Bíblia de 1500 anos afirma que Jesus não foi crucificado

POR A redação    EM Curiosidades      17/07/15 às 17h50

Descoberto e mantido em segredo em 2000, o livro contém o Evangelho de Barnabé - um discípulo de Cristo. No texto, é afirmado que Jesus não foi crucificado, nem era o filho de Deus, mas sim um profeta. O livro também chama apóstolo Paulo "O Impostor". O livro também afirma que Jesus subiu ao céu vivo, e que Judas Iscariotes foi crucificado em seu lugar.

Um relatório do The Turk Nacional  diz que a Bíblia foi apreendida com uma gangue de traficantes em uma operação no Mediterrâneo. O relatório afirma que a quadrilha foi acusada de contrabando de antiguidades, escravidão e posse de explosivos. O livro de 1500 anos foi avaliado em 40 milhões de liras turcas (cerca de 28 mil dólares).

Confira a polêmica envolvendo uma das mais antigas bíblias do mundo:

Autenticidade

19

De acordo com relatos, especialistas e autoridades religiosas de Tehram, o livro é original. O livro em si é escrito com letras de ouro, em couro frouxamente amarrado e em aramaico, a língua de Jesus Cristo.

O texto mantém uma visão semelhante ao Islã, contradizendo os ensinamentos do Novo Testamento do cristianismo. No texto, Jesus também prevê a vinda do Profeta Muhammad.

Acredita-se que durante o  Concílio de Nicéia , a Igreja Católica implantou os evangelhos que formam a Bíblia como a conhecemos hoje. De acordo com estudiosos o evangelho de Barnabé (entre muitos outros) foram descartados em favor dos quatro evangelhos canônicos de Mateus, Marcos, Lucas e João.

A redação
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+