Conheça Kathryn Sullivan, a astronauta que alcançou o ponto mais fundo do oceano
Tempo de leitura:2 Minutos, 24 Segundos

Conheça Kathryn Sullivan, a astronauta que alcançou o ponto mais fundo do oceano

O mundo é bastante amplo e podemos ir a diversos lugares ainda não visitados por ninguém. Cada vez que uma pessoa alcança um lugar novo, é um marco. Não nos limitamos por aí e podemos ainda explorar algumas partes do nosso universo. Astronautas fazem história explorando o espaço, vendo o nosso planeta lá de cima e até mesmo pisando na Lua. Kathryn Sullivan, de 68 anos, é uma ex-astronauta que entrou para a história. Em 1984 tornou-se a primeira mulher norte-americana a ir para o espaço. Não satisfeita com esse feito histórico, Sullivan não parou por aí.

No último dia 07 de junho, 36 anos após o grande feito de sua vida, Kathryn tornou-se a primeira mulher a alcançar a Depressão Challenger. Esse é o lugar mais fundo do oceano e fazer uma viagem dessas é algo extremamente delicado. Seu nome voltou a estampar as primeiras páginas de vários jornais e grandes sites ao redor do mundo. Diante do grande feito da astronauta, resolvemos trazer para você, caro leitor, mais detalhes. Confira conosco então o que essa mulher fez e o quão incrível foi sua viagem ao lugar mais profundo conhecido pelo homem. Aproveite para compartilhar com seus amigos.

Astronauta que alcançou o ponto mais fundo do oceano

O local onde a astronauta mergulhou tem 11 quilômetros de profundidade e esta situado na Fossa das Marianas, perto das Ilhas Marianas, no Oceano Pacífico. Segundo a EYOS Expeditions, empresa responsável pela coordenação da missão, Sullivan é a oitava pessoa a ir até lá. O explorador Victor Vescovo, que financiou a expedição, acompanhou a astronauta no processo. Eles partiram a bordo do Limiting Factor. Esse é um veículo submersível capaz de capturar imagens do fundo do mar, assim auxiliando nas investigações sobre o oceano.

A viagem de ida e volta durou aproximadamente oito horas. Os viajantes passaram cerca de uma hora e meia em seu destino. Sullivan contou em seu Twitter que dentro do submarino estava um frio de -5Cº. Além disso, a pressão era de 1,1 tonelada. “Como oceanógrafa e astronauta híbrida, este foi um dia extraordinário, única na vida. Ver a passagem “lunar” da Depressão Challenger e depois compartilhar com meus colegas da ISS o visual dessa missão”. Essas foram palavras de Sullivan.

Falando um pouco mais de Sullivan, em 1978, ela ingressou na NASA. A astronauta fazia parte do primeiro grupo de astronautas dos Estados Unidos a incluir mulheres. Ela permaneceu na agência por 15 anos. Nesse período, Kathryn participou de três missões espaciais. Ela foi ainda uma das responsáveis pela instalação do telescópio Hubble em 1990. Com as missões, ela acumulou um total de 532 horas no espaço, um marco e tanto.

E aí, o que você achou dessa matéria? Comenta pra gente aí embaixo e compartilhe com seus amigos. Vale lembrar que o seu feedback é extremamente importante para o nosso crescimento.