarificação Sepik

As vários tribos que vivem ao longo do rio Sepik, na Papua em Nova Guiné, têm um ritual de iniciação bastante extremo. Eles têm uma tradição de Escarificação (pequenos arranhões e incisões), usada em seus filhos por décadas. A cerimônia de iniciação pede que o adolescente seja cortado ao longo de suas costas, peito e nádegas, em padrões elaborados. A ideia é imitar a pele grossa de um crocodilo. Eles acreditam que essa tal divindade reptiliana consome a juventude do menino, durante o processo sangrento, e deixa para trás um homem.

2 – Cerimônia de Okipa

Publicidade
continue a leitura

A cerimônia de Okipa é feita pelos índios Mandan e consiste em uma variedade de torturas físicas, as quais os guerreiros provam a sua coragem física e recebem a aprovação dos espíritos. O ritual começa com o jovem não comendo, bebendo ou dormindo por quatro dias. Depois disso, eles são levados a uma cabana, onde têm a pele do peito e dos ombros cortada, e espetos de madeira enfiados nos músculos. Nessa etapa, os futuros guerreiros são suspensos no telhado e permanecem ali, até desmaiarem. Para incrementar a tortura, pesos são adicionados nas pernas dos meninos. Depois de desmaiar, ele são derrubados e os demais homens os vigiam, até que acordem. Quando acordam, é a prova de que os espíritos os aprovaram, e agora, eles são oficialmente guerreiros.

3 – Infibulações romanas

Os romanos tinham um método bem específico de iniciação: a infibulação. Esse procedimento nada mais é do que o ato de saturar o prepúcio. Os jovens romanos eram submetidos a esse procedimento, para impedi-los de se masturbar e abster-se de relações sexuais. No fim das contas, a maioria das infibulações eram auto infligidas, e bastante dolorosas.

4 – Cinzel de dentes Mentawai

Publicidade
continue a leitura

As meninas da tribo dos Mentawaians experimentam uma prática bizarra, conhecida como cinzelar os dentes, para o seu ritual de iniciação. O xamã local utiliza uma lâmina, bem afiada, para fazer o procedimento. A menina não recebe nenhum tipo de erva para entorpecer a dor, enquanto os golpes com a lâmina esculpem os cantos dos dentes. Por fim, os seus dentes ficam com pontas pontiagudas, semelhantes aos dentes de tubarão. E então, os dentes são arqueados para atingir a forma desejada. Segundo eles, esse processo é feito para tonar as mulheres mais atraentes.

5 – Circuncisões masculinas Xhosa

É uma verdadeira celebração quando um garoto tem a chance de se tornar um homem, para o povo Xhosa da África do Sul. O abakwetha (iniciado masculino) é levado para um cabana, onde passará pelo procedimento de circuncisão. O prepúcio é removido por um cirurgião, sem qualquer preparação, com uma lâmina opaca, e o menino é deixado sozinho. Ele não pode comer ou beber água, até que esteja completamente curado. O risco de infecção é altíssimo, já que a lâmina, que é usada em vários meninos, pode carregar várias doenças.

6 – Circuncisões femininas Sabiny

Publicidade
continue a leitura

Para alcançar a feminilidade, as meninas da tribo Sabiny, de Uganda, passam por um processo de mutilação genital. O procedimento só está completo quando o clitóris é parcialmente cortado ou completamente removido. Os povos dessa tribo acreditam que isso tornará a mulher fiel ao marido e evitará de qualquer tipo de promiscuidade sexual, por parte dela.

7 – Iniciação sanguínea       

Os povos da tribo Matausa acreditam que, se um garoto não concluir a iniciação do sangue, ele poderá sofrer as consequências por toda a vida. Para fazer o ritual, os meninos devem se purificar de quaisquer influências femininas restantes das suas mães. Primeiro, eles devem enfiar dois gravetos na garganta, para induzir o vômito várias vezes, até esvaziar o estômago. Depois, uma coleção de juncos é inserida no nariz do iniciado, para expulsar toda má influência restante. E por fim, eles são submetidos à várias facadas na língua. Eles acreditam que esse ritual sangrento os purifica, e então, eles são verdadeiramente homens dignos depois dele.

E você, o que achou desses rituais? Qual o mais bizarro na sua opinião? Conta para a gente nos comentários e compartilhe com os seus amigos.

Publicado em: 15/12/19 22h51