Curiosidades

Curiosa descoberta de duas galáxias ”idênticas” finalmente foi explicada

0

Em suma, o universo sempre foi um tema de grande interesse para nós. Sua imensidão e todo o desconhecido que o circunda atiçam a curiosidade de todos os cientistas e até mesmo de pessoas que são intrigadas para saber o que tem nesse universo além de nós. A não se entendeu a totalidade do espaço. Por isso, sempre novas descobertas estão sendo feitas. E se responde algumas dúvidas.

Em suma, ainda não há um número fixo de quantas galáxias existem no universo. Os cientistas acreditam que existam entre 100 e 200 bilhões delas no total. Geralmente, elas são como impressões digitais ou flocos de neve. Ou seja, existem várias delas por aí e elas podem ter características em comum, mas não existem duas exatamente iguais,

Justamente por isso que os astrônomos ficaram bastante confusos quando, em 2013, eles encontraram duas galáxias lado a lado que pareciam ser surpreendentemente parecidas. E agora, eles finalmente resolveram o mistério dessas galáxias “idênticas”.

Galáxias

A resposta para isso pode ter implicações para a compreensão da matéria escura. Se chamou Objeto de Hamilton o objeto descoberto. Quem o descobriu foi o astrônomo Timothy Hamilton, da Shawnee State University, vendo dados do Telescópio Espacial Hubble há quase dez anos e por acidente.

As duas galáxias vistas pareciam ter a mesma forma, além de terem as mesmas estrias escuras quase paralelas ao longo da protuberância galáctica, que é a região central da galáxia onde está a maior parte das estrelas.

“Ficamos realmente perplexos. Meu primeiro pensamento foi que talvez eles estivessem interagindo com galáxias com braços esticados de maneira maré. Não se encaixava bem, mas eu não sabia mais o que pensar”, disse Hamilton.

Foi apenas em 2015 que uma reposta plausível surgiu. O astrônomo Richard Griffiths, da Universidade do Havaí, viu Hamilton apresentar o objeto em uma reunião e sugeriu a ele que o culpado do acontecimento poderia ser o fenômeno raro chamado lentes gravitacionais.

Fenômeno

Esse fenômeno tem como resultado um alinhamento casual de objetos massivos no espaço. Por exemplo, se um objeto massivo se posicionar diretamente entre nós e um objeto mais distante vai acontecer um efeito de ampliação por conta da curvatura gravitacional do espaço-tempo ao redor do objeto mais próximo.

Então, se alguma luz viajar através desse espaço-tempo ela irá seguir a curvatura e entrar nos telescópios machada e distorcida em vários graus. Além de também estar, frequentemente, ampliada e duplicada.

Essa explicação fazia mais sentido do que serem duas galáxias idênticas. Principalmente quando Griffiths encontrou outra duplicação da galáxia. Mas mesmo assim uma dúvida ainda existia. O que estava causando essa curvatura gravitacional?

Foi então que Griffiths e sua equipe forma pesquisar dados de levantamento do céu na busca de um objeto com massa suficiente para fazer esse efeito de lente. E eles encontraram.

O objeto entre a Terra e o Objeto Hamilton está escondido em um aglomerado de galáxias que tinha sido mal documentado. A análise dos pesquisadores mostrou que o objeto Hamilton está aproximadamente 11 bilhões de anos-luz de distância. E o trabalho de uma outra equipe mostrou que o aglomerado está aproximadamente sete bilhões de anos-luz de distância.

Observações

De acordo com os pesquisadores, a própria galáxia é uma galáxia espiral barrada com sua borda voltada para nós. E ela passa por uma formação estelar irregular e grosseira. E as simulações feitas por computador ajudaram a determinar que as três imagens duplicadas poderiam ser criadas somente se a distribuição da matéria escura fosse uniforme nas pequenas escalas.

“É ótimo que precisamos apenas de duas imagens de espelho para obter a escala de quão grudada ou não a matéria escura pode ser nessas posições. Aqui, não usamos nenhum modelo de lente. Nós apenas pegamos os observáveis ​​de várias imagens e o fato de que podem ser transformadas umas nas outras. Elas podem ser dobradas umas nas outras pelo nosso método. Isso já nos dá uma ideia de quão lisa a matéria escura precisa ser nessas duas posições”, disse a astrônoma Jenny Wagner, da Universidade de Heidelberg, na Alemanha.

Essas duas imagens idênticas lado a lado se criaram porque elas estão em uma ondulação no espaço-tempo, uma área de maior ampliação criada pela gravidade de um filamento de matéria escura.

Fonte: https://www.sciencealert.com/the-puzzle-of-two-identical-galaxies-has-finally-been-solved

3 casos bizarros de pessoas que foram enterradas vivas

Matéria anterior

Esse texto misterioso sugere que europeus sabiam das Américas antes de Colombo zarpar

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos