Entretenimento

Seis fotos incríveis que mostram fusões de galáxias

0

Para celebrar o ano de 2021, o Telescópio Espacial Hubble da Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço do Governo Federal dos Estados Unidos (NASA) publicou recentemente fotos de seis fusões de galáxias diferentes.

Os raros fenômenos astronômicos foram capturados em meio a uma pesquisa que analisa novas formações estelares. De acordo com a NASA, os raros eventos mostram como as galáxias passam por mudanças dramáticas, tanto em relação a aparência como em conteúdo estelar. “Esses sistemas são excelentes objetos de estudo. Analisá-los nos permite rastrear a formação de aglomerados de estrelas sob condições físicas extremas”, explica o órgão.

“A Via Láctea, normalmente, forma aglomerados de estrelas com massas 10 mil vezes maior que a do Sol. Os aglomerados de estrelas que se formam a partir de galáxias em colisão possuem uma massa milhões de vezes maior que a massa do nosso astro em questão”.

Fusões

Os fenômenos de fusões de galáxias, antes de acontecerem, emitem muita luz e, mesmo após a colisão, quando o sistema galáctico resultante se desvanece em um estado mais ‘calmo’, os aglomerados de massivas estrelas seguem brilhando intensamente. As imagens que iremos mostrar fazem parte de uma seleção de um grupo composto por 59 registros, todos publicados entre 2008 e outubro de 2020.

“Depois de registrar as inúmeras fusões de galáxias que ocorreram entre 2008 e 2020, o conteúdo, capturado pelo Telescópio Espacial Hubble, nos mostrou como os aglomerados de estrelas são afetados pelas mudanças rápidas que ocorrem durante as colisões. Essas mudanças, basicamente, aumentam, e muito, a taxa em que novas estrelas são formadas nessas galáxias”, explicou a NASA em comunidado.

“Com o auxílio do Telescópio Espacial Hubble, conseguimos descobrir como a fusão de galáxias é capaz de originar novos numerosos aglomerados compactos de jovens estrelas. Por meio de uma tecnologia, que utiliza raios ultravioletas e infravermelhos, conseguimos também distinguir as idades e as massas dessas formações de aglomerados de estrelas que se originaram das fusões dessas seis galáxias”.

Fotos

1. Medusa Especial

A imagem acima retrata a fusão da Medusa Especial com outra galáxia. Ambas galáxias se fundiram na constelação da Ursa Maior. No estudo realizado pela NASA, a Medusa Especial é identificada pelo nome NGC 4194. Conforme explicam os especialistas, a fusão pode também ser denominada de colisão. Outro evento como este deve acontecer daqui a mais ou menos 4 bilhões de anos, entre a Via Láctea e a galáxia de Andromeda.

2. IC 694 e NGC 3690

As galáxias que se fundiram na foto acima são as IC 694 e NGC 3690. Devido a uma interação que vem ocorrendo a 700 milhões, ambas galáxias acabaram se colidindo, ocasionando, assim, uma forte explosão de formação de estrelas. Nos últimos quinze anos, aproximadamente, seis supernovas surgiram nos confins da galáxia, tornando este sistema uma notável fábrica de supernovas.

3. NGC 3256

O registro da NGC 3256 foi obtido por meio da Wide Field Camera 3 (WFC3) e da Advanced Camera for Surveys (ACS). Ambas tecnologias estão instaladas no Hubble. Em suma, a galáxia está a cerca de 100 milhões de anos-luz da Terra e é um alvo ideal para investigar explosões estelares que foram desencadeadas por fusões de galáxias.

4. NGC 1614

Conforme publicado pela Revista Planeta, o sistema de galáxias pertencentes a NGC 1614 possuem um centro óptico brilhante, bem como ‘dois braços’ espirais internos claros, que, de acordo com os especialistas, são bastante simétricos. O sistema, além disso, possui uma estrutura externa caracterizada por uma grande extensão curva unilateral, que origina-se em um desses braços para o canto inferior direito, e uma cauda longa que quase forma uma reta. A cauda em questão emerge do núcleo e cruza o braço estendido para a parte superior direita.

5. NGC 6052

Localizada na constelação de Hércules, a cerca de 230 milhões de anos-luz de distância, o sistema NGC 6052 é um par de galáxias em colisão. As galáxias, ainda de acordo com a Revista Planeta, foram descobertas em 1784, por William Herschel. Na época, foram classificadas como uma única galáxia – devido a sua forma irregular.

6. NGC 34

A NGC 34 pertence à constelação de Cetus. O sistema possui uma região externa quase translúcida, que engloba um pontilhado de estrelas e estranhos cachos finos. Esta imagem mostra o centro brilhante da galáxia que resultou-se de uma fusão que, além de ter ocasionado uma explosão de formação de novas estrelas, iluminou o sistema com a presença de gás circundante.

A pandemia pode estar prejudicando a visão das crianças. E o culpado não é o vírus

Matéria anterior

7 séries e filmes que previram o futuro

Próxima matéria

Você pode gostar