Cientistas descobrem uma galáxia em que não existe matéria escura

POR Diogo Quiareli    EM Ciência e Tecnologia      29/03/18 às 14h58

O universo está muito longe de ser totalmente conhecido e decifrado. No entanto, cientistas se satisfazem descobrindo cada vez mais coisa a respeito dele. E mais uma descoberta mexeu com o mundo recentemente. Toda galáxia tem uma matéria escura. Pelo menos é isso que as pessoas costumavam a acreditar até a descoberta da galáxia NGC1052-DF2. Ela foi apresentada pela "Nature" na quarta-feira (28). Após vários estudos e cálculos complexos, os astrônomos chegaram à conclusão que essa formação é a única até o momento sem uma misteriosa matéria invisível.

Para melhor explicar, a matéria escura é o seguinte: os cientistas acreditam que existe um material dentro das galáxias com o papel de impulsionar o seu movimento. Como não sabem o que é, definem isso como "matéria escura". Eles ainda mantêm a hipótese de que antes de existir estrelas e planetas, toda a galáxia tinha essa única formação em seu interior. "Encontrar uma galáxia sem matéria escura é algo inesperado porque essa misteriosa substância invisível é o aspecto mais dominante de qualquer galáxia", disse o autor do estudo, Pieter van Dokkum, pesquisador da Universidade de Yale, Estados Unidos.

Essa descoberta é muito importante porque o conceito de matéria escura está totalmente relacionado à explicação dos movimentos das galáxias. No universo, esse movimento está relacionado à massa. Quanto maior é a massa de um objeto, maior é a perturbação que ele provocará ao seu redor. Sendo assim, a velocidade do movimento das galáxias é estimada pela massa dos astros, estrelas e planetas. Se essa velocidade não for correspondente à massa desses elementos visíveis, estudiosos do assunto supõem que existem outros elementos ainda não identificados pela ciência que são capazes de ajudar a impulsionar a velocidade, por esse motivo, a "matéria escura".

A Via Láctea, por exemplo, é a galáxia no qual o nosso Sistema Solar se insere. Ela possui 30 vezes mais matéria escura do que a conhecida como "matéria normal". Mesmo invisível, a matéria escura não é um teoria. Os cientistas conseguem observá-la, seja por meio de sombras ou por meio de interações gravitacionais com o entorno. Por isso, um dos elementos que mostraram que a galáxia NGC1052-DF2 não possui nenhuma matéria escura é que tudo indica a falta da mesma, já que não conseguiram notar como de costume.

Elementos que reforçam a hipótese dos pesquisadores

Alguns cientistas perceberam que os objetos da galáxia moviam-se mais lentamente. Sendo assim, uma das possibilidades é que ou a massa no seu interior é pequena, ou ela é desprovida de matéria escura. Uma fase posterior dos cálculos fez com que os cientistas estimassem que toda a massa da galáxia é correspondente às estrelas visíveis. Isso é um indício de que existe pouca ou nenhuma matéria escura na NGC1052-DF2. "Está descoberta mostra que a matéria escura é real e tem sua própria existência separada", disse Van Dokkum.

Outro ponto levantado com esse estudo é que a descoberta questiona a própria formação das galáxias. Alguns astrônomos acreditam que as galáxias formam, primeiramente, a matéria escura. Porém, essa pesquisa traz evidências sobre a possibilidade de haver outras maneiras das galáxias se formarem.

E aí, o que você achou dessa matéria? Comenta pra gente aí embaixo e compartilhe com seus amigos. Lembrando sempre que o seu feedback é extremamente importante pra o nosso crescimento e nos ajuda a alcançar todos os tipos de público.

Diogo Quiareli
Diogo Quiareli, 23 anos, Gay, Publicitário, Goiano, Geminiano e Infinito. Uma pessoa extremamente apaixonada pelo universo musical e amante do e-sport. Fiel a memória de RBD e Glee, além de alimentar diariamente a paixão por Katy Perry, Florence and The Machine e 30 Seconds to Mars.

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+