Curiosidades

Arqueólogos descobrem rua construída por Pônico Pilatos

0

A arqueologia é a ciência responsável por estudar culturas e civilizações do passado. E através das descobertas arqueológicas, vestígios de antigas sociedades e culturas são descobertos. E assim, conseguimos compreender melhor como viveu determinado povo, quais eram seus hábitos e costumes. E até mesmo, o que levou ao seu fim.

Ao longo de nossa história, arqueólogos realizaram inúmeras descobertas, que mudaram a forma como vemos nossa própria história. Uma descoberta, feita pelos pesquisadores da Autoridade de Antiguidades de Israel e da Universidade de Tel Aviv, revelou uma passagem antiga que foi construída por Pôncio Pilatos. Ele foi o governador da Judeia responsável por condenar Jesus à morte na crucificação.

Escondidas embaixo das pedras do pavimentos estavam mais de 100 moedas datadas de cerca de 17 a 31 d.C. A descoberta foi feita no sítio arqueológico da Cidade de Davi, que fica no Parque Nacional dos Muros de Jerusalém. E existem evidências fortes que foi Pôncio Pilates, o “prefeito” de Judeia na época, que mandou fazê-la.

Essa antiga rua era usada, provavelmente, pelos peregrinos que iam para o culto no Monte do Templo. Esse é um lugar, que até os dias atuais, tem muita significância para os seguidores do judaísmo e do cristianismo. Essa é uma rota especial usada pelos religiosos.

Rua

Quando a rua foi construída, Jesus teria curado a cegueira de um homem no local e mandado o homem ir se lavar na Piscina de Siloé. Ela tem aproximadamente 600 metros de comprimento e oito de largura e foi pavimentada com pedras grandes, que eram comuns no Império Romano.

Para a construção da rua, é estimado que foram usadas 10 mil toneladas de rocha calcária. E para isso, era preciso ter habilidades especiais.

“Se fosse uma passagem simples que ligasse um ponto A a um ponto B, não haveria necessidade de construir uma rua tão grande. No mínimo, tem 8 metros de largura. Isso, combinado com a pedra finamente esculpida e os ‘objetos’ ornamentados como um pódio ao longo da rua, indicam que era uma passagem especial”, afirmaram Joe Uziel e Moran Hagbi, arqueólogos da Autoridade de Antiguidades de Israel.

As escavações no lugar duraram seis anos, até que uma parte de 220 metros da rua fosse revelada. Em 1894, arqueólogos britânicos identificaram a rua pela primeira vez.

A rua estava escondida sobre camadas de pedregulhos e destroços. Nessa mistura, estavam restos de armas, como pontas de flechas e estilingues. E na escavação, os arqueólogos acharam centenas de moedas, presas sob as pedras. Por causa dessas moedas, é imaginado que o trabalho começou e terminou durante o governo de Pôncio Pilatos.

Período

“Datar usando moedas é muito exato. Como algumas têm o ano em que foram cunhadas, isso significa que, se uma moeda com a data 30 d.C. foi encontrada embaixo da rua, a rua terá que ter sido construída no mesmo ano ou depois dessa moeda ter sido cunhada. Ou a qualquer momento depois de 30 d.C. No entanto, nosso estudo vai além, porque estatisticamente as moedas cunhadas cerca de 10 anos depois são as mais comuns em Jerusalém. Portanto, não tê-las abaixo da rua, significa que a rua foi construída antes de sua aparição, ou seja, somente na época de Pilatos”, esclareceu Donald T. Ariel, arqueólogo e especialista em moedas.

De acordo com o que é dito na bíblia, Pôncio Pilatos não era muito agradável. O fato dele ter ordenado a morte de Jesus, já faz com que ele seja bem impopular. Outros relatos mostram ações não muito boas também feitas pelo líder. Alguns deles citam o confisco de dinheiro, violação de leis religiosas e espancamento de opositores.

Apenas o fato de Pôncio ter construído a rua, como tendo destino o Monte do Templo, sugere que ele não era completamente egoísta e insensível quanto à religião.

A rua pode ter sido feita como uma tentativa de aliviar as tensões entre Pôncio e os judeus. E também para promover o “prefeito”, como sendo um bom governante.

Já sabemos quem será o protagonista da nova história de Jogos Vorazes

Matéria anterior

Após uso indevido de coletor menstrual, mulher tem pé e dedos amputados

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos