Um novo estudo realizado pela Universidade do Texas, nos Estados Unidos, revelou que cada dia sem distanciamento social significa mais 2,4 dias na pandemia de Covid-19. Essa pesquisa está sendo avaliada pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC, em inglês) e será publicado no periódico Emerging Infectious Diseases.

Para a realização da pesquisa, foram analisados surtos de Covid-19 em 58 cidades chinesas. Dessa forma, foi levado em consideração quando foram detectados os primeiros casos da doença nessas áreas. Bem como, a data em que foram implementadas medidas de distanciamento social e momento em que o surto foi controlado.

Tempo é fundamental para enfrentarmos a atual pandemia

Publicidade
continue a leitura

Uma coisa que o estudo deixa bastante clara é o fato de que tempo é fundamental para enfrentarmos a atual pandemia. "Todos os dias economizam tempo, economizam esforço, salvam pessoas infectadas e provavelmente salvam vidas", afirmou Lauren Ancel Meyers, coautora do estudo. "Isso é particularmente importante para pensarmos nas próximas semanas e meses", completou.

Essas descobertas são extremamente importantes para países que estão enfrentando os primeiros surtos do novo coronavírus. Contudo, também são descobertas aplicáveis em regiões que podem enfrentar uma segunda onda do vírus. Portanto, por exemplo, esperar uma semana após os primeiros sinais do ressurgindo de casos da Covid-19 pode exigir mais 17 dias de distanciamento social.

Nesses casos, lugares com um grande número de aglomeração são os mais preocupantes. "O impacto desses 'atrasos' pode ser particularmente importante para comunidades propensas à transmissão rápida, como casas de repouso, faculdades, escolas e prisões", observou Spencer Fox, que também participou da análise. "Precisamos de planos concretos para quando e como responder a casos crescentes e evitar restrições desnecessariamente longas e caras", completou.

Publicidade
continue a leitura

Até o momento, o estudo não conseguiu determinar quais medidas de distanciamento social são mais eficazes. Porém, mostrou que o momento da primeira intervenção, independentemente do tipo, tem grande impacto. "Fornecemos evidências diretas, baseadas em dados, de que o momento das intervenções tem um impacto substancial na duração e gravidade do surto", explicou Meyers.

Até quando devem durar durar medidas de distanciamento social?

Publicidade
continue a leitura

De acordo com um outro estudo, estima-se que as medidas de distanciamento social podem durar até 2022. Contudo, essas são estimativas para um cenário sem vacina ou tratamento aprimorado. Essa pesquisa foi publicada na revista Science e não nos apresenta um cenário muito otimista. Sendo assim, a pesquisa liderada por cientistas da Escola de Saúde Pública da Universidade Harvard contradiz a expectativas de alguns governos. Por exemplo, segundo o governo dos Estados Unidos, a pandemia seria controlada ainda este ano. No entanto, com o avanço do contágio, muita coisa ainda é incerta.

Pelo que sabemos, o avanço da Covid-19 pode durar até 2025. Segundo o estudo, "o distanciamento intermitente pode ser necessário até 2022, a menos que a capacidade de tratamento intensivo seja substancialmente aumentada". Ou também, até que "um tratamento ou vacina fique disponível", como consta no estudo. Ou seja, nossa maior esperança ainda está na busca de uma vacina eficaz. Mas, até lá, é preciso que as pessoas permaneçam em casa.

O estudo também chama a atenção para o fato de que uma contenção de curta duração não é recomendada. Desse modo, há um grande risco de que uma segunda onda venha com mais força. Uma vez que a população volte ao seu dia a dia regular, o vírus pode se espalhar de forma abrupta.

Publicado em: 03/06/20 17h41