Ontem (01/06), o Governo da República Democrática do Congo anunciou que um novo surto ebola está surgindo no país. De acordo com o governo do Congo, até o momento, já são 6 casos da doença e 4 mortes confirmadas.

Esses novos casos estão ocorrendo na cidade de Mbandaka, na província de Équateur. Além disso, o país, que fica no centro da África, também se encontra na luta contra a ebola de Covid-19 e, atualmente, enfrenta o maior surto de sarampo do mundo.

A Covid-19 não é a única ameaça de saúde enfrentada no mundo

Publicidade
continue a leitura

Anteriormente, a cidade de Mbandaka também teve um outro surto de ebola, que durou de maio a julho de 2018 e matou 33 pessoas. "Isso é um lembrete de que a Covid-19 não é a única ameaça de saúde que as pessoas enfrentam", afirmou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus. "Apesar de muito da nossa atenção estar na pandemia, a OMS continua a monitorar e responder a muitas outras emergências de saúde", completou.

Atualmente, o país pode estar enfrentando o décimo primeiro surto da doença desde que o vírus foi descoberto, em 1976. "Está acontecendo em um momento desafiador, mas a OMS trabalhou nos últimos dois anos com as autoridades de saúde, o CDC da África e outros parceiros para fortalecer a capacidade nacional de responder a surtos", afirmou Matshidiso Moeti, médica e diretora regional da OMS para a África.

O atual surto está ocorrendo em uma região próxima da fronteira do país. De acordo com a OMS, é esperado que República do Congo tenha outros surtos de ebola. Isso porque, o vírus pode ser encontrado em animais de muitas partes do país. "Para reforçar a liderança local, a OMS planeja enviar uma equipe para apoiar o aumento da resposta. Dada a proximidade deste novo surto a rotas de transporte movimentadas e países vizinhos vulneráveis, devemos agir rapidamente", completou Moeti.

Publicidade
continue a leitura

Surtos de ebola e também de sarampo

Entre os anos de 2013 e 2016, uma epidemia de ebola matou 11,3 pessoas no continente africano. Dentro desse período, os países de Guiné, Libéria e Serra Leoa foram os mais atingidos.

Publicidade
continue a leitura

Até esta segunda-feira (01/06), a República Democrática do Congo possuía 3.048 casos de Covid-19 reportados à OMS. Além disso, já são 71 mortes pela doença. Contudo, o que mais preocupa no país é o atual surto de sarampo, que representa é o maior do mundo. Ainda segundo a organização, desde 2019, já foram registrados 369.520 casos de sarampo e 6.779 mortes pela doença.

Em parceria com o governo congolês, a OMS e outros parceiros estão buscando US$ 40 milhões para ampliar a campanha de imunização de crianças entre 5 e 14 anos. Somente no ano de 2019, mais de  18 milhões de crianças menores de cinco anos foram imunizadas. No entanto, a infecção voltou a se espalhar novamente após uma queda nos níveis de imunização.

Somente no início deste ano, a OMS formou 60 agentes de saúde do Ministério da Saúde congolês para realizar uma série de serviços com a participação comunitária. Além de também, serviços de educação e vigilância. Até o momento, o país já recebeu US$ 27,6 milhões para controlar o surto de sarampo. Assim, a OMS reconheceu o esforço nas doações, porém, é preciso fazer ainda mais.

Publicado em: 02/06/20 17h25