Curiosidades

3 casos bizarros de pessoas que foram enterradas vivas

0

A morte é a única certeza da vida. Mas às vezes essa certeza pode não ser tão certa assim. Como por exemplo, em um passado bem distante, onde não havia tanta tecnologia, havia vários casos de pessoas sendo enterradas vivas.  O medo de ser enterrado vivo é tão grande, que é até considerado uma fobia. A chamada tafofobia. E não é difícil imaginar o motivo dessa situação causar tanto pavor.

O enterro prematuro pode parecer algo totalmente improvável nos dias de hoje. Mas, mesmo assim, ainda acontece casos onde se enterram pessoas vivas. Não acontece com tanta frequência quanto no passado, mas às vezes, alguém pode passar por todas as etapas até o momento do enterro e acabar debaixo da terra.

Existem algumas formas mais comuns que podem resultar no enterro prematuro. A mais famosa delas é a catalepsia. Ela é uma condição onde a pessoa apresenta uma resposta reduzida a estímulos. Nessa condição é comum a pessoa ter uma tendência a manter uma postura imóvel, com os membros paralisados em qualquer posição que se colocar. Os músculos ficam rígidos e as pessoas realmente parecem estar mortas, com quase nenhum tipo de sinal vital.

Um ataque de catalepsia pode durar alguns minutos ou se estender por alguns dias. Justamente por isso que, no passado, se enterravam muitas pessoas vivas devido à crises de catalepsia. Mostramos alguns casos aqui.

1 – Niurka Reyes

De acordo com a plataforma de notícias Grandes Medios, esse caso aconteceu em 2011 na República Dominicana. Teria se encontrado a jovem bailarina, Niurka Reyes, em seu quarto desacordada.

Na época, Niurka tinha apenas 23 anos e foi declarada morta sendo vítima de um infarto no miocárdio. Depois da declaração de morte ela foi enterrada. A plataforma de notícias disse que dias depois uma amiga da jovem tinha pressentido que sua amiga estava viva.

Então, a mãe de Niurka conseguiu uma autorização para exumar o corpo da filha. Com isso veio a revelação surpreendente. A jovem estava morta, mas não pelo infarto, mas sim de asfixia dentro do caixão. Isso sugeriu que ela deveria ter sido enterrada viva.

2 – Octavia Smith Hatcher

O portal Grandes Medios também conta outro caso que aconteceu, supostamente, em Pikeville nos Estados Unidos. Esse caso teria acontecido em 1891 quando uma doença estranha assolava a região.

Quem contraía a doença caía em um coma profundo. Depois de tempos se relacionou isso com uma doença transmitida pela mosca tsé-tsé. O portal disse que Octavia Smith Hatcher teria sido uma das primeiras vítimas dessa doença na cidade.

Depois de um tempo, ela foi dada como morta e enterrada. E quando o marido de Octavia pediu a exumação do corpo ele se deparou com uma cena assustadora. As mãos da sua mulher estavam bem machucadas. Possivelmente porque ela acordou da catalepsia e tentou arranhar o caixão tentando sair.

3 – Rufina Cambaceres

Esse caso teria acontecido em 1902 em Buenos Aires. Nesse ano, teria se encontrado a jovem, teoricamente, morta no seu quarto. Logo fizeram seu enterro. De acordo com relatos da época, as pessoas ouviam ruídos que vinham do túmulo de Rufina Cambaceres na noite seguinte ao seu enterro.

De acordo com o Grandes Medios, a jovem teria acordado do estado de catalepsia e conseguido escapar do túmulo. Contudo, ela ficou tão assustada que acabou morrendo por infarto poucos minutos depois. Então, se encontrou a jovem no chão do cemitério.

Fonte: https://www.msn.com/pt-br/noticias/brasil/catalepsia-casos-sinistros-de-pessoas-que-foram-enterradas-vivas/ss-AAPepdm?li=BB1clQGu#image=25

O que acontecia dentro da Mansão da Playboy?

Matéria anterior

Curiosa descoberta de duas galáxias ”idênticas” finalmente foi explicada

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos